O Que Fazer para Ser Salvo

SALVAÇÃO “O QUE DEVO FAZER PARA SER SALVO?”

IMORTALIDADE = VIDA ETERNA
A RESSURREIÇÃO DO CORPO HUMANO
UM CORPO PRÓPRIO PARA A EXISTÊNCIA ESPIRITUAL E ETERNA NOS CÉUS.

DEUS PREPAROU UM CAMINHO PARA AS PESSOAS QUE DESEJAREM IR PARA O CÉU QUANDO MORREREM
O GRANDE SEGREDO DESSA VIDA É A MORTE FÍSICA, SABENDO QUE DEPOIS DELA A EXISTÊNCIA DUMA PESSOA CONTINUA.

VOCÊR ESTÁ SENDO CHAMADO A PARTICIPAR DA VIDA ETERNA... MAS, A ESCOLHA É SUA!

VOCÊ TEM O DIREITO DE CONHECER AS VERDADES SOBRE AQUILO QUE O ESPERA APÓS
A MORTE FÍSICA, ESTE É O PROJETO DESTA REVISTA FEITA PARA VOCÊ.

EDITORIAL
O QUE É SALVAÇÃO? = EXISTÊNCIA ETERNA.

Você tem o direito de conhecer a Verdade sobre aquilo que o espera após a morte. M. ODell.

As Mensagens constantes nesta Revista são dirigidas aos cristãosexperientes, aos novos convertidos e, às pessoas que estão interessadas em serem cristãs.

Mas, Por qual razão devo ser Cristão? Um filho de Deus?

Há um mundo invisível, real imutável e perfeito, que existe para além de nossos olhos humanos. Efésios 1.3: Numa das regiões celestiais, em que as pessoas (seus seres espirituais) que já partiram, após a morte do corpo terreno, dão continuidade à sua existência. 2 Coríntios 5.1-10: E, lá, habitando,  no Reino de Deus João 3.3: já como modelo futuro da criaçãofeito para os remidos, os cristãos, conforme escrito está em Apocalipse capítulos Vinte e um e Vinte e dois. E esta é a principal das promessas de Deus, para que a salvação seja compartilhadapor todos. Esta revista tem como propósito manifestar às pessoas como elas podem receber de Deus, através do Senhor Jesus Cristo Hebreus 8-6-7: todas as promessas que se encontram estabelecidas no Novo Testamento, na Nova Aliança. 1 Timóteo 2.4-6:  Hebreus 9.15: POR QUE SALVAÇÃO?

As pessoas sem regeneração espiritual são controladas pelo princípio do pecado; e esse princípiofaz dos homens cidadãos do Reino  das trevas, cujo deus é o diabo, a Satanás, o que os torna inimigos de Deus. Mas, alguém pode argumentar “tenho certeza de não cometer qualquer tipo de pecado” então, já não estaria salvo? Salmos 51.5: De fato, Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe. Romanos 5.12: Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte (física/espiritual) veio a todos os homens, porque todos pecaram; 1 João 1-8-10: Se dissermos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos delitos e nos purificará de toda maldade.Se dissermos que não temos cometido pecados, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua mensagem não está em nós. Efésios 2.2: Seguir as diretrizes e regras espirituais vigentes neste mundo éestar fazendo a vontade do Diabo e seus demônios que agora controla os que desobedecem a Deus. Nunca devemos esquecer que Satanás é o deus desse mundo caótico em que agora estamos vivendo 2 Coríntios 4.4: Estamos manifestando realidades espirituais, então, qualquer consideração humana feita pela pessoa para trazer a seu entendimento como espiritual, ela estará se colocando em morte espiritual Romanos 8.5-17: razão pela qual queremos lhe manifestar exatamento o contrário dessa sua conduta, dessa sua maneira de compreendersua natureza espiritual de forma errada, cujo fim é você mesmo lhe atribuir morte espiritual. Apocalipse 2.11: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito de Deus diz: O que vencer não receberá o prejuízo da segunda morte: a morte espiritual. Aliás,é difícil entender como pessoas não dão valor ao seu futuro, á sua eternidade. A Salvação oferecida graciosamente por Deus em Cristo é a única solução para o problema do pecado e o único recurso dado por Deus para que o homem não seja condenado à morte espiritual, mas desfrute dagloriosa comunhão com o Senhor Jesus Cristo eternamente.Há uma influência negativa (espiritual) nas pessoas, para estarem afastadas de Deus. O Diabo exerce uma ação psicológica, uma influência, uma ascendência de seu poder sobre as pessoas Apocalipse 12.12: informa esse predomínio sobre nós humanos Efésios 2.2: complementa. Faço votos que as mensagens desta revista vão ao encontro das vossas expectativas espirituais.

Efésios 2.6: E nos ressuscitou juntamente com Cristo e nos fez assentar nos lugares celestiais.

A BÍBLIA A PALAVRA DE DEUS.

Deus se revela às pessoas através de Sua Palavra. Com a leitura da Bíblia, podemos diferenciar o certo do errado, e aprender a viver de maneira que agrada a Deus.Você está valorizando e aplicando a Palavra de Deus na sua vida? 2 Timóteo 3.16: A Bíblia inteira nos foi dada por inspiração de Deus, e é útil para nos ensinar o que é verdadeiro, e para nos fazer compreender o que está errado em nossas vidas; ela nos endireita e nos ajuda a fazer o que é correto.

E aprendemos uma realidade espiritual que a Salvação Atos 4.12: só pode ser conseguida por intermédiodo Senhor Jesus Cristo. Pois não há no mundo inteiro nenhuma outra pessoa que Deus tenha dado aos seres humanos, por meio do qual possamos ser salvos. Amém & Amém.

Então, as mensagens que se encontramcitadas nesta revista e em todas as literaturas cristãs, sem as unirmos com aleitura da Bíblia, a Palavra de Deus, ou seja, sem a presença viva do Espírito Santo como se lê em João 14.26: torna-se uma leitura humana; e temos consciência em dizer que até cristãos professos assim fazem: João 6.63:O Espírito Santo nos transmite a verdadeira espiritualidade de Deus; nossa natureza humana nada pode acrescentar.As palavras que o Senhor Jesus nos apresenta na Bíblia diz respeito à Vida Espiritual de uma pessoa. Então, repetindo: Deus se revela às pessoas através de sua Palavra:Jesus Cristo merece sua atenção!Apocalipse 19.11-13: Como saber se a Verdade realmente estã sendo transmitida prá você? Você até poderá dizer erroneamente: conheço toda a Bíblia, não preciso consultá-la. Deixe o Espírito de Deus participar de todo a vossa espiritualidade. Romanos 8.11:17. Acredite. A tarefa mais importante do Senhor Espírito Santo, nosso Auxiliador será fazer com que os seguidores de Jesus se lembrem dos seus ensinamentos prescritos na Bíblia João 14.26: e servir de guia espiritual em toda a Verdade de Deus João 16.13: anunciando às pessoas revelações das realidades que hão de acontecer. As que eu tenho tido eu transmito a todas as pessoas através das Mensagens e das Revistas Semeando a Palavra de Deus, de acordo com o propósito feito por Deus. E você que acha que leitura cristã pode ser feita sem a consulta à Bíblia? Vou citar revelação feita por Cristo a Pedro, contida na própria Palavra de Deus que diz: 2 Pedro 1.14: Sabendo que brevemente vou deixar este meu corpo terreno, como também Nosso Senhor Jesus Cristo já me tem revelado. Não deixe de consultar sua Bíblia nas suasleituras diárias de quaisquer das realidades espirituais que cheguem aos seus olhos espirituais. Você notará que o seu espírito começará efetivamente a direcionar sua vida espiritual, e o Espírito de Cristo se fará presente no teu desenvolvimento e crescimento espiritual. Creia.

Atos 17.11.c: “examinando o Evangelho de Cristo para ver se aquelas realidades espirituais anunciadas eram realmente vindas do Espírito Santo”. R.N. Champlin ensina: devendo servir de conduta e exemplo pra todas as pessoas que desejarem honestamente serem salvas para toda a eternidade. “aqueles homens (de Beréia) foram nobres aprendizes da Bíblia”. “Desfrutaram da vantagem de serem ensinados pelo ministério apostólico”. “No entanto não se sentiram satisfeitos por receberem tudo quanto poderiam vir, a saber, sobre Cristo através dos ouvidos e pelos esforços de seu grande mestre, o apóstolo Paulo”. “Não se contentaram com o que puderam compreender com base em sua própria experiência; por isso mesmo não tiveram qualquer desejo de rejeitarem o aprendizado e firmeza na Verdade mediante meios intelectuais e espirituais, através dos impulsos do Espírito Santo no íntimo”. Sim consultaram a Palavra. “Não mostraram ser preguiçosos nessa busca espiritual, mas aplicaram diversos métodos e meios (estudos bíblicos inspirados pelo Espírito de Deus) para conhecerem a verdade das coisas que Paulo lhes apresentava, examinando os Evangelhos, a fim de verificarem se o apóstolo as usava e interpretava corretamente”. “Queriam conhecer a Cristo, mas não se deixaram enganar crendo em algo que talvez não passasse de uma bela história, sem alicerce nos fatos e na realidade”. ”Não tiveram receio de examinar as doutrinas, e não receberam tudo quanto lhes foi dito passiva e estupidamente, sem qualquer pensamento de crítica construtiva”. “Estavam convictos de que a verdade pode suportar a sua própria investigação e que aquilo que não resiste ao exame não pode expressar a Verdade”. Esta revista, como as demais literaturas cristãs, não são desenvolvidas e transmitidas de maneira ou de forma instantânea, como num piscar de olhos, não, não acontece no espaço de um instante; há um estudo desenvolvido para chegar ao seu fim, no caso espiritual. É como fôssemos estudar para uma prova de importância relevante para nossa vida. Então, a realidade será a mesma para a pessoa que deseje entender sua própria espiritualidade, que ela pensa não existir no contexto ou significado de sua existência. Assim, a leitura dessa revista deve ser feita em ocasiões apropriadas Mateus 6.6: e, “... entrando no teu aposento ou local livre de barulho fechando a tua porta...” para o mundo exterior, livre, afastado de agitação, algazarra, alvoroço, num local tranquilo onde você possa escutar O Espírito de Deus te auxiliar em tuas leituras espirituais.Como são leituras que dizem respeito à sua vida devem ser lidas várias e repetidas vezes, pois cada leitura, mesmo que repetida, pode vir a tornar algo novo em seu entendimento espiritual. Medite, pense consulte a Bíblia no que diz respeito ao que você está estudando, e, aprenda a ouvir o Espírito de Deus falar com você. Terá de ser uma prática, ser assíduo, ser constante a querer saber sobre tudo que diz respeito à tua Vida Eterna. Oriento-te no seguinte: não faça uma oração longa Mateus 6.7-8: Faça como lhe convém para entrar diante de Deus, feito isso: Filipense 4.6: Senhor está escrito que não devo ficar inquieto ou aflito por algo, mas, antes que devo orar a respeito de minhas necessidades para que sejam de Teu conhecimento, estou lhe suplicando por – digamos que você suplique por sabedoria – peça, diga que você tem necessidade de entender certos aspectos de determinadas realidades espirituais, que você está investigando,e agradeça as respostas que Ele vai lhe manifestar. Você tem que entender que o que você pedir a Deus tem que estar de acordo com sua Palavra, correto! Sabedoria está escrito em Tiago 1.5: “E se alguns de vocês têm falta de sabedoria peça a Deus”. Não é simples? Sim é simples, mas, a seguir vem uma advertência que deve ser entendida pra todos os pedidos feitos ao Senhor: Tiago 1.6-7: Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte, ou seja, nunca fez da Palavra de Deus realmente a sua doutrina de entendimento espiritual – ora escuta um tipo de doutrina, daqui a pouco assume a posição de outra e, assim vai sendo iludido pelo Diaboe seus demônios – Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa; se você já possui conceitos próprios a respeito de determinados assuntos espirituais, confesse-os ao Senhor e os abandone, para que voce possa ser orientado pelo Espírito de Cristo adequadamente. Manifeste ao Senhor a virtude de conhcer suas próprias limitações; seja submisso a Deus. O homem que escuta a tudo e dá crédito é possuidor de um espírito duplo e inconstante em todos os seus caminhos. NB: Não devemos perder de vista o fato de que a excelência é atribuida ao que se escreve de um raciocínio crítico, que procura examinardoutrinas apresentadas, ao passo que hoje, em muitas das igrejas evangélicas, ensina-se que é errado e um desfavor ter alguém uma mente crítica, e que é uma virtude aceitar-se tudo como verdade, simplesmente porque é apresentado como tal por alguma igreja ou denominação. Note bem, também é costume que os homens se “defendam” da opinião emitida por alguma instituição bíblica ou grande mestre bíblico, sobre essa ou aquela questão ou interpretação sobre determinados costumes.Há as Tradições! Comunicação oral de fatos, lendas, ritos, costumes, de geração para geração. Colossenses 2.8-23: As tradiçoes humanas o máximo que fazem é obscurecer as Verdades de Deus. Não deveis aceitar qualquer doutrina, mestre ou denominação, qualquer credo ou fé concebida como princípios teológicos possa conter toda a Verdade de Deus. Com a nossa mente aberta para o Espírito de Deus e com uma atitude de verdadeira busca pela pessoa do Senhor Jesus Cristo, usando de todos os meios que estiverem ao nosso alcance: o estudo das escrituras, a oração e a meditação, haveremos de descobrir outras maravilhas contidas na pessoa do Senhor Jesus.Colossenses 3.1-4: Fomos ressuscitados com Cristo, assim coloquemos os nossos interesses espirituais nas realidades do Reino de Deus, onde Cristo está sentado ao lado direito de Deus. Pensemos nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra; já morremos e as nossas vidas estão escondidas com Cristo. Façamos com Cristo a nossa verdadeira existência e assim, tomaremos parte em sua glória. 

Atos 16.30.31: que devo fazer para ser salvo?

Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa.

Essa é a pergunta dominadora desta vida terrena. Ainda que tal indagação, com frequência tenha sido manipulada/ desprezada à categoria das especulações religiosas ou preconceitos fanáticos, na realidade não existe maior e mais importante averiguação entre os homens. Embora a sua importância tenha sido sujeitada a muitas interrogações, dúvidas e negações, a sua verdadeira importância é o tema central da existência. E, sendo ignorado pela grande maioria da humanidade, especialmente nessa nossa época de materialismo, todavia, em nenhum outro período da história os homens têm tanta necessidade de manifestá-la e de receberem a resposta divina, como em nossos próprios dias.


Como devemos entender este versículo?

“... crê...”. =fé=confiança=convicção

Mas, então em que consiste a Fé?

A Fé é uma questão pessoal, individual e não de um corpo duma igreja denominacional. Assim sendo cada indivíduo precisa desenvolver e exercer a sua própria fé, não podendo fazê-la por empréstimo; não sendo propriedade de uma comunidade qualquer, mas a manifestação individual de cada alma. A fé é muito mais do que a aceitação mental a algum credo doutrinário, pelo contrário, é a própria expressão do ser espiritual duma pessoa; consistindo em entregar-se, a alma a Cristo, de deixar-se transformar segundo a sua imagem santa e perfeita. Portanto, a fé é uma ação e atitude da personalidade espiritual dum indivíduo; uma expressão espiritual, que se deriva da essência de sua consciência, do homem interior do indivíduo 2 Coríntios 4.16: ARC. IMPORTANTE. Na realidade, a fé é o primeiro passo da regeneração – restauração espiritual – A primeira realidade que o Espírito Santo quando dá início à transformação de uma alma, é a fé, que é uma atitude de um novo caminho para a salvação da personalidade espiritual duma pessoa. A fé salvadora inicial é o primeiro elemento da conversão, fazendo parte das operações do Espírito Santo no indivíduo, modificando as atitudes da sua alma; esta, por sua vez, volta-se para Cristo e deseja ser transformada segundo a sua imagem. E é a essa atitude que chamamos de fé. A Salvação é atitude decidida duma pessoa, ela deseja e faz acontecer em sua existência, seguindo as realidades espirituais da Nova Aliança. É a manifestação duma pessoa aceitar a Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. Entenda, a fé é o começo dessa entrega confiante e também o agente impulsionador de todo esse processo: começamos pela fé e vivemos pela fé, e é através da fé que nossos seres espirituais são absorvidos no ser de Cristo, sem perdemos nossa identidade pessoal.Hebreus 11.6: Sendo uma realidade espiritual importante aos olhos de Deus, vou expandir esse estudo, necessário (1 Coríntios 12.9.a:) a todas as pessoas,  para conseguirem sua vida eterna.O próprio Espírito Santo é o autor da Fé Bíblica e Verdadeira. Alguém recebe o toque do Espírito Santo, que é uma pessoa Real – um Espírito – tal qual o homem é um ser espiritual – e, o Espírito de Deus opera nessa alma o milagre da regeneração. Em consequência, essa pessoa se entrega a Cristo confiantemente, entregando-se aos seus cuidados eternos. A fé consiste na comunicação celestial do Espírito Santo com a alma individual, o que produz a transformação inicial da conversão, entregar-se aos cuidados de Cristo, dando início à Salvação. A Fé envolve a concordância e a cooperação da livre vontade humana; envolvendo a atuação do Espírito de Deus, que busca atrair a pessoa. De fato, ninguém pode vir a Deus sem ser atraído pelo Espírito Santo; mas é na cruz que o Senhor atrai todos os homens para Cristo. Essa ação mútuaé necessária para que se opere a verdadeira fé. Sabemos, entretanto, pela própria experiência humana, que existem pessoas extremamente pervertidas, que preferem não exercer fé, mas antes, levantam uma barreira/impedimentos a quaisquer influências do Espírito Santo, face à sua vida contínua de perversidades, de erros e na descrença nas verdades da fé. A ordem expressa no presente versículo “CRÊ” é um mandamento, que nos determina não resistirmos à presença e aos impulsos do Espírito Santo. Então, é exatamente essa não resistência que permite que tenha início a obra da regeneração, e a isso denominamos de fé.

Porque nenhuma pessoa pode achegar-se a Deus, se o seu Senhor não for Cristo; significando queindivíduo precisa adaptar-se à vontade de Cristo, obedecendo à sua Palavra, e, finalmente recebendo as perfeições totais de sua pessoa. Ninguém possui a fé bíblica autêntica se não se mostra obediente a Cristo.

Nenhuma pessoa pode afirmar que tem a Jesus como seu Salvador, se não o possui como Senhor de sua vida. Romanos 10.8-13: O que Moisés diz é isto: “A mensagem de Deus está perto de você, nos seus lábios e no seu espírito” - isto é, a mensagem de fé que anunciamos. Se você disser com a sua boca: “Jesus é Senhor” e no seu espírito crer que Deus ressuscitou Jesus, você será salvo. Porque nós cremos com o espírito e somos aceitos por Deus; falamos com a boca e assim somos salvos. Porque as Escrituras Sagradas dizem: “Quem crer nele não ficará desiludido.”Isso vale para todos, pois não existe nenhuma diferença entre os homens.Deus é o mesmo Senhor de todos e abençoa generosamente todos os que pedem a sua ajuda.Como dizem as Escrituras Sagradas: “Todos os que pedirem a ajuda do Senhor serão salvos.”

Hebreus 11.1: A fé é a certeza de que vamos receber as coisas que esperamos e a prova de que existem coisas que não podemos ver.

É necessário que o cristão considere a importância do mundo superior – os lugares celestiais –bem como das condições espirituais necessárias que aquele mundo manifesta aos homens, alcançá-lo. É necessário que o crente perceba claramente que deve viver segundo as dimensões eternas da vida, o que somente a Fé é capaz de perceber; e, ao assim fazer verá sua posição em Cristo; e, munido dessa visão será tão grandemente fortalecido que ficará imune à apostasia.

Não há situação sob a qual o homem de Deus não possa ser homem de fé.
Acrescentemos à nossa fé as obras que mostram nossas qualidaes pessoais que são manifestações do Espírito de Cristo no mundo; precisamos mostrar por nossas ações, em nossas vidas diárias, que cremos que temos fé, sabendoque se usarmos a fé que possuimos, mais fé nos será dada. Quando o Espírito da fé habita em nosso íntimo, temos verdadeira liberdade e certeza de que não temos outro Senhor além de Jesus, o Cristo, e que somos protegidos pelo poder do Pai. O sentimento de segurança, proteção, de paz que ultrapassa todo o nosso entendimentonão pode ser encontrado noutro lugar. A fé é a promessa enviada antecipadamente para mostrar que tudo quanto pedirmos, teremos.A fé é uma qualidade de nosso ser espiritual – do nosso homem interior 2 Coríntios 4.16 – não é algo que possa ser aprendido pela experiência física; ou seja, não vem mediante o exercício dos nossos cinco sentidos. Não é algo que se aprende na experiencia humana: exemplificando, ao ligarmos o motor de um carro temos certeza dele se mover, foi para isso construído. Isso não é fé, é confiança na tecnologia humana. A fé é, ao invés disso, um atributo no espírito do homem, que não depende de experiência física. A fé tem sua base no conhecimento espiritual. Esse conhecimento é percebido, discernido, sentido ou pressentido por intuição, com base nas realidades espirituais, como a existência eterna da alma, a existência de Deus, a realidade das coisas espirituais, os ensinos do Espírito Santo, a presença viva de Cristo, o firme destino de nosso ser espiritual às regiões celestiais como se encontra manifesto na Palavra em 2 Coríntios 5.1-10: O espírito do homem é o elo entre Deus, as coisas espirituais e a consciência humana. O espírito do cristão conhece as realidades de Deus eas manifestações espirituais. O espírito sabe, portanto, crê.  João 4.24: A fé é um atributo do espírito humano. NB: Importante. O problema consiste em como permitir que nosso espírito tenha comunicação com nossa mente (alma) consciente. É neste momento na vida duma pessoa, que sua própia natureza humanabloqueia a verdade, o conhecimenro espiritual e intuitivo de seu ser interior. Esta natureza humanacausa impedimentos a esse conhecimento com pensamentos e ações carnais, dando mais valor às coisas naturais e negligenciando as coisas do seu próprio espírito. Neste instante, o homem perde o domínio de como entrar em contato com sua própria porção superior, seu espírito, ao ponto de algumas vezes negar a existência dessa porção superior, dizendo que a alma não existe. Nesse momento, não está se dando conta de que o Diabo através de seusdemônios e de seres humanos a seu serviço estão se manifestando pra roubar sua fé.  O Diabo se utiliza dos próprios humanos que lhes dão ouvidos para corromper cristãos, acredite. Muitas pessoas crentes estão sendo envolvidas, influenciadas sem se dar conta disso. Não tenhamos uma Fé Cega, não podemos acreditar em tudo que nos dizem. Estude a Bíblia e saberá quando está sendo enganado, seja pelo ser humano ou por um espírito maligno. Medite com atenção em 1 Timóteo 4.1: Pense!

Hebreus 11.6: Nunca se pode agradar a Deus sem fé, sem confiar Nele. Qualquer um que queira ir a Deus deve crer que Ele existe e que recompensará àqueles que sinceramente O procurarem, com a promessa da Vida Eterna em Cristo Jesus.
O versículo nos responde à pergunta Por Quê? Porque aquele que não tem fé não se aproxima de Deus, que é a fonte do todo bem. A pessoa que não faz de Deus o centro de sua vida, a fim de buscá-lo e ficar debaixo da influência de seu Espírito, dificilmente se interessará por agradar ao Senhor. O indivíduo que não busca a Deus normalmente faz de seu próprio “eu” um deus; ou seu deus é alguma vantagem terrena. Tal homem dificilmente poderá agradar a Deus; andará por demais ocupadotendo prazer em si mesmo. Na vida duma pessoa sempre existirá alguma coisa que é o centro de sua atenção, algo que deixa todas as demais coisas em plano secundário;pra alguns indivíduos é o dinheiro, o alcoolismo, o consumo de drogas, a prostituição. A busca a Deus é um ato de devoção, e o Senhor se agrada dessa atitude e dos frutos que ela manifesta. Por outro lado, não se agrada com o indivíduo que não vive sua vida terrena segundo as dimensões eternas. Então, fica claro, que é preciso ter fé para uma pessoa viver eternamente nas regiões celestiais. Romanos 2.7: Deus dará a vida eterna às pessoas que perseveram em fazer o bem e buscando a glória, a honra e a vida imortal. Colossenses 1.23: Mas é preciso que você continue fiel, firmado sobre o alicerce seguro Da Nova Aliança, sem se afastar da esperança que estás recebendo, ouvindo a boa notícia do evangelho de Cristo. Foi desse evangelho queme tornei servo é esse evangelho que tenho anunciado a todas as pessoas.

TIAGO 1.6:
Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor; é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz. Com frequência negligenciamos os verdadeiros objetivos que as nossas orações deveriam buscar, tornando-nos obstinados com simples progressos terrenos, com seus confortos e vantagens; a oração do homem espiritual será eficaz porque ele ora pelas realidades que estão de conformidade com a Palavra de Deus, buscando seu crescimento espiritual; tal pessoa é espiritual porque aprendeu o verdadeiro uso da oração.

“... FÉ...”. Consiste da confiança em Deus, com a entrega do espírito humano aos cuidados de Cristo, que serve de base para tal confiança. A fé consiste na confiança indivisível no poder e na bondade de Deus, o que, realmente, consiste de uma reação da alma a Deus, a quem o ser inteiro foi entregue. 1 Coríntios 6.19-20: Antes (a fé) é um atributo e uma expressão do próprio espirito, do homem interior, do homem real; é a reação da alma para com as realidades celestiais.

“... EM NADA DUVIDANDO...”. Assim como a fé é fundamental à atitude religiosa, assim também a dúvida revela defeito na vida espiritual, na falta de entrega da alma a Cristo, carnalidade e debilidade espiritual. Tal pessoa, por falta de interesse, fez pouquíssimo progresso espiritual, seus conceitos são apenas palavras que nada produz para sua espiritualidade, e não experiências do seu ser interior“... É SEMELHANTE ONDA DO MAR IMPELIDA AGITADA PELO VENTO...”. Foi o Senhor Jesus quem acalmou o mar agitado. Ele pode fazer a mesma coisa pelas pessoas com mentes atribuladas e em dúvida. A fé é o elemento que estabiliza; e isso é um produto do desenvolvimento espiritual duma pessoa.

Tiago 1.7: A pessoa que duvida das promessas de Deus, não pense que receberá o favor da Vida Eterna.

O pedido é feito com total sinceridade? A vontade, o desejo de conseguir a Vida Eterna é genuíno? Como é que uma pessoa de caráter duvidoso pode esperar receber qualquer realidade espiritual da parte do Senhor? Ao invés de orar em Nome de Jesus – não seja feita a minha vontade, e, sim a Tua, Senhor – tal indivíduo ora fora do Nome de Cristo, ou seja, condiciona as realidades espirituais às suas próprias expectativas. Somente os puros podem ver a Deus, aqueles que estão isentos de toda a duplicidade; então tal tipo de pessoa que duvida não tem propósitos espirituais firmes; e, quando orar, ficará desapontada ante os resultados. Notemos neste versículo uma ausência de consideração, sem apreço nem estima pelas realidades espirituais, pelo tal que pensa que pode obter alguma coisa, mesmo que duvide, porquanto não possui fé firme, é carnal e vive sempre hesitante.Esse é o tipo de indivíduo que ora (suplicar a Deus) somente por interesse próprio e carnal, por motivos egoístas, ao invés de fazê-lo para benefício espiritual próprio e de outros, e sempre de conformidade com a Palavra de Deus, bem como para a glória do Senhor. Ele pode dar-nos ou recusar-se a dar-nos. E Ele não se mostrará arbitrário nesse particular, porque NB tudo é governado por estritas leis espirituais. Os mandamentos, as promessas e tudo mais que provém do Reino de Deus É ESPIRITUAL; John Foster ensina: “um homem indeciso de caráter nunca pode dizer que pertence a si mesmo; pertencendo àquilo que está sujeito”. É óbvio que o indivíduo que não pertence nem a si mesmo (Efésios 2.2:) dificilmente pode pertencer a Deus; portanto Cristo não é seu Senhor; sendo escravo dos caprichos e das influências de Satanás.

Tiago 1.8: Homem vacilante que é, e inconstante em todos seus caminhos: nunca sabe (?) em quem acreditar.

A Palavra de Deus não lhe serve de orientação! Tal homem é chamado “Senhor Duas Caras”. É atraído pela mensagem espiritual, e crê em parte na herança celestial; mas na realidade, vive de acordo com a tal “espiritualidade humana”, e frequentemente satisfaz o homem exterior, seu corpo físico, e não ao seu espírito, o homem real. Sua linguagem pode ser espiritual, e talvez até se sinta fortalecido, mas, no momento seguinte, no outro dia, não é melhor que qualquer pessoa mundana, agindo da mesma maneira que faria uma pessoa sem qualquer capacidade de compreender realidades espirituais. “... INCONSTANTE, DUVIDOSO...”. Isto é Instável. Ninguém pode depender dele; ele mesmo já aprendeu a não confiar nem em si próprio. Sua capacidade moral foi prejudicada ao ponto de não produzir qualquer fruto espiritual, sendo sempre sujeito a tentações contra as quais não sabe oferecer resistência. Embora não se considere um hipócrita – ou seja, uma pessoa que demonstra uma coisa, quando sente ou pensa outra, que dissimula sua verdadeira personalidade, agindo quase sempre por motivos interesseiros, falso, simulado – e, ainda que seja distinguido dos hipócritas, com frequência desempenha um papel fingido, a fim de ocultar suas ações dúbias daqueles que o conhecem como pessoa espiritual. Sua duplicidade se baseia sobre sua tendência em hesitar entre a fé e a incredulidade. E toda sua hesitação resulta disso. Ainda, também esse homem não precisa de razões suficientes para agir como faz: é escravo das circunstâncias e dos caprichos, que vivem em aliança com os vícios, mas que nunca falta à igreja no domingo. Tal pessoa é confusa em sua mente, desassossegado em seus pensamentos, perturbado em suas intenções, frequentemente mutável em suas ações, e, sobretudo em matéria religiosa.

Lucas 19.9: Hoje a Vida Eterna chegou pra Você! Acredite.

Da mesma forma que chegou para Zaqueu. Você é importante para Deus, mas você tem que se considerar digno de consideração consigo mesmo. Ter autoestima. Valorizar-se. Toda Pessoa é importante, podendo retornar a Deus. Jesus nos destaca o fato de que um indivíduo, ainda que seja um pecador perigoso, não pode ser negligenciado, tem direito ao arrependimento, desde que se manifeste perante a Deus assumindo o Senhor Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. Este momento é apropriado pra você dar um justo destino ao seu ser espiritual, só você é capaz disso, como já foi dito. Ter o direito de continuar sua existência digna após a morte. Medite.

Lucas 19.10: Porque Jesus Cristo vem buscar e salvar a quem está perdido.

Mateus 3.2: Arrependa-se de seus pecados, porque é chegado o Reino dos céus, Jesus está à porta de sua vida, deixe-o entrar!
Atos 2.38: Arrependei-vos. Essa é a principal exigência para que haja perdão de pecados, e com o arrependimento tem início à conversão, que é o primeiro passo da regeneração. Leia com atenção! A conversão ainda não é a regeneração propriamente dita, mas antes, faz parte dela, sendo seu início no Novo Nascimento João 3.3: Sem conversão não há regeneração, embora a conversão não encerre a totalidade da regeneração. É o começo, o momento em que o pecador abandona o pecado e o seu antigo “eu”, a sua rebeldia contra Deus. A conversão, além disso, é um ato produzido pela influência do Espírito Santo, que não pode acontecer sem esse poder presente. A verdadeira conversão é uma transformação interna no indivíduo, e esse é o primeiro passo da regeneração. A regenerção completa consiste na total transformação da pessoa, segundo a imagem de Cristo, de tal modo que alguém chega a nascer no Reino de Deus, ou seja, nos lugares celestiais, no mundo acima, que também é chamado de Céu. O indivíduo totalmente regenerado é uma nova criação, de natureza moral e metafísica semelhante à de Cristo; e isso só pode acontecer nos lugares celestiais, em seu grau mais elevado, que inclui a glorificação, apesar de que é na esfera terrena que têm início a conversão e a santificação.

O ARREPENDIMENTO SEGUNDO A PALAVRA DE DEUS.

Atos 17.30.b: Mas agora ele manda que todas as pessoas, em todos os lugares, se arrependam dos seus pecados. Notifica/ordena que os homensse arrependam: que modifiquem seu modo de pensar, de como orientar sua vida aos caminhos de Deus: uma modificação do próprio ser interior do indivíduo, que envolve a transformação da maneira de se expressar desse próprio homem interior; onde estaremos sendo renovado dia após dia como escrito. O arrependimento autêntico só pode ser iniciado e conservado pela modificação genuína do ser espiritual duma pessoa, ou seja, o ser real de toda pessoa, seu espírito/alma. A fé é um ato da alma que reconhece Cristo naquilo que Ele é; e, que a alma diz: Quero ser como Ele é. Deus é quem proporciona fé a esse indivíduo, significando que a fé não consiste em simples aceitação mental; antes, a fé é a crença da própria alma, a convicção do espírito que se originana natureza interior da pessoa. O arrependimentorequer reação humana, como sabemos, mas nada será sem o toque transformador do pode do Espírito de Deus na vida do indivíduo. O arrependimento é o primeiro passo da conversão, a qual, por sua vez é o começo da santificação. Trata-se de “meia volta” na direção geral da alma, sem seus desejos, alvos e interesses, ficando, assim esquecido o caminho antigo. Pois é essa mudança na alma, que está começando a ser transformada segundo a naturea moral e espiritual de Cristo.

Tanto a fé como o arrependimento são situações da regeneração inicial, sendo obra do Espírito Santo no íntimo do indivíduo. O passo inicial da regeneração se chama conversão; a regeneração contínua se chama santificação, e a regeneração completa, o que só ocorrerá no futuro se chama glorificação. A manifestação dessas realidades espirituais faz parte da pessoa “nascida” de novo. NB E ter nascido de novo, em seu aspecto completo, em que o remido chegará a todas as perfeições e à semelhança da própria natureza de Cristo, é o que se chama de Salvação. Tais pessoas serão verdadeiramente filhos de Deus conduzidos à glória. Mas, alguém diz: eu matei pessoas, roubei, fui perverso em minhas ações, mesmo assim mereço pariticipar da Salvação, da eternidade? Você estava aliado a Satanás! Já se livrou dele? Medite atentamente em Efésios 2.1-10: Peça ajuda a Deus nas tuas leituras diárias da Bíblia é o que Ele ordena fazer Filipenses 4.6:

Esqueça o passado de crimes, se arrependa com Deus, assuma a Cristo como seu Senhor e Salvador peça a Deus a presença do Espírito Santo. Coloque, agora, em primeiro lugar o Reino de Deus... Jesus afirma que aquele que vive pecando é “escravo do pecado” (João 8.34). Podemos pensar que pecar é liberdade, mas na realidade é escravidão, é ser escravo de Satanás. Deus o perdoará diante de seu arrependimento genuíno. Se confessarmos os nossos pecados, “Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1joão 1.9:). Mas entenda: a confissão desacompanhada de uma atitude sincera decidida de livrar-se dos pecados será um gesto inútil. Não podemos continuar voltando a Deus e dizendo: “Senhor, aqui estou novamente com o mesmo pecado”. “Perdoa-me”. Isso não seria arrependimento; e o indivíduo nessa situação seria um viciado, não sendo crente sob hipótese alguma.

Atos 3.19: Arrependam-se, pois, e voltem-se para Deus, para que os seus pecados sejam cancelados,

Convertei-vos! Conversão! Que significa? “retornar”. Isto é, mudança de opinião, modificação da atitude moral – pertencente ao domínio do espírito do homem – da volta da alma para Deus, em que a pessoa essencial – espírito humano – retorna para Deus, contra quem estivera em rebeldia e de quem se desviara; em que o indivíduo se afasta de sua vida anterior dedicada ao seu “eu”, que se mostrava contrário a Deus, para então voltar-se para o Senhor, percorrendo um novo caminho, começando uma vida nova. Naturalmente isso subentende a manifestação de Deus na alma do indivíduo envolvido, que o leva a assim converter-se, o que só pode vir mediante a ação e o poder do Espírito Santo.  A própria pessoa exerce seu livre arbítrio nessa operação – a pessoa decide voltar-se aos caminhos de Deus – é decisão sua espetacular por sinal, e todos esses fatores contribuem para produzir a conversão. Um parêntese. A ideia de redundância se faz presente sim, e diz respeito a persistir nesses conceitos espirituais, com a utilização de diferentesversículos para explicar o mesmo assunto espiritual. É a regra de Deus, manifestando sua pala repetidamente contribuindo assim para com a compreensão espiritual de todos. Filipense 3.1:

2 Timóteo 2.25: Instruindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda arrependimento para conhecerem plenamente  a Verdade. Então, os hereges e seus seguidores estão aqui em pauta, conforme se compreende do contexto. É instrutivo observarmos que até mesmo aqueles que se opõem persistentemente à verdade devem ser alvos de um ensinamento paciente e permanente, já que possuem também almas imortais, em favor de quem Cristo morreu. “...Deus lhes conceda...”. É prerrogativa de Deus dar o arrependimento. NB De fato, a menos que Ele o faça, nenhuma pessoa conseguirá jamais arrepender-se, de tão distante ficou o homem de Deus devido à queda no pecado. Contudo, na cruz Deus se adiantou e deu a todos os homens a capacidade de se arrependerem, se assim quiserem fazê-lo. Nas páginas do Novo Testamento, arrepender-se envolve muito mais do que isso; envolve a mudança da alma, uma atitude diferente para com o pecado, de tal modo que o indivíduo vem a detestar, odiar, aquilo que antes amava, e cujo resultado é o total abandono do pecado. Isso é um trabalho do Espírito Santo no íntimo da pessoa, sendo, realmente o primeiro passo da conversão.

2 Timóteo 2.26: eles cairão em si e escaparão da armadilha de escravidão ao pecado, que Satanás utiliza para apanhá-los sempre que ele quer, e então poderão começar a fazer a vontade de Deus.“... Livrando-se...”. Fora dos laços do Diabo. Escapar das armadilhas do Diabo. O Novo Testamento assume a realidade da pessoa de Satanás, e não apenas que existe algum princípio maléfico no mundo que faz oposição ao bem. Efésios 6.11-12: manifesta a Satanás como o líder (2 Coríntios 4.4: descreve a Satanás como o deus desse atual mundo caótico) de uma hoste de espíritos malignos (demônios), que entram em contato com os homens tendo controle e domínio deles, ao ponto que nossa luta não é realmente contra os homens, mas antes, contra esses seres espirituais da maldade que influenciam as pessoas a serem perversas, para fazerem maldades e crueldades contra seus semelhantes. Aqueles que se opõem ao Evangelho de Cristo perderam o bom senso, estando debaixo da influência de Satanás, se é que não foram totalmente cativados pelo seu poder; no entanto, um ensinamento apropriado e paciente, dependente da ajuda e do trabalho do Espírito Santo, pode livrá-los de tudo isso.

2 Pedro 3.9:Ele não está sendo vagaroso com a sua volta prometida, embora por vezes pareça assim. Mas Ele está esperando, pela boa razão de que Ele não quer que ninguém pereça, e está dando mais tempo para os pecadores se arrependerem. A suposta demora do retorno de Cristo tem um bom motivo, a saber, é devido ao seu profundo interesse pela humanidade, pois deseja intensamente que nos arrependamos, aprendendo que seu caminho é melhor. É por você que está de posse dessa leitura, acredite. Assim sendo, podemos considerar como nossa salvação (a de muitos) a paciência de Nosso Senhor, pois o tempo “extra” que assim é oferecido não será inútil. Muitos são os que tiram proveito do dom divino, para o bem estar eterno de suas almas. Mas, há os que desprezam! Portanto, essa demora, se for corretamente entendida, inspirará crentes ao evangelismo, pois deveriam perceber isso como um meio de ampliarem seu discurso de promover o Evangelho de Cristo Jesus a essas pessoas.

Deus não se ocupa em endurecer as mentes dos homens, para que não aceitem a oferta da Salvação/Eternidade; nem os deixa de lado, retendo deles sua Graça. A demora da Parousia serve de prova quanto a isso. A cruz é outra prova disso. “... arrependimento...”. Esse é o portão de entrada para a vida, pois é o início da conversão. A conversão é uma mudança da mente e de direção da alma, manifesta pelo Espírito Santo, em cooperação com a submissão da vontade humana. Trata-se do primeiro passo da conversão, uma real mudança na qualidade moral duma pessoa, não uma simples capacidade de decidir para praticar o que é melhor. Deus sabe por quanto tempo pode esperar, ao passo que os homens podem pensar, erroneamente, que esse adiamento é sinal de desinteresse. Se você não é cristão está na hora de unir-se a Cristo!

NOVO NASCIMENTO

João 3.3-5: Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus. Perguntou-lhe: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus. No Evangelho de João, o reino é sinônimo de Vida Eterna; fundamentando-se do que Deus faz na alma humana, além daquilo que Ele prepara para a essa alma, na vida do além-túmulo. “... nascer de novo...”. Nascer novamente. Nascer do alto. RegeneraçãoEspiritual. 1 João 3.9: Qualquer pessoa nascida de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus. 1 João 5.4: Porque, todo indivíduo que é nascido de Deusvence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Nascimento vindo de Deus. O Novo Nascimento necessáriamente tem sua origem em Deus, no Espírito Santo, no outro mundo, que é o mundo celestial. O segundo nascimento duma pessoa – ESPIRITUAL. A água do batismo não regenera – não dá uma nova vida ao homem – e nem faz obediência a esse ato. Através da água é um rito inteiramente preparatório e simbólico, que tem o intuito de despertar a pessoa para a necessidade do arrependimento, a fim de que viessem a receber corretamente ao Messias e ao seu reino.  Atos 19.1-7: e lhes perguntou: "Vocês receberam o Espírito Santo quando creram (no Senhor Jesus Cristo)? Eles responderam: "Não, nem ao menos temos ouvido que as pessoas estão recebendo o Espírito Santo". "Então, que batismo vocês receberam?” perguntou Paulo. "O batismo de João" – em águas –respondeu eles.Disse Paulo: "O batismo de João foi um batismo de arrependimento. Ele dizia ao povo que cresse naquele que viria depois dele, isto é, em Jesus".Ouvindo isso, eles foram batizados no nome do Senhor Jesus.Quando Paulo lhes impôs as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e começaram a falar em línguas e a profetizar.Eram ao todo uns doze homens. Não pode haver cristão verdadeiro sem a operação interna do Espírito Santo; o batismo em águas é a representação de que o indivíduo recebeu realmente o Espírito de Deus, manifestando-o em público. Não está escrito que esse ato externo, por sí só, é um agente salvador, um agente regenerador, como alguns cristãos de nossa época querem fazer-se crer! Pelo contrário, trata-se de um símbolo da operação do Espírito Santo, que transforma internamente os homens. Para compreensão do que se diz se encontra nas próprias palavras de João Batista, em João 1.33: E eu não o conhecia, mas o que me mandou (a Deus) a batizar com água, me disse: sobre aquele que vires descer o Espírito, e sobre Ele repousar (a Cristo Jesus), esse é o que batiza com o Espírito Santo. João Batista a ninguém salvoupor meio do batismo em águas; mas, tão somentealertou às pessoas para aquele batismo espiritualque Jesus viria ministrar. Regeneração espiritual: é um nascimento espiritual que ocorre neste mundo. Assim sendo, os homens podem nascer de novo agora, como convertidos e santificados; mas isso é o começo da vida espiritual, a experiência do novo nascimento. A santificação continua fazendo parte integral do novo nascimento. Ainda, a ressurreiçao duma pessoa também faz parte integral do mesmo. E, a glorificação total também é parte integral do novo nascimento. NB: da mesma maneira que temos nascimento na família humana, mediante o nascimento natural, assim também, por meio do nascimento fora das leis naturais, nascemos na família celestial: na família no Reino de Deus. Na qualidade de tais pessoas, seremos habitantes preparados para dos lugares celestiais, onde Deus habita, e assim nasceremos em um novo mundo e em uma nova família – a família divina.

João 3.6:” nascido da carne é carne; nascido do Espírito é um ser de natureza espíritual.

O nascimento físico é um acontecimento real, e por meio dele, os homens recebem uma natureza humana e mortal, habitando na terra, lugar apropriado para esse tipo de natureza. No caso do novo nascimento, os cristãos passam a participar de uma natureza diferente, de uma natureza espiritual. Efésios 2.6. Deus nos ressuscitou e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo.

Aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus (Efésios 5.16).
Tito 3.5: Não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feitos, mas segundo a sua misericórdia, nos salva mediante o lavar da regeneração e renovação do Espírito Santo. Não pode haver fé, nem purificação, nem regeneração nem salvação de qualquer pessoa, sem a intervenção direta do Espírito de Deus.

Medite! Aquilo que é simbolizado pelo batismo, a saber, a identificação espiritual em Cristo, em sua morte/ressurreição, o batismo espiritual, faz parte imprescindível da salvação; não podendo haver salvação a menos que sejamos identificados como Cristo em sua morte e que sejamos ressuscitados com Ele, no poder da vida. É o batismo espiritual que salva, não o batismo em água. 

Adam Clarke diz: “O batismo em água nada transforma; a Graça expessa pelo batismo espiritual é que limpa e purifica. Aqueles que pensam que o batismo em águas regenera, nem conhecem as Escrituras e nem conhecem o poder de Deus”.

Robertson ainda: “O Espírito Santo é que opera a renovação; o homem se submete ao ato do batismo em água após o nascimento, como manifestação simbólicadaquela operação, espiritual, diante dos olhos dos homens”.

BATISMO ESPIRITUAL.

Romanos 6.3: Ou vocês não sabem que todos nós, que fomos batizados em Cristo Jesus, fomos batizados em sua morte? Então, reitera-se o que já foi dito, através deste versículo, a respeito do batismo espiritual, que consiste da nossa união espiritual com Cristo, em sua morte e ressurreição, juntamente com tudo quanto isso significa para o homem. O batismo espiritual é a realidade manifesta no íntimo da pessoa, no seu homem interior (2 Coríntios 4.16.b:), da qual o batismo em água é sinal ou símbolo externo e físico. Este batismo espiritual, assunto que está diante nós, neste versículo, também não é a mesma realidade que o batismo em água; este, de modo algum poderia efetuar aquilo que Deus nos diz ser realizado pela união com Cristo. Mas, naturalmente, o batismo em água está no centro da questão; pois este é o sinal simbólico do batismo espiritual, o qual é a realidade simbolizada. O batismo em água aponta, em simbolismo vivido pelo homem, os dois principais aspectos da nossa união espiritual com Cristo: a união em sua morte – a descida para a água como se fosse uma sepultura – e, a união em sua nova vida – a saída da água, como se fora uma vida nova, que escapa da sepultura. O Espírito Santo ao contemplar a obediência do batizando confere-lhe as graças espirituais necessárias, embora não transmita sua graça para aqueles que rejeitam o batismo em água. Excessões a isso são possíveis quando o ato do batismo em água é impossível, como se deu no caso do ladrão arrependido na cruz; bem como de uma pessoa doente paralítica, sem mobilidade, e outros casos específicos. O sinal se cumpre no batismo em água, não a fim de pôr em andamento o movimento do batismo espiritual, mas a fim de declarar públicamente, que Cristo é agora o Senhor da vida daquela pessoa, e que o batismo espiritualhaverá de prosseguir sem quaisquer obstáculos. A morte física separa a nossa relação com o

Mundo; e assim também, a morte com Cristo põe fim à nossa lealdade ao sistema espiritual vigente neste mundo, cujo deus é Satanás Efésios 2.2: porquanto ficamos mortos para o mesmo. Outro aspecto a ser observado é que o batismo espiritual nos coloca na condição de sermos participantes na Vida ressurrecta de Cristo; ou seja, somos levantados a uma nova vida, e a nossa lealdade se centraliza, então nos lugares celestiais. Estamos no mundo, mas a este sistema vigente caótico, corrupto não participamos – a bancada evangélica que se instalou no poder serve de exemplo anti-bíblico – Medite em Colossenses 3.1. 17: a respeito dessa realidade.
“... fomos batizados na sua morte...”. Os frutos da expiação nos pertencem, juntamente com a vitória sobre o reino das trevas, do diabo e seus demônios, que está por detrás do poder e do reino do pecado. O que é Expiação? Reconciliação, pela qual os homens voltam para desfrutarem plena comunhão com Deus: por intermédio de Jesus Cristo recebemos a reconciliação – purificação das faltas, falhas, delitos e crimes praticados. 2 Coríntios 5.18-19: E tudo isto provém de Deus que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação. Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação. Dessa maneira é morta a raiz do pecado, pelo que sua manifestação, na forma de frutos do mal, logo haverá de curar-se dessas anomalias. Fui liberto dos pecados e suas obras malígnas; mas o Espírito Santo que em mim veio habitar, também liberta minha natureza espiritual do domínio do pecado, implantando, ao mesmo tempo, uma natureza caracterizada pela santidade. Assim sendo, vou me tornando aquilo que Cristo é em sua natureza santa. Então, ao passo que antes eu era hostil a Cristo, amigável para com seus inimigos, agora vou me tornando hostil, adversário para com o reino das trevas, porque não mais pertenço ao mesmo. Recebi uma nova vida, uma nova lealdade. O meu batismo consistiu da imersão mística na natureza de Cristo, de tal maneira que vou sendo absorvido pela mesma, e ela por mim. Desse modo estou sendo espiritualizado, e, assim, vou me tornando uma nova criatura. John Gill escrveu: “Mediante a morte de Cristo, o velho homem dos crentes é crucificado, e o corpo do pecado é destruído; assim, os cristãos, no batismo, se confessam mortos para o pecado e para o mundo, e o batismo deles é uma obrigação que lhes é imposta de viverem para a retidão”. Romanos 6.4: Portanto, fomos sepultados com Ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova.O sepultamento de Cristo foi a prova de sua morte física, e, semelhantemente falando, o fim de todo o seu contato com o pecado, com a sua fonte e os seus efeitos malignos. Os crentes são aqui descritos como indivíduos igualmente mortos para o princípio do pecado. “... para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de (dessa) vida...”. Então, o batismo espiritual faz o crente deixar para trás esta vida mortal e todas as atrações mundanas, porque uma nova vida lhe foi dada. Essa nova vida (Colossenses 3.1) consiste na participação da vida celestial de Cristo. Quando o Senhor saiu do sepulcro, não era mais a mesma pessoa que ali deu entrada, no que dis respeito à natureza de sua pessoa. Houve Nele o surgimento de uma nova vida, uma vida celeste. O surgimento dessa nova vida entrou em seu corpo, pelo poder de Deus. Podemos imaginá-lo a levantar-se subitamente, não mais preso pela morte, mas vivo e dotado de um novo tipo de vida.  Cristo não precisou desfazer-se de suas mortalhas, porquanto o seu novo corpo espiritual simplesmente pôde atravessar os panos, deixando-os intocados. Cristo se levantou e atravessou a pedra que fora posta à entrada do túmulo, porque agora Ele não era mais pertencente à classe de pessoas que sofrem das limitações da matéria, e nem as rochas podiam servir de impedimento para Ele. Foi naquele momento que tudo quanto é do Senhor Jesus passou também a ser dos remidos, os cristãos comprados pelo seu sangue. Nossa participação na nova vida de Cristo também contempla o futuro, após a morte física, quando a mesma terá seus efeitos mais definitivos: Cristo um homem que passou para uma vida imortal.

A consequência natural de tudo isso é que os crentes, que já começaram a participar dessa nova vida, mediante meios espirituais e místicos, necessáriamente devem andar em novidade de vida; não podendo ser de outro modo, pois de outra forma, o ensino bíblico inteiro da identificação do crente com Cristo e de sua união com Ele, não passaria de uma fantasia. Gálata 2.20: “... logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me ama e a si mesmo se entregou por mim.

Gálatas 5.24.25: E, as pessoas (cristãs) que são de Cristo, crucifircaram a sua natureza carnal (a carne) com as suas paixões e vontades. Se vivemos pelo Espírito de Deus, andemos também em Espírito. O Espírito de Deus no crente, que produz a união dele com Cristo, em sua morte e ressurreição, é uma força viva, e isso garante uma vida de santidade. Porém, se não existe vida santa para o cristão, temos o direito de duvidarde qualquer força viva atuante no crente, pelo menos no que se aplica à pessoa que permanece no pecado. 

João 3.15: PARA QUE TODA PESSOA QUE CRÊ EM CRISTO TENHA A VIDA ETERNA

QUE É A VIDA ETERNA?
A nossa grande esperança é aquele reino do alto, onde somente os nascidos de novo são capazes de entrar; destacando o significado da missão de Cristo nesta terra, que é a Salvação eterna da humanidade. Uma eternidade expressada por uma nova qualidade de vida: Onde? Nos Céus! Um Reino Celestial, habitados por pessoas transformadas que são chamadas de filhos de Deus; são homens regenerados que receberam o revestimento da natureza metafísica de Cristo. Fazem parte da vida de Deus, e esse tipo de vida é muito mais do que uma vida sem fim, pelo contrário, é uma forma de vida: na realidade, é a vida de Deus, em contraste com o tipo de vida com o qual estamos habituados nesta dimensão terrena. Essa vida está em Cristo, porque é em Jesus que encontramos o modelo e o padrão da vida eterna, conforme ela se manifesta na humanidade cristã; e é por essa razão que Jesus assumiu a nossa natureza humana, sofreu os rigores da existência humana em um corpo mortal, morrendo da “morte” de um mortal, e assim mostrou-nos o caminho, abrindo uma nova direção para o homem. Devemos entender que essa vida eterna significa que os crentes tornar-se-ão pessoas independentes, ou seja, tendoa vida em si mesmos, tal como Deustambém tem vida em si mesmo, conforme Ele propiciou tal vida ao filho, em sua encarnação como homem. Isso é o que nos ensina o trecho  de João 5.25-27:

JOÃO 3.16:PORQUE DEUS AMOU O MUNDO DE TAL MANEIRA QUE DEU O SEU FILHO UNIGÊNITO, PARA QUE TODO AQUELE QUE NELE CRÊ NÃO MORRA, MAS TENHA A VIDA ETERNA. Em face da alternativa da vida ou morte, o homem se torna responsável direto de suas escolhas, determinando seu destino. Tenho a obrigação de chamar sua atenção com a seguinte pergunta: o que você tem feito a respeito de desfrutar desse destino – sua vida eterna? – várias respostas podem ser dadas por você, mas a importância delas dirá respeito à escolha de seu próprio futuro, e, quem sabe até de sua família. Sim, você tem o livre arbítrio para decidir quando lhe achar conveniente é certa sua decisão; mas medite no que o Senhor Deus diz em Lucas 12.20.a: “... há uma ameaça constante de morte súbitaa todas as pessoas”! A morte pode ocorrer repentinamente! Sem mandar recados? Brown ensina: O desaparecer súbito duma pessoa tem o propósito de expressar não somente a insensatez de contar seguramente com o futuro, mas também de investir toda a sua alma naquilo que a qualquer momento poderá desaparecer.

Provérbios 27.1: Não conte vantagem a respeito dos seus planos para o futuro, pois você não sabe o que vai acontecer amanhã!

João 3.16: Aprendemos que para amar a Deus, é necessário também amar aos nossos semelhantes, Amar, consiste em ter pelos outros a mesma preocupação que temos por nós mesmos. Fácil nos é amar o eu, cuidar do eu, vestir e alimentar o eu, esforçar-se pelo bem estar do eu. Isso ocorre conosco de modo natural e instintivo. É necessário que aprendamos a exercer essa mesma preocupação pelos nossos semelhantes; e é justamente ao aprendermos isso que nos tornamos mais parecido com o nosso Deus, que amou de tal maneira ao mundo; pois, amar aos nossos semelhantes, ao mesmo tempo estaremos amando a Deus. Esse é o mandamento maior, a lição mais profunda e a grande atitude requerida do homem. “... de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito...”. Essa frase descreve a profundeza do amor de Deus. É necessário que o amor se divulgue profunda e amplamente a fim de provocar essa forma de ação. Temos aqui ilustrado o dom supremo e a expressão suprema do amor. Tudo quanto o pensamento humano já pôde acolher no sentido de ternura, perdão, amor, nas relações entre um pai e seu filho único – isso nas condições atuais desse mundo terreno – serve apenas como uma aproximação da verdadeira idéia do amor de Deus. Sim, a verdadeira ideia está infinitamente além de tudo isso; porquanto o amor ao mundo deu em sacrifício o amor do Filho unigênito. O verdadeiro caráter do amor consiste em dar-se de maneira permanente; por esse motivo o Apóstolo Paulo diz que o amor se mostra paciente, é bondoso, não inveja, não se mostra altivo, não busca seu próprio benefício, não contempla o mal;pelo contrário, suporta tudo, acredita em tudo, espera tudo. Embora possanos exaltar as virtudes da fé e da esprança, contudo, o amor é o maior desses três princípios, elevando-se muito acima dos outros. “Deu seu filho unigênitio por nós”. Muitas pessoas, ainda com as marcas pelas perdas em sua alma, ao meditarem sobre seus mortos, podem entrar profundamente no espírito deste versículo, sem a necessidade de qualquer interpretação, e, ouvindo-o, podem olhar na direção de Deus com compreensão. Deus nos deu o seu próprio filho, tanto para viver entre os homens, como para assumir a natureza deles, como para ser o pioneiro no caminho e o próprio caminho para a vida eterna, como para ser a expiaçao pelos nossos pecados. Ele foi inteiramente dado na vida e na morte, e também na sua ressurreição, visando o benefício do homem. “para que todo aquele que Nele creia (fé) não pereça”. Deus teve misericórdia da humanidade. NB: A fé é aqui encarada como expressão maior na vida dum indivíduo, fazendo movimentar a presença do Espírito Santo em sua direção, levando-o a se regenerar, eis que se apresenta diante de Deus, como um pecador arrependido. A fé é uma manifestação convincente desse indivíduo, de seu ser espiritual, numa forma de comunicação espiritual mútua, entre Deus e ele, de tal forma que este homem assim aprende a confiar em Deus, ao passo que Deus aponta para seu Cristo declarando: Ele é seu caminho, Ele é a verdade da tua existência, Ele, a Cristo, é o teu destino. É então você? Por que não (?) pode responder, ao compreender a iluminação espiritual que vem de Dele: É justamente isso que desejo. Quero ser moralmente como Ele é. Quero compartilhar de sua natureza, de sua essência; quero ser transformado segundo a sua imagem. Essa sua confissão, equivale em muito mais do que o reconhecimento de quaisque declarações doutrinárias, porquanto reflete na manifestação de sua alma. Assim, na pessoa de Cristo, chegamos a conhecer o plano de Deus relativo aos homens, e é em Cristo que encontramos nosso caminho. A Fé é maneira apropriada de enxergar, compreender e aceitar todas essas verdades. Em Apocalipse 19.13: João vê o Senhor Jesus ressurreto no céu e diz: “Está vestido com um manto tingido de sangue, e o seu nome é a Palavra de Deus”. João 6.63: “... as Palavras que Jesus disse e que se encontram escritas na Bíblia referem-se a uma Vida Espiritual...”. “não pereça... não morra...”. Temos neste versículo a porção negativa da declaração, porque as Escrituras ensinam a realidade do julgamento e da recompensa. Neste mundo é evidente que a justiça não é feita; mas, há um Juiz capaz de julgar e recompensar; e esse Juiz é o Senhor Deus. Existe a IMORTALIDADE conforme Deus descreve em 2 Coríntios 5.1-10: medite nelas. O ser espiritual duma pessoa, seu homem interior, seu espírito sua alma, a pessoa real aos olhos de Deus, EXISTE e sobrevive à morte física 2 Coríntios 4.16: Vida Eterna! O morrer em seu aspecto mais sério, consiste em perder o Grande Destino que a pessoa possui, na pessoa de Cristo, por pura falta de compreensão e atitude às realidades espirituais.

Romanos 8.32: Ele nos deu seu Filho para que participemos da Eternidade.

João 14.6:
Thomas Kempis escreveu: Sem o Caminho não pode haver avanço; sem a Verdade não pode haver conhecimento; sem a Vida não pode haver a vida. Eu Sou o Caminho que deveis procurar; Eu Sou a Verdade na qual deveis crer; e Eu sou a Vida, na qual deveis pôr as vossas esperanças.Jesus é o caminho para Deus, o qual é o destino final dos cristãos.  Em sua própria pessoa, Cristo Jesus combina tudo quanto os homens precisam saber crer e ser, tanto no que diz respeito à natureza de Deus e em como chegar à natureza e a posse da redenção e da glória eterna. “E a Vida!”. Trata-se duma vida necessária, essencial, por ser um tipo de vida que não pode cessar, não deixa de existir. É independente, não dependendo de qualquer outra realidade para sua continuação e renovação. Esta Vida tem continuação própria e renovação por si mesma. Somente Deus tem essa forma de vida, a qual é chamada de Vida Eterna, não somente porque não tem princípio e nem fim, se tratando de uma espécie de vida: a Vida que Deus conferiu ao Senhor Jesus, e que o Senhor Jesus, por sua vez, pela autoridade que recebeu da parte do Pai, confere a todos os homens que Dele se valem, a fim de recebê-la. Dessa forma, os libertados do cativeiro de Satanás, pela sua união com Jesus Cristo tornar-se-ão verdadeiramente eternos, tal como o próprio Senhor Deus é Eterno. Ora, Jesus nos dá essa vida, e ela se encontra na sua própria pessoa. Hoje, não temos conhecimento humano para descrever esse tipo de vida que teremos após a perda do corpo terreno, somos apegados a essa vida no corpo físicocomo se fosse única? E aí? Muito pouco se fala a respeito dessa eternidade que Deus concede em sua Palavra, como se fosse umarealidade espiritual sem um significado próprio! Há uma hesitação em recebê-la! É como a pessoa não querer se aprofundar num assunto que diz respeito à sua própria existência! (?), um modo vacilante como se não houvesse explicação! Indecisão!1 Coríntios 15.32.34: “Vamos comer e beber, pois, quem sabe amanhã morreremos”! Não se enganem as más companhias estragam as virtudes e as decisões espirituais de muitos cristãos. Vigiai justamente e não pequeis; porque alguns de vocês ainda não têm o conhecimento de Deus: digo-o para vossa vergonha. Muitos crentes estão vivendo como que, sua morte física, não fosse uma realidade terrena manifesta por Deus –Hebreus 9.27: Não acontece? Ah, sim, mas vida eterna “é algo diferente” “sic”, é uma vida nas regiões celestiais, que não conheço! Alguém conhece? Mas, está manifestado por Deus acontecer! Não é Verdade, hein? Por que a perplexidade? A vida após a morte não te cai bem? Vais deixar fora de teu destino? Dizes: Tenho escutado tantas coisas diferentes, fico confuso inseguro (a)! Então dê ouvidos ao que o Senhor Nosso Deus diz em sua Palavra. Escute a sua consciência. Você, leitor deve deixar-se esclarecer por seu próprio homem interior, seu ser espiritual que trata de tua existência espiritual, se é que você assim se aceita! Você tem alimentado o teu espírito? Mateus 4.4: diz o seguinte: O ser humano precisa não somente de alimento para seu corpo físico, mas, acima de tudo, de alimento (entendimento) espiritual, que vem das mensagens de Deus. Se você não entende a sua própria espiritualidade hoje, aqui e agora, lá, depois de tua partida, vais ser recebido onde? Por quem? Ou realmente pensas nada disso existir?Ou dizes, “afasta de mim este cálice”, afasta de mim esta decisão de continuar vivendo! Pode? Hebreus 9.27:“aos homens está ordenado morrer uma só vez”. Apocalipse 2.11:“Quem confiar em Deus e seguir a Jesus Cristo não receberá o prejuízo da segunda morte – a morte espiritual”. Tiago 1.7: Na dúvida não pense o homem que receberá alguma coisa do Senhor. Colossenses 1.5.b:“Você está ouvindo falar a respeito da esperança que o Evangelho de Cristo lhe oferece”. Por isso a fé e o amor que você tem estão firmados naquilo que Você espera de Deus, e que está guardado para você nos Céus, nas regiões celestiais. Efésios 1.3: Medite.

Gálatas 5. 25: O Espírito de Deus que te deu a vida, controle também essa vida.

Toda pessoa que der ouvidos a estas palavras jamais provará da morte.

Jesus Cristo é a Vida, tanto a futura como o princípio e a fonte originária de toda a vida, pelo que também aquele que não se aproximar de Deus por intermédio Dele, está sujeito à condenação, à morte espiritual. “... ninguém vem ao Pai se não por mim...”. Os homens que não atingem esse alvo ficarão aquém do destino preparado por Deus na criação original, porque o homem foi feito à imageme semelhança de Deus, sendo representado em sua pessoa pela pessoa que é Cristo, em tudo quanto Elefoi e fez, bem como em tudo quanto Cristo é e está fazendo. Assim, o homem não participando dessa glória fará parteda morte espiritual; significando Isso que seu alvo é Deus Pai. E é exclusivamente por intermédio de Cristo que esse objetivo eterno pode ser atingido. Aceitar de livre vontade um risco (perder a eternidade/salvação?) em nome da curiosidade, adivinhação, ou dando ouvidos a espíritos enganadores!correr o risco de estar errado; apostar (sem envolvimento de dinheiro ou bens, mas somente pela posse deter razão no que acredita); duvidando (sentido desafiador); desafiandoa Deus pela posse da razão? E, muitas pessoas tem essa capacidade de desenvolver em seu espírito, o engano, a mentira, fazendo-as verdade! Gálatas 6.7-8: Amigo, não se engane ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa decidir no sentido espiritual por sua natureza humana, é isso que lhe será manifesto em sua existência, no caso a perda de sua eternidade. E o que vai colher? Apocalipse 21.8: morte espiritual. Porém, tomando a decisão correta de aceitar a Deus através de Cristo Jesus, respeitando em sua vida a presença do Espírito de Deus como sua habitação presente, terá a eternidade acompanhada do próprio Espírito de Deus.
A Salvação de Deus em Cristo Jesus.
Hebreus 2.1: Por isso devemos prestar mais atenção nas verdades que temos ouvido, para não nos desviarmos delas. Considerando-se a grandiosa origem de nossa salvação, considerando-se que não existe outra fonte,considerando-seque até mesmo os anjos dos céus estão envolvidos, procurando trazer essas realidades espirituais à nossa atenção, temos que dar especial dedicação ao que estamos ouvindo da Mensagem do Evangelho de Cristo. Tenhocerteza de que a vontade maior duma pessoa é participar de sua eternidade, após suapassagem terrena. Impossível uma pessoa não aceitar essa dádiva de Deus em Cristo Jesus, como seu destino. Ficar no meio do caminho dando atenção a espíritos enganadores? Nem Pensar, quanto mais ouví-los!Não deixe um espírito maligno chamado dúvida fazer parte de suas decisões. Você Apocalipse 3.20: pode recorrer a Cristo Jesus: O ACEITE NA SUA VIDA. Portanto, maior atenção deve ser dada a Cristo e à sua Palavra. Digo-lhe é de Jesus que você precisa para sua completa salvação – não será a igreja o pastor e quem quer que seja – Você precisa ter propósito específico de receber a Cristo e consequentemente a seu Espírito Santo para a sua eternidade. Marcos 11.22: Ter Fé naquilo que Deus diz. Se o seu bem estar espiritual forrealidade importante para sua existência, então você deve dar ouvidos a Cristo e à sua Mensagem. Amém. Medite nisso.

O que temos ouvido, e concordado, deve ser atendido e então posto em prática. Ler com atenção a esta revista que tem a participação do Senhor Espírito de Deus. Reler para fazer correções espirituais através de sua mente/alma. Repassando como se fosse aulas didáticas, dando chances João 14.26: ao Espírito Santo de vos ensinar. Fé. Creia na Palavra de Deus e fique atento às suas respostas;sempre consultando a Bíblia para não dar chances a espíritos estranhos. Há uma vida cristã a ser vivida, e que é o resultado natural de fé em Cristo. Dar atenção à mensagem cristã significa dar, igualmente, atenção ao que ela implica na sua vida diária. Se não houver “resultados esperados” o indivíduo não se demorará a desviar-se, chegando a pensar: Cristo me decepcionou; e, por conseguinte, a sua doutrina é falsa “sic”. Aconselho a toda pessoa que deseja sua liberdade espiritual em Cristo Jesus, saber que não será fácil desgarrar-se do Diabo, a quem servia. Entenda o que vem do Espírito: Efésios 2.2: No tempo da ignorância espiritual,andávamos pelos maus caminhosapresentados por este atual mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, o espírito chamado a Satanás que através de seus demônios controlam os que desobedecem a Deus. A falta de instrução na maioria das igrejas, e a “recusa” dos ministros em se aprimorarem em seus ministérios, têm levado muitas pessoas a caírem nesse estado de desvio em potencial, que é a rota da apostasia, afastar-se de Deus. Se, nós cristãos estivermos atentos, poderemos levar nossa vida cristã pelos caminhos do bem-estar eterno, à terra da segurança. Mas, se nos mostrarmos negligentes seremos afastados de nosso porto seguro. A Salvação está ao nosso alcance, mas pode ser perdida devido à nossa própria negligência. 1 Coríntios 10.12: portanto vigiai, pois, não há nada de que Satanás tanto goste como um crente negligente com sua espiritualidade; e conhecemos bem as tendências de nossas naturezas humanas de sermos levados ao sabor das coisas terrenas para longe do Evangelho. O desvio é um sinal de morte, dar ouvidos ao Evangelho é um sinal de Vida. Pense!
HEBREUS 2.3: Sendo assim, como é que nós escaparemos do castigo se desprezarmos uma salvação tão grande? Primeiro, o próprio Senhor Jesus anunciou essa salvação; e depois aqueles que a ouviram nos provaram que ela é verdadeira.

1 Timóteo 2.5: Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus,
Basta um só Mediador, o qual é o Deus homem Jesus Cristo, que participa da natureza divina e da humana, estando apto para desempenhar a sua missão restauradora do homem junto a Deus, ainda que homem esteja muito afastado do Senhor Deus. Contudo, Cristo é o único mediador que tem o poder de restaurar o homem por si mesmo, não precisando de quaisquer ajudapara realizar sua missão. Este versículo tem sido usado contra outros sistemas religiosos, orientados para o politeísmo (vários deuses). Também se sustentam através dele, ideias como de muitos outros mediadores como santos, santas, sacerdotes humanos, que são doutrinas que caracterizam o catolicismo romano. 2 Coríntios 5.17.18: Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! Tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação. Cristo, na qualidade de mediador, torna realidade os propósitos salvadores de Deus para os homens.  Sua missão terrena inteira foi efetuada dentro dos propósitos dessa mediação. Mas, nos céus, Cristo continua ocupando a posição de mediador, intercedendoincessantemente por seus remidos (Romanos 8.34). O Espírito de Deus também intercede por nós, em nome de Cristo (ver Romanos 8.27), e isso envolve nosso progresso espiritual em nossas necessidades diárias. Já a passagem de Hebreus 9.15: ensina-nos que Cristo é o mediador do Novo Pacto ou do Novo Testamento, como realidade espiritual incluída em seu trabalho de reconciliação, porque isso é que dá aos homens o direito à herança eterna, através das provisões, do que se encontra escrito, no seu testamento: Cristo Morreu por nós. Todo o bem-estar espiritual nos é proporcionado através de seu ofício de intermediador. Como um último aspecto, o verdadeiro acessa a Deus Pai nos é dado através de Cristo, permitindo-nos que nos tornemos habitação de Deus. Efésios 2.22; Assim, também somos todos unidos com Cristo, para nos tornarmos uma casa onde Deus vive por meio do Seu Espírito. Amém. A humanidade de Cristo também é importante porque tornou visível para nós o fato que tudo quanto Ele fez e é, existia em sua humanidade, fortalecido pelo Espírito Santo, e isso significa que tudo quanto Ele fez pode ser feito pelos homens, da mesma maneira, através do desenvolvimento espiritual. Na qualidade de ser o primeiro homem às regiões celestiais, Ele mostrou-nos o caminho e como podemos assumir a natureza divina e obtendo dessa maneira, um poder ilimitado. Estamos destinados ao mesmo destino que Ele, embora deva Ele preservar seu senhorio, por ser Ele o cabeça de toda a criação. Temos uma eternidade colocada por Deus, em Cristo Jesus, à nossa disposição após a perda de nosso corpo físico, mas, como estamos demonstrando por todas as mensagens de Deus, vai depender de a própria pessoa decidir. João 11.25-26: Jesus afirma: Eu Sou a ressurreição e a vida. quem crê em mim, ainda que morra, viverá. E quem vive e crê em mim nunca morrerá. Você deve acreditar nisso. Jesus está falando contigo. Lucas 16.27-28: Arrependimento é nessa vida!

Hebreus 9.15: A morte de Cristo e a Nova Aliança.

O Senhor Jesus Cristo é mediador de um Novo Pacto, para que, intervindo pela suamorte para remissão (perdão) das transgressões cometidas pelas pessoas debaixo do primeiro pacto (Antigo Testamento), os chamados recebam a herança da vida imortal e eterna.

O Espírito Santo funciona como a nova leique confirma e dá forma à Nova Aliança (Romanos 8.2) e, que na qualidade de álter ego (outro eu) de Cristo, Ele torna real para os crentes, mediante comunhão espiritual, tudo quanto Cristo lhes confere. Na qualidade duma pessoa viva, real e espiritual (um Espírito), o Espírito Santo faz a Salvação por meio de Cristo tornar-se uma realidade viva, um processo espiritual que é necessário para a manutenção da vida eterna do homem. Então, porque o sangue de Cristo limpa a consciência do homem das obras mortas, e assim pode aproximar-nos de Deus; já que no antigo pacto, que se utilizava do sacrifício de animais, era inadequado.
Cristo é tanto aquele que faz o testamento como o mediador do pacto testamentário. O mediador precisava participar das características divinas e da parte humana, a fim de trazer o divino ao humano. Deus é elevado demais e Santo para que Dele o homem se possa aproximar em sua condição presente. Ele precisava de alguém que fizesse no homem o que deve ser feito para se achegar à presença divina, a saber, perfeito. O sacerdócio de Cristo (Ver Hebreus 2.17:) é a mediação. Está aqui envolvida sua missão terrena, sua expiação e a aplicação disso no Santo dos Santos Celestiais. Mas também está envolvida a sua natureza divina, pois na qualidade de Filho de Deus, Ele faz a mediação a favor dos filhos de Deus, que Ele conduz à Glória (conforme se lê em Hebreus 2.10: e seguintes). O propósito da mediação de Cristo é fazer dos homensfilhos de Deus, participantes de sua natureza, isto é, para que seja estabelecida uma comunidade de natureza espiritual, uma família divina. Desse modo os homens recebem total acesso a Deus, podendo penetrar no Santo dos Santos celestial, o ponto culminante dos céus, já transformados no tipo de pessoas que podem habitar ali, isto é, pessoas dotadas de natureza elevada, maiores que qualquer anjo
. O que se manifesta é pra você! Melhor dizendo: todas as mensagens dizem respeito à sua Salvação, que quer dizer Sua Eternidade. Peço a Deus que me dê sabedoria pra você ter entendimento espiritual adequado, para fazer parte da família de Deus. Este é meu propósito, que me foi manifesto por Deus, fazer. Há uma chamada feita por Deus, que tem a virtude e o poder de produzir em condições normais e sem precisar de auxílio, determinado efeito para a garantia de suas promessas, ou seja, convocando os homens para fora do mundo e do próprio eu para a lealdade a Jesus Cristo. Isso capacita os homens a chegarem aos lugares celestiais, a fim de chegarmos à Sua presença, para sermos o que Ele é. Posto que Cristo é nosso mediador e testador, não há mais necessidade do antigo pacto. Sua aliança e seu ofício tornaram obsoletos o antigo pacto e seu sacerdócio. O novo pacto realizou aquilo que o antigo simplesmente tipificava. E uma vez que a realidade já foi instituída, que necessidade haveria ainda de tipos simbólicos.

Hebreus 8.6: Novo Pacto... Melhores Promessas.

Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores. Um pacto é um acordo entre duas partes sob certas condições, tendo em referência um alvo comum de bem estar. Neste pacto vigente, a Nova Aliança, o indivíduo precisa crer entregando sua própria alma a Cristo, a fim de que possa ser transformado em sua imagem moral e metafísica. Nessa transformação é dada a salvação prometida pelo novo pacto. As condições da salvação estão sendo expostas nas demais mensagens divulgadas nesta revista, em que o leitor deverá dar a devida atenção ao que o Senhor Nosso Deus, em Cristo Jesus, nos faz observar a obedecer, conforme escrito no Evangelho. Quanto à Nova Aliança, nosso pacto com Deus, em Cristo Jesus, apesar dos homens não poderem produzir nada que esse pacto exige, por si mesmo, a verdade é que ele está condicionado à Fé e à outorga da alma nas mãos de Cristo. É o pacto mosaico que também está em foco no presente contexto deste versículo, confrontado com o Novo Pacto. Fazia exigências impossíveis aos homens, transformando-os em escravos; não sendo capaz de dar-lhes força para resolver aquilo que o pacto reclamava como necessário fazer. Portanto, o pacto baseado na lei estava condenado ao fracasso. 2 Coríntios 3.6: NVI Ele me capacitou para ser ministro de uma Nova Aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica.

ROMANOS 4.7: Justificados gratuitamente pela sua Graça.

Feliz a pessoa cujas maldades Deus perdoa e cujos pecados Ele apaga.

A realidade fiel que as Escrituras nos apresentam sobre Davi, o homem escolhido, o homem leal, o homem de tantas experiências espirituais, ao agir cobiçosamente em adultério, e ao tentar encobrir o seu pecado com o mais desprezível e bem arquitetado homicídio, e então, ao recusar-se arrepender-se, por tanto tempo, mostra tal verdade. No entanto, Davi foi justificado. Disse: “Pequei contra o Senhor”. Mas disse Natan a Davi: Também o Senhor perdoou o teu pecado. Davi se voltou ao seu próprio “eu” profundamente arruinado para Deus, e recebeu a remissão (perdão) do pecado. Dali por diante, até o fim de sua vida terrena, ele foi castigado. Justificado pela fé! Davi com glórias ligadas ao seu nome, jamais será esquecido como o homem que se permitiu perder o autocontrole, tendo cometido os mais vis dentre os pecados. Ele mandou matar a um homem que lhe era fiel ao extremo (ver capítulos 11. e 12. De 2 Samuel) que confiava nele, que se arriscara por ele, depois de tomar-lhe a esposa. Justificação: Orlando Boyer. “Ato, pelo qual o homem, passando do pecado ao estado da graça, se torna digno da vida eterna”.

A justificação pela fé significa o ato da parte de Deus em que Ele declara como justos homens injustos, por causa dos méritos de seu Filho. Isso significa que por sua graça, mediante a fé em Cristo, Deus reputa reto aquele que é culpado.No Novo Testamento, o termo grego utilizado para expressar o ato de justificar é dikaioo, que significa “vindicar”, “inocentar”, declarar e tratar como justo. Romanos 8.33: Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.

Isso significa declarar alguém que é injusto, justo, pelos méritos de outra pessoa, neste caso, Cristo.Na justificação nenhum mérito da própria pessoa é considerado, mas unicamente os méritos de Cristo. Ele se fez maldito por nós, e sua justiça é perfeita. 2 Coríntios 5-21: Em Cristo não havia pecado. Mas Deus colocou sobre Cristo a culpa dos nossos pecados para que nós, em união com Ele, vivamos de acordo com a vontade de Deus. Para que Nele fôssemos feitos justiça de Deus.
É difícil para seres humanos imaginarem a barreira que o pecado levanta entre Deus e o homem. Os homens sempre se inclinam por desculpar suas más ações; a terem memória curta sobre suas ações pecaminosasA consciência humana sente grande dificuldade para ser suficientemente iluminada, a fim de que possa entender a ausência de luz, a gravidade e os adversos resultados dos pecados. Porém, precisamos apenas considerar que foi o pecado – transgressão da lei divina – que levou o homem a cair, que deixou o universo em sua situação abalada e maldita, que produziu as enfermidades, as tristezas, as tragédias, e a morte, de maneira resumida, todos os males que os homens são forçados a experimentarem, toda agonia e sofrimento porque atravessamos. No entanto, os homens enfrentam a questão do pecado com tanta superficialidade que a maioria dos seres humanos nunca chega a sentir a necessidade do perdão de seus pecados; ao passo que outros, em sua pior e enlouquecida sabedoria carnal, não reconhecem ao menos a existência do pecado, preferindo explica-lo através de outros termos como fraquezas humanas, desajustamentos, desequilíbrio de caráter, e muitos outros termos que evitam o correto vocábulo pecado, que indica a transgressão contra a vontade conhecida de Deus. Como podemos definir Pecado? Transgressão de uma regra religiosa; heresia, sacrilégio, blasfêmia, profanação, perversão, violação, culpa, falta, erro, falha, delito, infração, crime, ofensa, desvio, maldade, crueldade...! Os próprios pecados perdoados continuam exercendo efeitos sobre a vida duma pessoa, cumprindo a lei da colheita segundo a semeadura, embora, não se possa condenar a alma ao estado da perdição. O exemplo disso é a pessoa de Davi, cujos pecados lhe arruinaram a vida, apesar de seus pecados não pudessem lhe condenar a alma. Ainda sobre Davi!
No que diz respeito à questão do castigo contra o pecado, embora tal pecado não seja imputado ao homem justificado, devemos
considerar os seguintes fatos que revelam  às Escrituras: o profeta Natã prometeu que a espada jamais se afastaria da casa de Davi. E verdadeiramente assim aconteceu. Seu reino passou ser abalado por dentro por fora. Seus próprios filhos se rebelaram contra ele. Uma esposa favorita o abandonou. Quatro de seus filhos foram mortos; o filho que teve da esposa de Urias; seu primogênito Amom; Absalão; e, Adonias. Não obstante a essas realidades humanas, Davi permaneceu como homem justificado aos olhos do Senhor, a despeito do fato que teve de aprender a conviver com as consequências amargas do pecado: Isso acontece a toda pessoa. 

Romanos 3.25-26: PERDÃO DOS PECADOS.

Deus ofereceu Cristo como sacrifício para que, pela sua morte na cruz, Cristo se tornasse o meio das pessoas receberem o perdão dos seus pecados, pela fé Nele. Deus quis mostrar com isso que Ele é Justo. No passado ele foi paciente e não castigou as pessoas por causa dos seus pecados; mas agora, pelo sacrifício de Cristo, Deus mostra que é justo. Assim Ele é justo e aceita os que creem em Jesus.

Rodapé NTLH: “O meio das pessoas receberem o perdão dos seus pecados”. “Isso dá o sentido da palavra grega geralmente traduzida por “propiciação”, que quer dizer que a morte de Cristo fez desaparecer a ira de Deus contra o pecador”.“A palavra também pode ser traduzida por “expiação” que quer dizer que a morte de Cristo foi o sacrifício que pagou a penalidade que o pecador merece”. “A ideia principal é que por causa do seu pecado, a pessoa se afasta de Deus e nada pode fazer a fim de voltar para o Senhor”. “É o próprio Senhor Deus, que por meio de Cristo, acaba com o pecado e oferece ao pecador a oportunidade de voltar a Deus e ser aceito por Ele pela sua morte na cruz”. “Deus mostra com isso que Ele é justo”. “Para que os pecados fossem perdoados era necessário um sacrifício, o qual Deus mesmo ofereceu na pessoa de Jesus Cristo”.

“Deus mantém sua Justiça, ao mesmo tempo, salva os que creem em Jesus Cristo”.

Na morte expiatória de Cristo, pois, Deus providenciou o sacrifício necessário e pagou o preço requerido pela nossa salvação. Se por um lado fomos perdoados, por outro lado as exigências da justiça divina também foram satisfeitas. O sangue de Cristo significa sua vida santa, oferecida a Deus como sacrifício expiatório, pelos pecados do mundo. Quando Cristo morreu sobre a cruz, por causa de seu supremo valor, Deus aceitou Nele todos os homens, com a condição do exercício da fé. A santidade perfeita de Cristo torna-se a santidade do homem, ao mesmo tempo em que Cristo, que se fez pecado por nós, se tornou o ponto final da questão do pecado. A enorme dívida criada pela transgressão foi paga por Ele, e assim os homens, quando do arrependimento verdadeiro, podem apagar todos os seus pecados, de tal modo que nenhum deles possa ser lançado contra eles, e nem mais exercer o seu poder contra eles. Nesse sentido é que o pecador é libertado por Cristo. Às vezeso termo sangue simboliza tudo que a morte de Cristo realizou, mas a doutrina não pode ser reduzida a um simples simbolismo; deve incluir como temos mostrado nas demais mensagens, a ação mística do Espírito Santo, que efetua tudo que Cristoquer para os remidos. A expiação como se entende feita por Cristo é a base e causa dessa operação, e a palavra sangue simboliza tudo que as forças divinas fazem por nós.O que você tem feito a respeito de tua próxima Vida?

IMORTALIDADE, O ALVO DE TODA PESSOA.

1 Pedro 2.11: Cristão, pela nova vida em Cristo, você se tornou um visitante aqui na terra;seu verdadeiro lar está no céu; você deve empenhar-se com insistência para obter  esse favor que Deus lhe oferece em Cristo Jesus, continuando sua existência, após sua vida terrena. Portanto, se afastem dos prazeres malignos deste atual mundo dirigido pelo Diabo, essas coisas que você observa acontecer não são corretas para tua vida terrena, pois lutam contra suas próprias almas.

1 Pedro 2.9.b: Fomos escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus.

Romanos 12.2: BVP Não imitem a conduta e os costumes deste mundo, mas seja, cada um, uma pessoa nova/diferente, mostrando uma sadia renovação em tudo quanto faz e pensa. E assim vocês aprenderão de experiência própria, como os caminhos de Deus realmente satisfazem a vocês.
Não deixe que as influênciasdesse mundo formem teu caráter, tenha uma conduta digna, para que vocêexperimente qual seja a boa agradável e perfeita vontade de Deus para sua vida. Sede transformada a fim de mostrar que os caminhos do mundo são carentes de valores morais, mas, o conjunto de tuas opiniões, gostos, assim como seu modo de agir, viver e sentir não épor falta de ética e, sim, uma espécie real de forma, dotada de beleza toda sua, que não tem necessidade das complicações e modismo das realidades externas, as quais, nem bem aparecem, se transformam em nada. Essa transformação, pois, visa a natureza essencial do crente individual, e não apenas sua aparência externa. O mundo presente se caracteriza por uma série de condições, qualidades, costumes, padrões morais e espirituais degradados, corrompidos, maléficos etc..., que não estão de acordo com a ideia divina de bondade e moralidade, ou seja de valores espirituais inferiores. A era presente, considerada em seu conjunto, pode ser poderosa influência negativa sobre os cristãos, de tal modo que eles sejam simplesmente resultados desse ambiente, totalmente parecidos e conformados aos que não se dizem convertidos ou regenerados, que nem pensam em serem transformados segundo a imagem de Cristo.Permita-se entender meditando nessas realidades de forma compreensiva, se você realmente estiver interessado na eternidade. Pense!

Satanás desenvolveu essa fatal ordem mundial (João 8.43-47:) – a explicação de ser o homem sobre todas as coisas existentes, embora essas motivações se modifiquem com a passagem do tempo – com a sua ciência – deixando-se transparecer ser o criador de tudo – com o seu governo, onde o homem exalta a si mesmo; com suas diversões, adaptadas a apagarem da mente dos homens as grandes realidades da vida; e com sua religiões, visando ocultar da consciência humana eliminando todo o temor do homem do juízo. Enfim não se deixe “amoldar-se” a essa ordem satânica, que se tem apresentado ao mundo: não é visível a Você? Comprove! À nossa volta, os homens organizam a sua vida diária de maneira que dão a entender que Deus está morto, ou, pelo menos que Deus pode ser ignorado com toda segurança. O próprio vocábulo “transformai-vos” dá-nos a entender um processo gradual mediante o qual nosso estado de alerta é desarmado, através dos momentos de nossa vida diária e em tudo no que acontece e tomamos conhecimento; que vamos aceitando, concordando sem nos dar conta, ante as coisas exigidas pelo mundo. Pense! A sociedade humana, de acordo com a sua organização afastada de Deus, impõe sobre nós padrões, e que gradualmente muitos crentes estãopassando a pensar e a agir segundo suas regras. No cristianismo de nossos dias não existe maior fraqueza do que o fato que tão grande número de membros de igrejas evangélicas aceitarem, sem qualquer discussão, a atmosfera dominante, intelectual e social de nossa época. “... pela renovação de nossa mente...”. Essa renovação é de caráter espiritual, assumindo o aspecto de reformas, em que as faculdades mentais e espirituais, as faculdadesimateriais do indivíduo, são afetadas para melhor. Isso é mais que a renovação intelectual, porque também deve ser ação do homem interior, sua alma e seu espírito, a verdadeira essência intelectual do ser humano. Na realidade, é a própria alma e o espírito do homem que terá de passar por essa renovação do Espírito Santo, e assim o intelecto do homem não mais será escravo das influências do mundo pagão. Se ofereçam a Deus como um sacrifício vivo, mostrando que a verdadeira adoração dos cristãos é uma vida de serviço a Deus.

IMORTALIDADE, O ALVO DE TODA PESSOA.

HEBREUS 9.27: NTLH CADA PESSOA TEM DE MORRER UMA VEZ SÓ E DEPOIS SER JULGADA POR DEUS. A SALVAÇÃO O ALVO DE TODA PESSOA. O homem tem o direito a continuar desfrutando de sua existência. A morte física afeta somente o corpo terreno, não sendo nem a cessação da vida e nem da consciência. Medite Lucas 16.19-31: A alma e o espírito vivemindependentes da morte do corpo terreno, o qual é descrito como “tabernáculo”, tenda, no qual esse “eu” espiritual de toda pessoa habita. Realidades espirituais a que toda pessoa deveria ter entendimento a respeito. Há uma Vida Humana “na terra”, vivida através do corpo físico; e, após a perda desse corpo (morte),o homem interior de toda pessoa 2 Coríntios 4.16. ARC parte para aquelas regiões celestiais. A terra é o primeiro estágio da vida duma pessoa, um período preparatório para a continuação de sua existênciapós Morte. Breve comentário. O pecado entrou no mundo trazendo a morte, que é um resultado natural. Todos os homens morrem; e essa morte simboliza a morte eterna daqueles que rejeitam a Cristo e a sua Salvação. A morte reina sobre este mundo: a física e a espiritual, e isso deve ser de conhecimento a todos.Mas, eis que interveio um poder maior, que reverteu tudo isso, ou seja, retomou esse poder de Satanás, a saber, a retidão e a vida que vem por meio de Cristo, mediante o que a graça reina e excede para a Vida Eterna. A morte física é apenas uma passagem para os Céus, pois, na realidade não há morte. O verdadeiro homem, seu ser espiritual continua vivo. Apocalipse 1.17-18: Quando eu O vi, caí aos pés dele como morto; porém Cristo pôs a mão direita em cima de mim e disse: Não tenha medo! Embora eu seja o Primeiro e o Último, o Vivente que morreu que agora está vivo para sempre, que tem as chaves do inferno da morte - não tenha medo. Então você já se decidiu participar da vida eterna?

1 Pedro 2.11: Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais  das concupiscências carnais que combatem contra a alma. Bem, O Espírito Santo, nos adverte que todo crente, para ser autêntico, terá de sentir-se como estrangeiro/ peregrino neste mundo. Aqueles que não são peregrinos, dificilmente podem pertencer ao grupo seleto dos eleitos. A pessoa que somente observa a batalha espiritual, jamais obtendo uma vitória no conflito contra o mal, dificilmente pode ser considerado como irmão de Jesus Cristo. Existem adversários espirituais e humanos, que fazem guerras contra as nossas almas e que ameaçam a nossa salvação. O verdadeiro crente, entretanto, vence a todos eles. Apo. 2.17: “aquele que vencer”, é a descrição do crente genuíno. Coisa nenhuma foi prometida àqueles que não vencerem. Não existem cristãos legítimos, senão aqueles que vencem. Talvez tenham de se sair perdedores em muitos combates, mas jamais desistem da batalha: suas vidas são vitoriosas. É isso que o Evangelho requer de nós. Não se engane a esse respeito, a alma pode sofrer prejuízo e até ser uma das vítimas dessa guerra. O poder do pecado e das forças malignas é perfeitamente real em nosso mundo; e nenhum homem se acha tão elevado e é tão piedoso, que esteja livre dos ataques da iniquidade. Assim também em Efésios 6.11-12: a figura da guerra espiritual é empregada com ênfase sobre a armadura apropriada e necessária, para que possamos resistir aos ataques do inimigo. A história da humanidade consiste essencialmente na descrição da luta entre as forças do bem e as forças do mal. A lealdade do homem deve ser dada ou a Deus ou às forças adversárias do mal. Vê-se, pois, que as concupiscências (ambições ou desejos desmedidos; ganância por poder, dinheiro, cobiçalibidinagem carnal) podem abater a alma), levando-a ao cativeiro, furtando-lhe sua liberdade espiritual, alienando um homem de Deus, de outros homens, e até de si mesmo. Esses desejos degradados podem excluir-nos dos Céus, tornando-nos exilados espirituais. Esses são os inimigos da paz, do consolo e do bem-estar espiritual da alma; que por estar no corpo físico, atacando o próprio ser espiritual dessa pessoa, sendo os piores adversários que o homem tem, então, devemos manter-nos vigilantes quanto a eles.

Romanos: 7.21-23: Acho então esta lei em mim, que, mesmo eu querendo fazer o bem, o mal está comigo. Porque, de acordo com o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas, vejo nos meus membros outra lei guerreando contra o meu entendimento, me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros.

É uma condição angustiante que só pode ser resolvida Por Jesus Cristo.

IMORTALIDADE, O ALVO DE TODA PESSOA.

APOCALIPSE 2.11: QUEM TEM OUVIDOS, OUÇA O QUE O ESPÍRITO SANTO DIZ

O QUE VENCER, DE MODO ALGUM SOFRERÁ O DANO DA SEGUNDA MORTE. 

O vencedor aparece como alguém que não pode ser atingido pela segunda morte, o que não é nenhuma promessa pequena. Tremendas bênçãos espirituais são prometidas aos vencedores; e são oferecidas exclusivamente a esses. Que diremos sobre os restantes dos cristãos? A resposta é clara: essas bênçãos espirituais nas regiões celestiais não poderão ser oferecidas àqueles que não se atiram à batalha a fim de vencerem.
O arrependimento nada será se não resultar em conversão genuína. A conversão nada será se não resultar em santificação. E, na vida cristã, a lealdade a Cristo precisa ser mantida a todo custo, pois que de outra maneira, não poderemos ser transformados segundo a imagem de Cristo, assim chegando ao estágio superior de glorificação. Somente os vencedores, é que são os verdadeiros crentes; os demais são apenas espectadores da igreja. Supostamente se converteram, mas apenas supostamente. Na Bíblia, estão todas as demais questões que envolvem a Salvação. Nas revistas Semeando a Palavra de Deus você encontrará estudos bíblicos como auxílio complementar. Então que falta decidir teu futuro? Você tomar decisões! Insista, persista, mas nunca desista só assim você conseguirá! Fé! Somos Cristo; Cristo em formação, filhos de Deus. Cristãos. Lembremo-nos da vida Dele; foi uma vida magnífica, que antecedeu a sua morte. Sua vida deve ser vivida por nós, hoje em dia. Para o mundo nós somos o Cristo que os homens conhecem. Então: A primeira morte, a morte física, não prejudica o crente. A morte não mata. A segunda morte (a morte espiritual) não exercerá qualquer domínio sobre ele. Marcos 11.22.

O GRANDE SEGREDO DESSA VIDA É A MORTE FÍSICA, SABENDO QUE DEPOIS DELA A EXISTÊNCIA DUMA PESSOA CONTINUA.

IMORTALIDADE, O ALVO DE TODA PESSOA.

2 Coríntios 4.16: Por isso não desanimamos, ainda que o nosso homem exterior se esteja consumindo, o interior se renova dia adia.

Não perdemos a coragem! Por quê? Por causa da nossa fé e da esperança que temos na vitória da vida sobre a morte e dos sofrimentos que passamos. Observamos claramente a verdadeira felicidade e a verdadeira coragem, que não podem depender das circunstâncias externas de nossa vida mortal; dependendo sim do destino espiritual que vamos dar ao nosso homem interior. 1 Tessalonicenses 5.23: Neste momento informo a você que toda pessoa é um espírito, o homem real, possuindo alma que cuida do nosso âmbito mental, nosso intelecto, as sensibilidades e a vontade, que raciocina e pensa. A alma équem dá suporte ao homem exterior, nosso corpo físico, a casa em que habitamos, a porção do homem que conhecemos, que lida com o âmbito físico. A alma também atende aos anseios e desejos do espírito humano, ou seja, a dimensão do homem que lida com o âmbito espiritual. O espírito que se relaciona com Deus. Não pense que você é só aquilo que é retratado num espelho. Não se considere simplesmente como uma pessoa física, mas espiritual, que possui uma alma, habitando num corpofísico apropriado como sabemos para esta vida terrena. “... se esteja consumindo, se corrompendo...”. O corpo não tem condições de resistir aos ataques do tempo e das enfermidades físicas: Cada pessoa tem seu tempo de vida apropriado. Uns mais outros menos. Mas, a morte um dia chegará. “... homem interior se renova de dia em dia...”. A porção imaterial da natureza humana. Neste contexto, o homem interior, aqui como homem redimido, sujeito ao poder transformador do Espírito Santo. A carne vai decaindo, morrendo, mas o espírito humano se vai expandindopara uma vida mais completa. Esses dois fatos estão vinculados entre si. A energia do corpo gasta em favor de Cristo e no trabalho do reino vai sendo transformada na energia do espírito (humano) vivo. O espírito humano não pode envelhecer, mas vai sendo sempre renovado em sua juventude, pois pertence ao mundo eterno, e não a este mundo do tempo e da dissolução; e o Espírito Santo é o agente dessa renovação. O horror da morte, que persegue a todos os homens, e, que um dia chega para todos; para nós cristãos, na realidade será um motivo de alegria, visto que nos libera para uma vida superior, com o rosto voltado para a eternidade.

IMORTALIDADE HUMANA 2 CORÍNTIOS 5-1-10.
Números 23.19: NVI Deus não é homem para que minta, nem filho de homem para que se arrependa. Acaso Ele fala, e deixa de agir? Acaso promete, e deixa de cumprir?

IMORTALIDADE DA ALMA tem o intuito de complementar os escritos contidos no livreto de Dra. Marilyn O Dell: Você Irá Para o Céu quando Morrer?

2 Coríntios 5.1: NTLH De fato, nós sabemos que, quando for destruída esta barraca em que vivemos, que é o nosso corpo aqui na terra, Deus nos dará, para morarmos nela, uma casa no céu (um novo corpo para revestir nosso ser espiritual: espírito/alma). Essa casa não foi feita por mãos humanas; foi Deus quem a fez, e ela durará para sempre. O nosso corpo físico caminha para a morte Hebreus 9.27: Está dito aqui a imortalidade que deve ser o alvo de todas as pessoas. Não confundir imortalidade com a ressurreição de nosso “corpo físico” que é tratado no capítulo 15 de 1 Coríntios. Viver para sempre esta é a promessa! Mas, há condições espirituais a serem observadas. Este corpo físico que conhecemos é temporário; teremos da parte de Deus um templo eterno, sem fim – um corpo espiritualizado – para abrigar nosso ser espiritual. Então, dentre todas as verdades contidas na Palavra de Deus, o fato e o significado da imortalidade são as melhores e mais profundas promessas para a continuidade de nossa existência; naturalmente, como está escrito, é de imediato, após a perda do corpo terreno, como o Senhor nosso Deus nos faz saber; mas você tem que estar preparado para esse momento de sua existência nos céus.

Deus preparou um caminho para pessoas que desejarem ir para o céu quando morrerem.

2 Coríntios 5.2: Por isso gememos enquanto vivemos nesta casa agora, pois gostaríamos de nos mudarmos para a nossa nova casa no céu. Aquela casa será o nosso corpo celestial,

Por Que a Nossa Alma Geme? – manifesta sofrimento, dor –! Em virtude do nosso corpo físico ser limitado às condições de violência urbana e aos desastres ambientais, pela fraqueza, nossa fragilidade humana, pela dor,  pelas enfermidades, mal  estar físico e psíquico, aflições, agonias, depressão, estresse, uma vida de incertezas, de receios, sempre pela expectativa de perigos iminentes e diante dos quais nos julgamos indefesos e, continuamente pela ameaça de morte.  

Imortalidade: não morrer ou não ser sujeito à morte. Então, o corpo celestial espiritualizado que receberemos de Deus para nosso ser espiritual, será eterno. Dentro desse contexto o apóstolo Paulo manifestou sua vontade em Filipenses 1.23-25: Quero muito deixar esta vida e estar com Cristo, o que é bem melhor; porém, por causa de vocês, é necessário que eu continue a viver, e assim ficarei com todos vocês para ajudá-los a progredirem para aquela vida espiritual nos céus.

Na  morte, o ser espiritual duma pessoadeixará seu corpo sem vida, continuando a existir.
Onde viveremos, entretanto, cabe a nós decidir, não a Deus

2 Coríntios 5.3: Porque nós não seremos apenas seres espirituais sem corpos.

Não é simplesmente passarmos para o mundo espiritual despidos, e, sim é de sermos revestidos: em que a nossa alma receberá o revestimento do corpo espiritual para avida nos céus.

Você está sendo chamado a participar dessa vida... é sua a escolha!

2 Coríntios 5.4: BVPEste nosso corpo terreno nos faz gemer/suspirar, não gostaríamos de pensar em morrer e depois não possuir corpo algum. Desejamos revestir-nos do nosso novo corpo, de maneira tal que este corpo mortal seja, absorvido pela vida eterna, imortalidade.

Bloomfield ensina: Enquanto estivermos neste corpo terreno, embora gemendo debaixo da carga de muitas aflições, contudo, o nosso desejo não é tanto o de nos desfazermos deste corpo, e assim nos virmos libertos desses males, mas antes, a nossa ansiedade consiste em sermos revestidos de um corpo celeste, a saber, o nosso corpo que não se deteriora, não morre, que tem vida eterna.

Romanos 8.1-39: Mas você tem que mudar suas atitudes espirituais.

2 Coríntios 5-5: Isso é o que Deus preparou para nós e, como garantia, Ele nos dá o seu Espírito Santo. Porquanto Deus é a fonte originária de toda a vida, da vitória e do bem estar espiritual de toda pessoa. Quero que você saiba, você descrente, afastado de Deus, não existir imortalidade digna de ser possuída, vivida, se não for acompanhada do Deus Altíssimo, através de Cristo Jesus 1 Timóteo 2.5: visto que Ele é quem garante que a eternidade será um autêntico portão para uma existência superior e mais proveitosa do que esta que vivemos neste mundo. Entenda, você será mesma pessoa com todos os seus atributos, seu caráter imutável, tendo sua própria identidade; como você é aqui com suas feições e características próprias, suas, lá nos céus é como serás conhecido, como o mesmo indivíduo que aqui habitava. Medite Lucas 16.19-31:

A fim de garantir a vitória desta vida imortal em nós, o Espírito Santo é dado aos cristãos, sendo Ele quem, na realidade, nos transforma segundo a imagem de Cristo, criando em nós a sua própria vida. É necessário o poder de Deus para que a imortalidade seja realizada com êxito; e o Espírito Santo é justamente esse poder. Atente para esta verdade. E, sem o Espírito de Deus, nossa passagem para a vida eterna, não existirá. Apocalipse 2.11: “Portanto, se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam o que o Espírito de Deus diz:” “Aqueles que conseguirem a vitória não sofrerão o castigo da segunda morte”. Você tem o direito de conhecer a verdade sobre aquilo que o espera após a morte. Mas, todos têm o direito de acreditarnaquilo que querem; muitas pessoas estão firmadas em mentiras.

2 Coríntios 5-6: Agora nós ansiamos confiadamente pelo nosso corpo celestial, e compreendemos que cada instante que gastamos neste corpo terreno, é tempo gasto longe do nosso lar eterno, no céu com Jesus. Não devemos lamentar com tristeza pelo falecimento de familiares e amigos, eles não estão mortos, se foram antes de nós, acredite.

1 Pedro 2.11: Ao nos tornarmos cristãos, escolhemos ser visitantes aqui na terra. O Nosso verdadeiro lar passa a ser os Céus, portanto se afastem dos prazeres malignos deste mundo; eles não são para vocês, pois lutam contra suas próprias almas.
2 Coríntios 5-7: Sabemos que essas coisas são verdadeiras pelo que cremos, Temos que aprender a conviver com essa realidade espiritual – acreditar na imortalidade. Fé. Nosso andar cristão em nosso presente modo de viver deverá ser de conformidade com a Fé, que é a visão do nosso espírito. O corpo terreno, físico, sem seu ser espiritual, está morto, não é o que testemunhamos nos cemitérios? Para muitas pessoas tudo termina na “única” morte (sic). Vão se arrepender dessa forma errônea de compreender sua própria existência. O arrependimento tem que ser nessa vida terrena, pra isso ela existe. Hebreus 11.1: A fé é o meio das realidades pelas quais esperamos (pelas promessas de Deus), bem como a confirmação das coisas que no momento não vemos. Agora, sem essa Fé Tiago 1.7: Não pense o homem que receberá alguma coisa de Deus. Romanos 12.2: Não confunda a vida humana com a existência espiritual, são realidades diferentes; uma pessoa pode nem dar valor à sua vida espiritual nesta esfera terrena, ela existe, mas, recusou-se a vive-la –é sua escolha. Andar pela fé, não significa que andamos guiados por uma “fé cega”, sem base em razões corretas.  Para certos indivíduos, a fé parece ser crer em algo que não é verdade; e quanto mais cegamente creem tais pessoas, mais inalterável imaginam ser essa sua fé. A prova mais compreensível, é a prova espiritual, que muitas pessoas não fazem como destino em sua vida terrena – a comunhão com o Espírito Santo, a confiança íntima que possuímos por meio de sua iluminação espiritual. Essa é uma prova particular do cristão; que não atrai aqueles que não têm essa experiência espiritual. Há muitas formas religiosas estampadas em muros, postes, árvores, na mídia, em certas igrejas, seitas etc., sermos de Cristo, ser cristão é uma delas. Verifiquem nessas religiosidades quais os benefícios que elas trazem! E, escolha não fique ausente das questões espirituais. Neste mundo o crente está debaixo da condição da confiança em Cristo,e não sob a condição de sua presença visível; aqui temos apenas a fé, nos Céus, desfrutaremos tanto da fé como da visão, na presença de Cristo.

2 Coríntios 5-8: Temos boa conduta de vida, bom ânimo em nosso destino, quando chegar a hora de estarmos ausentes deste corpo terreno, iremos para os Céus, viver com o Senhor Jesus Cristo. Este versículo é a prova mais clara da Imortalidade de nosso ser espiritual, que é a Própria Pessoa (você). Medite na afirmativa de Pedro: 2 Pedro1.14: Sabendo que brevemente hei de deixar este meu corpo físico, (tabernáculo) como também nosso Senhor Jesus Cristo já me tem revelado. Entenda esta Verdade: Hebreus 8.6-7: Mas Cristo, como ministro do céu, foi recompensado com um trabalho muito mais importante do que os que servem sob as leis antigas, pois o novo acordo que Ele nos oferece da parte de Deus contém promessas muito mais importantes, o velho acordo não deu resultado nenhum. Se tivesse dado, não teria havido nenhuma necessidade de outro para substituí-lo. Hebreus 9.15: NVI Por essa razão, Cristo é o mediador de uma nova aliança para que os que são chamados recebam a promessa da herança eterna, visto que ele morreu como resgate pelas transgressões cometidas sob a primeira aliança. O homem é constituído de corpo, alma e espírito. A alma seria a sede emocional do homem, de sua porção intelectual – sua mente: Lucas 1.46-47: Disse então Maria: a minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador. O espírito significa a pessoa, ou seja, alguém, no caso Maria: a porção da pessoa que sobrevive. O corpo, enquanto terreno pode ser dominado pela alma ou pelo espírito, seu ser espiritual que não participa da morte do corpo físico. Sabemos que somos seres imortais, tendo boa coragem para enfrentar a morte física na época própria. O Perdão de Deus é um Dom gratuito; quer você se considere uma boa ou má pessoa, lembre-se Jesus Cristo morreu em seu lugar.

Escute o que Você tem feito pela tua eternidade?

2 Coríntios 5-9: Porém, acima de tudo, o que nós queremos é agradar o Senhor, seja vivendo no nosso corpo aqui, seja vivendo lá com o Senhor. Nem todas as pessoas se preocupam com essas realidades espirituais manifesta em suas vidas terrenas, estão mais preocupadas somente em satisfazer sua natureza humana. Romanos 8.9: Vocês, porém, não se permitam viverem somente como manda sua a natureza humana, mas aprenda a viver como o Espírito de Deus quer se é que o Espírito de Deus vive realmente em vocês. Quem não tem o Espírito de Cristo não pertence a ele. A verdade é que os lugares celestiais também são um lugar de progresso espiritual, e lá teremos a necessidade de agradar ao Senhor não menos do que aqui, ainda que de maneira diferente do que aqui ocorre, visto que o pecado já teria sido totalmente dominado.Na Bíblia Você encontra todas as respostas da Vida.

JULGAMENTO DOS CRENTES:

2 Coríntios 5-10: Todos nós teremos de comparecer diante de Cristo para sermos julgados e termos as nossas vidas reveladas, diante Dele. Cada um de nós receberá o que merecer pelas coisas boas ou más que tivermos feito neste corpo terreno. É Ele quem nos observa quem contempla nossa carreira julgando os resultados disso. Ele estabeleceu padrões,determinadasregras de acordo com a vontade de Deus divulgadas na Bíblia.O Senhor sabe que eu existo estando interessado naquilo que faço me recompensando ou me punindo. Esse julgamento será minucioso e cuidadoso, levando em conta todos os meus atos e palavras, e não apenas o caráter de minha vida. Ele nos revelará, tornando-nos manifestos diante de Deus, naquilo que tivermos praticado de bom ou de mal. Não é coisa pequena ter a própria vida revelada diante do Senhor, o qual passará sentença sobre cada coisa que tiver sido feita, dita ou pensada. Ainda, esse julgamento será moral, se esse julgamento não fosse revelador e cuidadoso, a justiça não seria feita. O mundo criado por Deus não pode ser caracterizado pelo caos; portanto justiça terá de ser feita. Do equilíbrio geral que será conseguido com o julgamento, será revelado nosso galardão (recompensa) Mateus 10.42:Esses galardões não se resumirãonaquilo que receberemos, mas naquilo que seremos e que podemos fazer no estado eterno, significando nossa transformação segundo a imagem de Cristo, e, no grau de glória que atingiremos 2 Coríntios 3.18: GLÓRIA? Quer dizer honra fama adquirida por uma pessoa de acordo com suas obras e virtudes.
É impossível pensarmos que o crente, por ter se saído mal em sua missão terrena, possa ficar estagnado por toda a eternidade. Esse pensamento não é correto; porquanto é destino de todo o cristão atingir as perfeições de Cristo, participante como será de sua imagem e natureza: entenda que não estamos dando a entender que o cristão perderá sua própria identidade; não: será respeitado o conjunto das características individuais que distinguem uma pessoa de outra, ver Romanos 8.29: Portanto, leitor, o julgamento dos crentes apenas indica o começo da posição deles na eternidade, e não um estado final; não podendo haver fim no processo da glorificação, pois também esse será uma realização contínua e não uma ocorrência isolada por ocasião da morte física. Apesar do julgamento dos crentes marcarem somente o começo do estado eterno, será um começo solene! Celebrado com pompa e suntuosidade, pois todos esses crentes remidos haverão de tomar parte da plenitude de Deus, de sua natureza, dotados de expressões de todos os seus atributos. Estagnação é essa vida caótica em que vivemos neste atual mundo em que a maioria “financia” uma casta de homens privilegiados, tendo acesso irrestrito ao que Deus colocou no mundo, para ser de todos! A Salvação dos crentes, a entrada nos lugares celestiais, não está aqui motivada,antes, a posição que o Crente ocupará lá nas regiões celestiais. Amigo, não duvide do que escrevemos Marcos 11.22: temos consciência de que a maioria das igrejas e seus pastores, muito pouco falam a respeito e ainda estão arraigadosao A.T. e os tempos espirituais são outros N.T. com Cristo Jesus. Deus nos conhece completamente, fazendo correta avaliação de nossas ações e motivos; e essaavaliação é positiva; mas temos a necessidade de convencer aos homens acerca disso. Diante de Deus estou completamente à vista. A convicção de que Ele me vê e de que um dia terei prestar-lhe contas, me estimula, me anima ser sincero. O que manifesto a vocês é conhecido do Espírito de Deus, e espero que também seja conhecido por vossas consciências, porque diz respeito a vocês.  

2 Coríntios 5.10:JULGAMENTO DOS CRENTES

Não duvide, nem por um instante, da grandiosidade da nossa salvação. Nem mesmo o julgamento poderá apagar esse pensamento de nossas mentes. Porém, teremos de enfrentar um protocolar começo. Espero que seja de conhecimento de todos, que, falar em lágrimas nos céus, em remorsos, abatimento da consciência em pessoas que perceberão terem cometido faltas erros – arrependimentos tardios – e coisas semelhantes Ver Lucas 16. 27-31: É bem possível que essas coisas venham a ser apontadas nesse começo, determinado pelo julgamento dos crentes. Porém, o que está em jogo não serão coisas triviais como um mau sentimento por causa duma conduta terrena deficiente. O que estará sendo averiguado é a própria natureza de nossa espiritualidade, o lugar que ocuparemos na participação, na natureza e nos atributos de Cristo. A porta está aberta, mas será um passo grandioso entrar pelos portais da eternidade. “.... aquilo que um homem semear isso também ceifará...” (Gálatas 6.7:) uma lei eterna e imutável. A revelação de tudo quanto tem estado em secreto, julgando as realidades e valores com imparcialidade; a determinação de cada homem segundo essa medida, do que cada qual merecer pelo bem ou pelo mal que houver praticado. E a nossa vida? Com o que temos consumido nossas vidas neste mundo? Quais têm sido nossos maiores desejos, esperanças; motivos que nos tem dominado? Pelo que temos trabalhado, usando nossas energias físicas e mentais. De conformidade com essas coisas é que seremos julgados diante do tribunal de Cristo. Enfrentar ao Senhor Jesus de mãos vazias, basta tal pensamento para que eu me sinta preocupado. O Senhor Deus resolveu que o nosso avanço na direção Dele deve ocorrer mediante desenvolvimento espiritual; e este é de tal natureza que sempre requer o consentimento da nossa vontade, porquanto Deus a ninguém transforma em robô. O Espírito de Deus nos ajuda, mas não nos força. Uma vez que permita aos impulsos do Senhor, o indivíduo experimenta uma transformação de caráter celestial que ultrapassa aos seus próprios poderes; mas, isso acontece somente aos submissos. Podemos estar certos que, no juízo da eternidade, somente os verdadeiros valores serão levados em consideração; e isso serve de advertência para todos nós. Neste versículo o que estamos tratando, naturalmente, refere-se aos remidos, quem recebe o perdão. Os crentes não serão julgados coletivamente, todos juntos, mas antes, individualmente, conforme os méritos de cada um.  Esse juízo incluirá a revelação do ser do crente exatamente como ele foi; e os galardões serão distribuídos para cada qual nos termos exatos dessa avaliação. “... por meio do corpo...”. O corpo não é pecaminoso por si mesmo, embora se torne um instrumento fácil do pecado, conforme se aprende no sexto capítulo da epístola aos Romanos. Apesar de se tornar o corpo um instrumento fácil para o pecado, temos a responsabilidade de usá-lo apropriadamente,

de discipliná-lo, de utilizá-lo para a glória de Deus. Tudo quanto fazemos aqui deve ser feito através do uso do corpo, e isso fala de tudo quanto praticamos na nossa vida diária, de nosso serviço cristão, do bem ou do mal que fizermos; seremos julgados perante o tribunal de Cristo, por tudo aquilo que tivermos praticado como seres mortais.

Romanos 10.6- 13: Entretanto; a salvação que vem pela fé diz; Você não precisa dar uma busca nos céus para encontrar Cristo e trazê-lo aqui embaixo para que Ele o ajude; Você não precisa ir até onde estão os mortos, a fim de trazer Cristo de volta à vida; pois a salvação que vem da confiança em Cristo - aquela que pregamos - já é de fácil acesso a cada um de nós; de fato, ela está tão perto como nossos próprios espíritos e nossas bocas. Pois, se vocês contarem aos outros com seus próprios lábios que Jesus Cristo é seu Senhor, crendo no seu ser espiritual que Deus O levantou dentre os mortos, serão salvos. Porque é crendo de coração que um homem se torna reto para com Deus; e com a boca é que ele fala da sua fé aos outros, confirmando assim a sua salvação. As Escrituras nos dizem que quem crê em Deus jamais será decepcionado. Toda a humanidade é a mesma coisa a este respeito: todos eles têm o mesmo Senhor, Aquele que dá generosamente de suas riquezas a todos quantos Lhe peçam. Qualquer um que chamar pelo nome do Senhor será salvo. Desejo ao leitor sua salvação, pedindo a Deus nas orações em teu favor.

LUCAS 3.6: E TODOS VERÃO A SALVAÇÃO QUE DEUS DÁ.

Qual é a razão pela quais muitos são chamados, mas poucos são escolhidos?

Escrito por Kathryn Albig

Como Você pode se tornar um escolhido?

Em Mateus 22.14: Jesus nos diz que “muitos são chamados, mas poucos escolhidos.”O que isto significa? Qual é a diferença entre ser chamado e escolhido? Como podemos ter certeza de que somos um dos escolhidos?

Mateus 22.1-14: A parábola da festa de casamento

Bem, Jesus realmente começa com uma parábola. Ele conta a história de um rei cujo filho estava se casando. Ele envia muitos convites de casamento, mas no grande dia, nenhum convidado apareceu. Quando o rei enviou seus servos para descobrir o que estava acontecendo com os convidados, descobriu-se que eles simplesmente não estavam dispostos a ir. Estavam mais preocupados em fazer o que queriam e até trataram o convite com total desprezo. O rei ficou furioso quando ouviu o relato de seus servos. Ele os mandou de novo, desta vez dizendo-lhes para convidar alguém que eles vissem nas ruas para o casamento. Então o casamento estava cheio de convidados. E quando um homem apareceu sem a roupa adequada, ele foi expulso. Este foi um dia de celebração especialmente significativo, era apropriado apenas se vestir adequadamente. Medite em Mateus 22: 1-14.

No final Jesus diz: “muitos são chamados, mas poucos escolhidos.”.

O que significa ser chamado?

A palavra “chamado” é usada várias vezes ao longo da Bíblia, em diferentes contextos. Neste caso, Jesus está usando a palavra “chamado” como um convite. Esta parábola é uma analogia de que fomos convidados. Um convite para algo mais que uma vida servindo apenas a nós mesmos. Um convite para viver uma vida junto com Cristo, servindo a Deus e experimentando a satisfação que traz a vida eterna. Um convite para sermos discípulos de Jesus, para seguir seus passos. E, finalmente, um convite para passar a eternidade com Ele! Este é um chamado que Deus coloca no espírito humano e há muitas maneiras diferentes pelas quais as pessoas percebem isso. Qualquer um que tenha a chance de ouvir o evangelho e tomar uma decisão sobre se tornar ou não um discípulo é considerado um dos muitos que são chamados. Muitas pessoas recebem esse convite. Jesus deu aos discípulos a tarefa de sair e fazer discípulos de todas as nações. (Mateus 28.19:) Mas quem dentre esses muitos se tornam os poucos escolhidos?

O que significa ser escolhido?

Ser escolhido é aceitar o convite e fazer o necessário para participar da festa no Reino: desistir de tudo neste mundo. (Lucas 9: 23-24; Lucas 14:26) Isto é, dizer “sim!” ao chamado e depois segui-lo com uma vida de discípulo fiel. Deus nos chama, mas aqueles que são escolhidos são aqueles que aceitam de todo o coração o convite e suas condições manifestas na Palavra de Deus.

Por que há tão poucos que são escolhidos?

Porque muitos não querem pagar o preço! Jesus diz em outro lugar que a porta é estreita, e o caminho é difícil que leva à vida, portanto poucos escolhem esse caminho. (Mateus 7.13-14:) A razão pela qual é difícil é que temos que desistir de tudo neste mundo. Nosso egoísmo, nossas próprias ideias, opiniões, pensamentos e sentimentos, nossa própria vontade, nossos próprios desejos. Fazemos isso para sermos completamente obedientes à direção do Mestre.Para ser escolhido, você tem que mostrar que realmente quer essa vida com todo o teu espírito (coração). Você não pode reter um pouco do mundo, por relacionamentos, por sua busca pessoal, etc. É 100% obediência a Jesus; 100% de fidelidade. 100% a Vontade de Deus.

Certificando-se de que você é escolhido

Pedro escreve em 2 Pedro 1.10-11: Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme vossa vocação e eleição…Como fazemos isso? Fazendo as coisas que ele escreve um pouco antes disso nos versos 5-8: E vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude a ciência, E à ciência a temperança, e à temperança a paciência, e à paciência a piedade, E à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade. Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Somente aqueles que realmente querem seguir a Jesus, seguindo Seuspassos quando Ele os instrui, recebem a graça de fazer o que está escrito acima. Eles produzem frutos, que são as virtudes. Essas virtudes são as próprias vestimentas nupciais que fazemos para nós mesmos, para que possamos aceitar o convite e nos vestir apropriadamente, para que não sejamos expulsos como o homem da parábola.

Nenhuma qualificação é necessária

Na história, o rei enviou seus servos para todos os tipos de pessoas. É o mesmo com o nosso convite. Não importa qual seja o nosso ponto de partida, quem somos, por natureza, quais são nossos conhecimentos, quais talentos temos ou não, que conhecimento temos, quais são nossas circunstâncias. A coisa que determina se somos ou não escolhidos é como respondemos ao chamado quando sentimos o convite de Deus em nosso espírito (coração), e que fruto temos como resultado.E o fim da nossa fé é que seremos irmãos de Jesus, coerdeiros com Ele de todas as coisas. Não apenas vida eterna, mas seremos reis e sacerdotesjuntos com Ele por toda a eternidade.Não se mostre inflexível à sua espiritualidade! Pra quê?

Gálatas 6.7: A LEI DA SEMEADURA E DA COLHEITA

Considerações dessa lei.
A graça requer daquele a quem muito é dado, muito é requerido. A graça nos confere os meios para colhermos abundante safra espiritual.
1- Essa lei regulariza a liberdade cristã e nosso relacionamento com os crentes mais fracos. Ninguém pode servir a si mesmo, exibindo seus benefícios/vantagens, esperando ter boa colheita. Essa lei envolve responsabilidade na vida;
2- Ela tem vinculação com o Tribunal de Cristo;
3- Ela se relaciona com as recompensas e coroas;
4- Ela não permite ideia de estagnação espiritual ao entrarmos no estado eterno, de conformidade com aquilo que tivermos feito, receberemos certo nível de glorificação.

OBSERVEMOS O SEGUINTE

O julgamento será de conformidade com as obras dos homens. Sempre é declarado no caso de crentes e incrédulos igualmente, que os homens serão julgados de acordo com as suas obras. Isso faz parte da lei universal da colheita segundo a semeadura. A própria natureza da liberdade, conforme o N.T. olha para as coisas, mostra que é preciso ela envolver uma correta moralidade, porque se ela chegar a ser perdida, o indivíduo imediatamente será reduzido à posição de escravo do pecado, de Satanás e do próprio “eu”. Mas você pode perguntar qual a vantagem dessa lei? Sem essa lei, não poderia haver esperança alguma da verdade e da bondade serem vencedoras na guerra contra a falsidade e a maldade. Essas leis garantem a vitória do bem sobre o mal. Essas leis nos dão a convicção de que a luta contra o mal vale a pena; pois, de outra maneira, nunca poderíamos ter certeza de que não há vantagem vivermos para o próprio “eu” e para a carne. Precisamos ter confiança de que em algum lugar, em algum tempo, os cristãos serão herdeiros do Reino eterno de Deus, de que as pessoas fiéis a Deus triunfarão. Ora essas leis garantem tal resultado pranós. PROVA DA EXISTÊNCIA DA ALMA. As leis morais servem de prova da existência da alma humana. É claro que, nesta esfera terrena, a justiça nem sempre é feita, que a recompensa nem sempre é recebida. Então, lá em cima, naquelas regiões celestiais, depois da morte física, haverá respostas para todas nossas questões, onde a Justiça impera. Encontraremos um Juiz, dotado de capacidade e poder suficientes, de inteligência, capaz de fazerem os homens receberem a retribuição positiva e negativa, segundo suas obras boas ou más, respectivamente. O Senhor Nosso Deus é a pessoa. Além disso, haverá aqueles que receberão a recompensa ou o castigo, porque, caso contrário não teria sentido o julgamento. A nossa imortalidade garante isso. Todo ser humano sobrevive à morte física, estando sujeito, à recompensa ou ao castigo. A lei moral garante a imortalidade. Essa é uma verdade tremenda, à qual devemos dar cuidadosa atenção, visto que todo o nosso bem-estar depende dela. Cada dia que amanhece é uma nova oportunidade de semearmos o bem, assim como de colhermos o bem-estar. Mas, cada dia pode ser desastroso, pois podemos estar fazendo uma semeadura prejudicial à nossa eternidade. A vida não é um jogo, é uma questão seríssima, com regras fixas sérias, às quais todos nós precisamos nos sujeitar. Você existe para cumprir regras humanas e espirituais. ESPIRITUALIDADE? Medite em Romanos 8.1-39: Reflita. 

Cada ser humano será chamado a prestar contas de como ele usou ou abusou de seu elevadíssimo privilégio de possuir a vida, e até mesmo a vida eterna. Faz extraordinária diferença aquilo em que alguém acredita isso é capaz de determinar o que alguém faz. “... de Deus não se zomba...”.

Indica um tipo de atitude, uma maneira de ser de uma pessoa, que procura ignorar o Evangelho de Cristo com impunidade; uma espécie de tentativa de ser mais esperto do que Deus “sic” de escapar da punição. Ninguém pode usar de desonestidade com Deus, porquanto Ele conhece todos os pensamentos e intuitos da alma de um homem. Medite em Lucas 12. 6-7:

Gálatas 6.8: Quem semeia para a sua carne, da carne colherá a morte; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna.

Tal homem semeia “.... para sua própria carne...”, isto é, para si mesmo. Assim, pois o egoísmo é destacado como um forte elemento nesse tipo de semeadura da vida. O fato que o corpo físico é mortal, se corrompe e morre. Egoísmo? Só consegue pensar em si mesmo. Corrupção?Desgastar-se com o tempo: morrer; ou seja, a morte física é aqui ilustrada. Uma colheita espiritual degradada – deteriorada – que uma pessoa terá de colher, se porventura investir sua vida diária na carne, vivendo para sua natureza humana. “... quem semeia no Espírito...”. O Espírito de Deus, o doador da vida, manifestando-se na alma ou espírito humano que habita em um corpo físico, como seu modo de expressão nos lugares celestiais.  Em contraste com o corpo físico, o homem interior, seu ser espiritual, sobrevive à morte física e é levado a níveis mais altos da existência. O ser espiritual humano – espírito/alma – não está sujeito à decadência, conforme sudece ao corpo material. O homem, por consequência, deve viver para o lado espiritual de seu ser, investindo sua vida nesssa porção e não na carne. Alguém poderia perguntar: como fazer isso? A Bíblia responde! João 6.63:  Claro que a resposta o seu  sentido é espiritual! “O Espírito de Deus é que dá a Vida espiritual, o ser humano não tem poder para fazer isso”. “As palavras que Deus está dizendo são espírito e vida numa pessoa, ou seja, vida espiritual”. Rendall ensina: “Toda ação produz um efeito sobre o caráter de seu autor que corresponde exatamente à sua motivação, na forma de fruto da semente plantada”. “Se originar-se de desejos egoístas, estimula o desenvolvimento de vontades cobiçosas, resultando em uma colheita de corrupção íntima”. “Se, tal ação for feita em obediência  ao Espírito Santo, isso estimula o crescimento espiritual, resultando em uma colheita de vida eterna. ”Gálatas 6.9: E não nos consemos de fazer o bem, porque a seu tempo, ceifaremos, se não houvermos desfalecidos. A semeadura da futura colheita pode ser positiva ou negativa, e dará em resultado tanto a recompensa dos retos como o castigo dos ímpios. Trata-se de uma lei fixa; e isso nos mostra que é um motivo e uma influência poderosa para fazermos o bem. Essa lei, entretanto, como motivação para boas ações, talvez requeira um pouco de paciência, para que olhemos ao longo dos corredores do tempo, até a eternidade, até ao julgamento final, até à passagem a um nível mais alto da existência, pois é evidente que o bem não é necessáriamente recompensado nesta vida terrena, já que o mal aqui domina com bastante frequência. Assim, peço aos prezados leitores da Revista, a uma madura reflexão espiritual, a uma fé que podemos avistar aquelas realidades espirituais que ainda não chegaram à existência de nossos olhos, mas que já foram determinadas no plano de Deus. “O grande segredo da vida é a morte (física), sabendo que depois dela a existência duma pessoa continua”. (jader Amadi). Mas, o que tens feito a respeito, amigo? Na primeira metade deste versículo encontramos uma ordem contra o cansaço em nossa jornada espiritual, em que o crente, não deixa de referir-se às realidades espirituais, mas perdeu o ânimo e a vontade de continuar; moveu-se para uma vida mais fácil, a da satisfação dos impulsos carnais. Você sabe que isso acontece. Já na segunda metade do versículo, a colheita espiritual é prometida em resultado da obediência a essa exigência. Para a semeadura há um período apropriado, uma estação própria. A colheita também se faz em tempo determinado do ano. Assim também ocorre no terreno das realidades espirituais.. Ninguém pode colher enquanto não houver semeado; e mesmo assim terá de aguardar o tempo próprio da colheita. Essa colheita realmente não pertence a esta esfera terrena, embora existam recompensas preliminares ao longo desse caminho. Dentro do plano divino, existe um tempo fixo para  colheita; precisamos crer, e então precisamos esperar. Não sejamos como o homem carnal ou como o homem natural, que logo sentem que a pressão do mundo é demasiada para eles, começando a praticar as obras da carne, assim perdendo a possibilidade de terem uma boa colheita, que visa ao bem estar de seu homem interior. Medite atentamente em Gálatas 5.19-21: As recompensas preliminares Filipenses 4.19: “E meu Deus, de acordo com as gloriosas riquezas que Ele tem para oferecer por meio de Cristo Jesus, lhes dará tudo quanto vocês precisam”. Admitimos que há uma determinada nobreza na atitude que diz “FAZEI O BEM POR AMOR AO BEM”. Inteiramente à parte da promessa da recompensa e da intimidação do castigo. O homem bom será de ajuda natural para as pessoas que entrarem em contato consigo e o seu conceito de bondade se estenderá aos indivíduos que o conhecerem pessoalmente. Ao buscar o bem estar de sua própria alma, tal crente estará interessado no bem estar das almas alheias. “... NÃO NOS CANSEMOS...”. A batalha não é fácil, os perigos são grandes, a carga é pesada. Cada passo dado no caminho de retorno a Deus só pode ser dado em meio a agonia da alma, devido à gravidade da queda do homem no pecado. Nenhuma parte da Bíblia promete ao crente uma vida fácil. Pelo contrário, a Palavra de Deus nos encoraja a não perder o ânimo e não nos cansarmos de tal modo, a não temermos nossa conduta; não ficarmos tão debilitados ao ponto de perdermos de vista o nosso alvo: A Eternidade.O avanço na direção do alvo, a salvação, a prática incansável do bem, não pode ser pura realização humana. Tal caminho é por demais trabalhoso e cheio de obstáculos para o homem. Por consequência, aprendemos que tal feito é fruto do Espírito Santo. Meditar em Gálatas 5.22-23: A Bíblia nos ensina  que precisamos olhar para a eternidade se quisermos cumprir a nossa tarefa neste mundo. O  ato de olhar para a eternidade, é produzida pela influência do Espírito Santo, quem nos ensina a termos tal atitude. ”... A SEU TEMPO...”. a colheita espiritual segue os ciclos da vontade divina. “... SE NÃO DESFALECERMOS...Temos aqui grande verdade espiritual. A qualidade de quem persevera é fundamental para o sucesso – constância – é uma necessidade  para que alcancemos o prêmio. Que ninguém se engane acerca dessa questão. O desvio espiritual é possível. Quem já não conheceu alguém que começou bem a carreira cristã, tendo caminhado durante anos, para então perder a coragem? A Colheita espiritual está reservada para aqueles que continuarem até o fim. 2 Timóteo 4.8:Desde agora, a coroa da justiça me está aguardando, o qual o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim , mas também a todos os que amarem a sua vinda “... AS COROAS DOS CRENTES...”.

Essas coroas representam  as recompensas que serão recebidas pelo serviço fiel dos crentes.  COROA DA JUSTIÇA: Indica aquela coroa conquistada pela retidão perfeira e eterna, em que o crente passa a participar das perfeições de Cristo e da natureza moral de Deus Pai. E isso envolve ser santo como Deus Pai é Santo – 1 Pedro 1.15-16:  – É o grande alvo de todos os remidos; mas alguns deles, ao entrarem nos lugares celestiais, por causa de seu serviço fiel e de sua devoção, terão a mais elevada justiça do que outros. A perfeição absoluta é o nosso alvo; e a eternidade inteira é a esfera na qual podemosevoluir em grau infinito .Seremos seres de notável pureza e santidade, de bondade e retidão perfeitas, como o próprio Deus Pai. Nenhum indivíduo penetrará nos lugares celestiais sem possuir a própria retidão de Deus. Alguns entrarão ali como possuidores das mais íntimas perfeições de Deus do que outros, apesar que nos céus não possa haver nenhuma estagnação, e todas as pessoas que ali habitarem se tornarão mais e mais semelhantes a Deus Pai. Será um desenvolvimento espiritual eterno.

Apocalipse 3.11.b: “Guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”.

“... ME ESTÁ AGUARDANDO...”. a coroa da justiça estava reservada e guardada para Paulo porque ele havia conquistado e tinha permanecido fiel até o fim. As leis espirituais é que estipulam as coisas desse modo. Fidelidade, constância e dedicação nunca são qualidades esquecidas, e nem ficam sem a devida recompensa. A Justiça divina requer que essas qualidades sejam devidamente galardoadas; e também que o mal seja devidamente castigado. A razão mostra-nos que, nesta terra, a justiça raramente é devidamente feita, se é que é cumprida. Portanto, isso deverá ter lugar do outro lado da porta da existência, ao qual chamamos de morte. MORTE! E o homem sobrevive à morte física, a fim de poder ser castigado ou recompensado, indicando a imortalidade da alma. “... O SENHOR...”. Cristo é o Senhor da Vida; o Senhor da Justiça e o Senhor de todos. É Ele quem julga e que recompensa deverá ser dada; e ele é quem garante essa doação. Ninguém tem a Jesus como Salvador, se também não o tem como seu Senhor.

“... JUSTO JUIZ...”. Ele é Justo de tal modo que não comete equívocos nesse julgamento, cumprindo todas as exigência da justiça, em pleno conhecimento e sabedoria. Cristo Jesus, o Filho, julga por nomeação de Deus Pai, conforme aprendemos na passagem de Atos 17.31: Antes de tudo, Cristo é justo Juiz; mas também é o generoso doador, embora nunca se mostre infiel e desleal.

“... NAQUELE DIA...”. O uso da Palavra dia para indicar o julgamento ou o segundo aparecimento (advento) de Cristo Jesus que resultará no julgamento. “... TAMBÉM A TODOS QUANTOS AMAM A SUA VINDA...”. Não somente o grande apóstolo dos gentios poderá obter as coroas. Todos os crentes e todos os ministros fiéis podem esforçar-se para a obtenção do mesmo alvo; e todos podem conseguir o mesmo êxito. Isso serve de encorajamento à fidelidade.

1 Coríntios 9.25: E todo aquele que luta exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptivel. COROA INCORRUPTÍVEL. As palavras”em tudo se dominam” mostram a necessidade de autodisciplina, de moderação, de controle próprio. A própria salvação depende desse esforço. MediteLucas 13.22-30: Filipenses 2.12.c: “Continuem trabalhando com sentimento de apreenção e respeito a Deus para completar a Salvação de vocês”. Se um homem é capaz de treinar tão diligentemente, de sofrer tantas provações, de agonizar física e mentalmente para um acontecimento que ocupará um único dia sabendo que a competição será intensa e que as chances dele sair-se vencedor não é grande, quanto mais os crentes devem dispor-se para agonizarem espiritualmente, deixando de lado os prazeres/ ocupações inúteis, utilizando-se dos instrumentos espirituais postos à sua disposição para avançar para a sua eternidade. Ela é incorruptível, porque é o tipo de vida que não pode deixar de existir, considerado ser essa forma de vida que é verdadeiramente imortal, que não depende de nenhuma fonte originária para existir e continuar na existência, por estar contida dentro da própria pessoa, mediante o dom de Deus, ataravés de Cristo. Essa vida naturalmente (NB) é a própria vida de Deus Pai, que será transmitida aos remidos por intermédio de Cristo. Bem todas essas realidades espirituais, constantes nesta Revista, são para as pessoas (crents ou descrentes) saberem quais são as condições de Deus, em Cristo Jesus, para entrarem no Reino de Deus, participando da imortalidade (Vida Eterna) participar da ressurreição de seu corpo para a nova vida descrita em Apocalipse capítulo Vinte hum (21), além de outras recompensas.                                                     

Tiago 1.12: Bem-aventurado o homem que suporta a provação (tentação); porque, depois de aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam. COROA DA VIDA.

“Bem Aventurado”. O Novo Testamento aplica o termo ao contentamento e ao bem estar espiritual, às riquezas dos cristãos, que participam delas parcialmente, nesta vida, embora seja garantia de prazer futuro. Há uma felicidade substancial  e eterna, por ser espiritual, indicando  a felicidade das pessoas que mais perto estão de Deus, por causa de sua posição privilegiada e de suas benções extraordinárias. Bem aventurado o homem que resiste, em sua provação, pois não há homem  a quem Deus não prove. O que podemos entender por Provação? Na internet. Ato ou efeito provar – prova. Dificuldade, situação aflitiva ou sofrimento muito grande, que põe à prova a força moral, a fé religiosa, as convicções etc. de um indivíduo.

APROVADO: Aprovado mediante teste, demonstrado como cristão genuíno, podendo receber a Coroa da Vida. A Vida Eterna e a Glorificação do cristão será para ele uma coroa de exaltaçãoe realeza, porquanto pertence à família Divina e participa do mesmo tipo de vida que Deus Pai possui. Assim sendo, usaremos a coroa da vida porque o nosso Rei também a usa, e porque somos seus irmãos. A salvação tem um sinônimo no vocábulo filiação, porquanto tudo quanto está incluso na salvação pode ser manifesto por aquilo que somos e obtemos como autênticos filhos de Deus, participantes da mesma natureza do Filho de Deus. O amor a Deus se expressa na vida através da observância de seus mandamentos, através da lealdade e dedicação a Cristo, mediante o que vivermos para os outros e não para o nosso próprio “eu”. O amor é o alicerce e o verdadeiro motivo da vida espiritual inteira; e, sem ele, todos os dons e feitos do homem são inúteis, não podendo ser galardoados. COROA DA GLÓRIA

1 Pedro 5.4: E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível Coroa de Glória.
“... SE MANIFESTAR...”. A manifestação de Cristo pela segunda vez, o trará como Juiz, mas esse Juiz poderá ser recebido como o Pastor que dá vida e protege as  suas ovelhas. Assim, somos vencedores na averiguação da vida, e nos tornamos reis e sacerdotes de Deus. Que realidade gloriosa é ser alguém recebido pelo Juiz de todos como o Supremo Pastor que coroa os subpastores com sua própria glória.
ATENÇÃO: É FATO MANIFESTO QUE AS COROAS PODEM SER PERDIDAS. Não podemos depender de nossa fidelidade anterior como garantia do recebimento dos galardões. Teremos de preservar até ao fim na atitude de dedicação a Cristo. Ver Apocalipse 3.11: Toda coroa, mesmo depois de conquistada, pode ser perdida, enquanto estivermos nesse mundo. O trecho de 1 Coríntios 9.27: acrescenta a severa ideia de que até mesmo um verdadeiro discípulo pode vir a fracassar nessa carreira, perdendo assim a coroa da vida eterna. Isso expressa uma grande verdade. Sabemos, entretanto, que em algum lugar, neste mundo ou no outro, Cristo o trará de volta, a fim de cumprir a sua promessa de que Ele não deixará perder-se qualquer de seus servos.

Mateus 10.32: Se uma pessoa afirmar publicamente que pertence a mim, (a Jesus Cristo) Eu também, no Dia do Juízo, afirmarei diante do meu Pai, que está no céu, que ela pertence a mim. Trata-se de um termo forte, identificandoa união da pessoa que confessa a Jesus Cristo como Seu Senhor/Salvador. Essa Confisão não se refere apenas o pronunciar palavras, e menos ainda ao fato de alguém confessar-se cristão numa igreja, em alguma cerimônia após ser lançado um apelo, etc., mas refere-se à confissão dada pela vida inteira. A própria vida do crente é a sua confissão, o seu enaltecimento ao Reino de Deus. A Mensagem de Cristo tem implicações eternas, e sua pessoa deve ser considerada o personagem mais importante da história humana. O destino da humanidade está ligado ao destino de Cristo, e a autoridade e juízo que Ele exercerá determinarão o estado eterno dos homens.

Hebreus 2.1: Por isso devemos prestar mais atenção nas verdades que temos ouvido, para não nos desviarmos delas. Considerando-se a grandiosa origem de nossa salvação, considerando-se que não existe outra fonte, e que até mesmo os anjos dos céus estão envolvidos, procurando trazer essas realidaes à nossa atenção, cumpre-nos dar desejosos cuidados àquilo que tivermos ouvido da mensagem do Evangelho de Cristo. Portanto, uma maior dedicação deve ser dada a Cristo e à sua Palavra, mais do que aquela que foi conferida à antiga revelação. Se uma pessoa respeitava os anjos, que foram medianeirosda lei, quanto mais devem os homens  respeitar a Cristo e à sua mensagem, dando-lhe mais atenção do que a lei mosaica. Se o teu bem estar espiritual é algo importante na tua exsiência, você deve dar ouvidos a Cristo e à sua mensagem com a maior atenção. Essa atenção é, realmente a aplicação da sua vida à mensagem a aos ensinamentos de Cristo. Aquilo que temos ouvido deve ser atendido e então posto em prática. Há uma vida cristã a ser vivida, e que é o resultado natural da fé em Cristo. Dar ouvidos à mensagem cristã significa dar, igualmente, atenção ao que ela implica na vida diária duma pessoa. A escolhaé entre dar ouvidos ou afastar-se; e isso é deixado de maneira bem clara. O dar ouvidos deve incluir os atos de seguir e de se aplicar. Senão houver tal resultado o indivíduo não se demorará a desviar-se. Deve haver desenvolvimento e maturidade espiritual. O crente fraco e enfermiçocorre o perigo de perder inteiramentea sua fé cristã. Então, há que haver uma obediência atenta, para que não pereçamos, para que não nos afastemos para longe de Cristo. Se tivermos cuidado, poderemos levar nossa vida ao bem estar eterno, à terra da segurança; mas, se nos mostrarmos negligentes nos afastaremos de nosso porto seguro. NB: não há nada de que Satanás tanto goste como de um crente negligente. E conhecemos por igual modo a tendência que têm nossss  naturezas de sermos levados ao sabor das coisas terrenas, para longe do evangelho.O desvio é um sinal demorte espiritual, dar ouvidos  é um sinal de Vida Espiritual. Dê atençãoà  sua existência futura.


Hebreus 2.3:
Sendo assim, como é que nós escaparemos do castigo se desprezarmos uma salvação tão grande? Primeiro, o próprio Senhor Jesus anunciou essa salvação; e depois aqueles que a ouviram nos provaram que ela é verdadeira.“... COMO ESCAPAREMOS?...”.

Da penalidade, do juízo decretado contra a negligência, contra desvio e contra a desobediência acerca das exigências do evangelho? A pessoa que não entrega a sua alma a Cristo, naquela atitude que chamamos de fé, se desviará e se rebelará: então terá de pagar a penalidade contra isso. O julgamento eterno está em foco. É coisa séria ser favorecido pelo Deus Eterno; isso envolve uma imensa responsabilidade –  estamos falando de sua salvação, entenda!– e quanto mais isso se dá no terreno espiritual, porque, uma grande salvação nos foi dada no próprio Filho de Deus, a mais elevada provisão divina para os homens. É impossível conhecê-lo, ouvir a sua mensagem, rejeitá-lo e continuar imune à penalidade. “... NEGLIGENCIARMOS?...”. É condenada a negligência que faz com que o Evangelho não seja vital na vida duma pessoa; então  há o desvio para a depravação moral, perversão, corrupção,  indecência , desonestidade etc., de tal modo que é negada na vida a realidade e o poder do evangelho. A melhor defesa duma pessoa contra o afastamento do evangelho é apegar-se firme e resolutamente a Cristo, tornando-o o centro de tudo, o sentido mesmo de nossa vida. Se não fizermos isso, ficaremos sujeitos ao perigo que é descrito neste versículo. Esse desprezo, também aparece manifesto na parábola de Mateus 22.1-14: Aqueles que foram convidadospara a festa de casamento – para viver na eternidade – de várias maneiras desprezaram o convite. Assim, negligenciaram  o evento solene de suas próprias vidas, porque havia várias coisas que lhes eram mais atrativas. “sic”. Você conhece Jesus?  Já experimentaste de maneira preferencial, fazer além do que você tem feito pela tua natureza interior, para que tua existência após tua vida terrena seja “DE BEM CONSIGO MESMO”? Revele-se procurando conhecer a si mesmo.  Os interesses de Jesus são os teus interesses? Ele quer te levar para os céus, você o que tens feito? Cristo Jesus é tanto o caminho pra você, pra mim e a todos os que querem lhe seguir: Ele foi o pioneiro do Caminho para o Reino de Deus, nos céus. Mas, é você quem decide! Jesus assumiu nossa natureza humana e, na qualidade de homem, foi espiritualizado para compartilhar da divindade na qualidade de Deus-Homem, um novo modo de participação. É essa participação na divindade que  está manifestada a todos os homens tomar parte, inclusive você!  Esse caminho foi aberto a todos os homens que confiam Nele, tornando-os capacitados para receber  sua herança, sua natureza e sua glorificação, medite em Romanos 8.17,29,30: Na realidade, Salvação, ser salvo é tornar-se aquilo que é o Filho de Deus, é participar do que Ele possui. Então, esse é o mais elevado conceito que o homem deve assumir em sua vida. Exige arrependimento e perdão de pecados, mas esses são apenas meios para atingirmos a glorificação. 2 Pedro 1.1-4:

Simão Pedro, servo e apóstolo de Jesus Cristo, aos que conosco alcançaram fé igualmente preciosa pela justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo:graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus e de Jesus, nosso Senhor.Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chama por sua glória e virtude,pelas quais Ele nos tem dado grandiosas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo, Para que as promessas de Deus se cumpram em nós.

Filipenses 2.12.c: Continuemos trabalhando com sentimento de respeito e obediência a Deus, para completarmos nossa Salvação.

A necessidade final de cada cristão ficar de pé por si mesmo. Cada crente terá de modo final de  manter-se sozinho em seu desenvolvimento espiritual, prestando contas exclusivamente a Deus. Todos nós temos tido professores e outras pessoas influenciadoras em nossas vidas; e todos eles desempenharam  funções necessárias. Porém, que faremos com as suas instruções, como as aplicamos, principalmente acerca das instruções espirituais que temos recebido, depende inteiramente de cada um de nós como indivíduos. Sim, chega um ponto, na vida de cada cristão, em que Ele tem de enfrentar o seu Deus sozinho. Chegado esse ponto, não poderá mais depender das experiências  de outros crentes. NB: o crente precisa tornar-se aquilo  que ele deve ser, dependendo diretamente de Cristo em sua alma. Apocalipse 3.20: Atenção! Eu tenho permanecido à porta e estou batendo constantemente. Se alguém me ouvir chamá-lo e abrir a porta, eu entrarei e farei companhia a ele, e ele a mim. A porta é a própria vida duma pessoa. É preciso que a pessoa dê permissão. No tocante ao que é espiritual essa porta aberta indica o exercício da vontade humana permitindo que o Espírito Santo nos conceda a presença transformadora de Cristo. A questão então é desenvolver nossa pessoa espiritual (2 Coríntios 4.16.b: combinado com 1 Coríntios 6.19-20:), por havermos sido salvos por Deus. Significa muito mais do que expressar externamente a salvação/eternidade que possuimos internamente, ou dar evidências de que somos convertidos.Todos procedimentos espirituais que envolvem a salvação da pessoa, na realidade  terá de ser efetuado mediante o exercício da vontade humana que acolhe e encoraja a vontade divina para que esta opere. Aacolhida à vontade divina dá-se o nome de Fé. O desenvolvimento de nossa salvação será o exercício de nossa fé. Deveis ter uma fé genuína; deveis permitir e encorajar o Espírito Santo para que realize a sua obra; deveis ser santificados, deveis desenvolver as virtudes morais, deveis ser transformados; deveis viver a vida caracterizada pelo amor. Do contrário não haverá salvação em vós.Desenvolvemos nossa salvação porque cada avanço na espiritualidade é relizada por nós, na medida em que vamos cooperando com o poder do Espírito de Deus; e, nenhum avanço pode ser atingido sem essa cooperação. Aquilo que é o mais básico dessa ideia é a de que somos responsáveis por cada passo de nossa salvação, incluindo a conversão, quando nos apegamos a Cristo; a santificação, quando permitimos que seu Espírito Santo nos torne santos; e, as boas obras, quando pomos em prática a lei do amor. Deus faz cada homem tornar-se um ser único, em si mesmo e em sua missão. É POSSÍVEL O FRACASSO?
O versículo deixa entendido que uma pessoa, uma vez convertida, pode falhar na aplicação de sua santificação, perdendo sua conversão, voltando ao mundo; ficando sem sentido, com uma advertência, que se torna mais vigorosa pela adição das palavras: “com sentimento de respeito e obediência a Deus – noutras versões “com temor e tremor”. 2 Pedro 1.10: Irmãos, trabalhem com paixão para provar que vocês estão realmente entre aqueles que Deus chamou escolheu: assim vocês nunca perderão a firmeza, nem abandonarão a fé.A passagem de 1 Coríntios 9.27:  mostra-nos que até mesmo um grande pregador pode ser desqualificado. “Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado”.SALVAÇÃO: É palavra que deve ser aqui entendida em seu sentido absoluto – a salvação da alma eterno bem-estar nos lugares celestiais. Uma perseverança enérgica para que salvação seja vivida ou executada em nossas vidas. Precisamos temer – dedicar profundo respeito e obediência a Deus – ao Senhor afim de que, tendo recebido tão grande Graça, tão profundo conhecimento, tão multiplicados privilégios, acima de nossos semelhantes, no que diz respeito às realidades espirituais, venhamos a falhar, não dando prosseguimento à salvação, não a levando a sério, até onde esta vida terrena oferece oportunidade para tal aperfeiçoamento espiritual. Amém. Filipenses 2.13: Porque Deus é o que operaem vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade (ARC). Pois Deus está sempre agindo em vocês para que obedeçam à vontade Dele, tanto no pensamento como nas ações (NTLH).“... porque Deus é quem efetua...”.
Manifesta o lado divino da Salvação, tal como o versículo anterior manifesta o lado humano. Pois Deus salva, mas o homem é salvo correspondendo à graça divina nos termos do versículo anterior.Como poderia o homem atingir a salvação dispondo apenas de seus próprios recursos? A graça divina, também significa a presença e o amor de Deus em Jesus Cristo, que é concedida a cada um de nós, através do Espírito Santo de Deus. “... efetuarem vós...”. Tudo quanto houver de bom em nós vem pela operação de Deus; como poderia ser de outro modo? A passagem de Gálatas 5.22.23: descreve diversos aspectos “fruto do Espírito”, demonstrando-nos que faz parte da atuação divina fazer habitar em nós toda a natureza moral de Cristo.  A passagem de 2Coríntios 3.18: ensinaque o Espírito Santo nos transforma de vitória em vitória, de um estágio de glória para outro, levando a imagem de Cristo a ser finalmente duplicada em nós. Ora, isso nos faz observar com antecedência, não apenas como uma modificação por hipótese em nossa natureza humana, não! A modificação é real, de modo ter a mais importante característica do ser de Cristo; é totalmente impossível que o homem faça isso em seu próprio proveito, trata-se de um trabalho divino, espiritual, e não humano. Em seus aspectos práticos, a concretização do poder de Deus, que em nós reside, 1 Coríntios 6.19-20: nos fornece a base do encorajamento, bem como um incentivo para a espiritualidade; pois sabemos  que essa estupenda realização, chamada SALVAÇÃO, pode ser levada a seu término perfeito em nosso homem interior 2 Coríntios 5.1-9:, trata-se de uma realização divina, e não humana, como já escrevemos acima. A Salvação vai depender sempre da vontade humana(querer). Mas! “... o querer...”. Aquios impulsos íntimos no espírito humano mediante o que um homempode dizer “eu quero”, “eu espero”, “eu resolvo”. Todas essas afirmativas refletem a disposição, o desejo do indivíduo; o que é dito reflete o resultado direto da influência do Espírito Santo. Essas influências algumas vezes assumem formas visíveis, como sonhos, visões, dons espirituais diversos; mas, de outras vezes, através de um deseje sútil e íntimo, o qual apesar,de que não se percebe de imediato, nem por isso deixa de ser real. Portanto uma pessoa pode dizer: “Quero ser como Jesus”. E isso vem da parte do Espírito de Deus. E em seguida tal crente se torna mais e mais semelhante ao Senhor Jesus. E isso vem do Espírito Santo. Tudo é uma questão espiritual, isto é, verifica-se mediante contato genuíno do divino com o humano.

“... o realizar...”. Deus leva a bom termo aquelas coisas que desejamos e queremos, contanto que elas envolvam bençãos espirituais autênticas; e ao cumprirmos assim a vontade de Deus, nós mesmos vamos sendo transformados de tal modo que passamos a praticar o bem, pelo impulso de nossas próprias naturezas, mas sempre sob a orientação do Espírito de Deus, tal como Cristo por sua própria natureza praticou o bem. Assim, pois, desejamos e praticamos o bem, e igualmente vamos sendo transformados em pessoas caridosas, misericordiosas.

Agostinho escreveu: “Nós desejamos, mas é Deus que implanta em nós esse desejo; portanto, agimos, mas Deus é quem age em nós”. Entenda, não estamos como que abandonados à nossa própria sorte para conseguirmos a nossa Salvação: o homem através de sua natureza humana é quem pensa dessa forma, e nada vai conseguir como aprendemos no estudo desses versículos. Sua natureza espiritual necessita estar em conexão com o Reino de Deus. O fazer, realizar, no presente contexto, diz respeito àquelas realidades que acompanham a salvação, levando-nos à perfeição, a vida moral, a santificação; mas, de maneira geral, todas as coisas contribuem para produzir uma vida leal a Cristo, sendo isso que determina o grau de glorificação (honra) que receberemos, quando entrarmos nos lugares celestiais. Assim, Deus leva à perfeição aquelas disposições de amor que Ele mesmo implantou em nós, a fim de que não sejamos improdutivos espiritualmente falando, conforme Ele nos prometeu por intermédio de Ezequiel 11.20: Para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os executem ; e eles serão o meu povo, e Eu serei o seu Deus. “... segundo a sua boa vontade...”. O sentido destas palavras precisa ser norteado pelo significado que o trecho de Efésios 1.5,9: diz: a concretização de seus propósitos soberanos e graciosos para com os homens, na redenção humana, oferecida na pessoa do Senhor Jesus. Essa é a vontade de Deus, e esse é o seu prazer; sendo manifestado de muitas maneiras nas vidas diárias das pessoas. Portanto, aprendemos que a vontade divina não envolve uma preferência arbitrária, antes, tem alvos específicos e benéficos no que diz respeito aos homens. Todas essas realidades estão unidas ao amor paternal de Deus, operando em nós na qualidade de filhos seus; e suas operações levam-nos ao bem estar final, a salvação do homem interior.

Romanos 8.28: 2Sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que sãochamados segundo o seu propósito.
Então, o próprio Senhor Deus opera todas as coisas, visando o nosso bem. Foi Deus quem traçou o plano da redenão e que enviou tanto a Deus Filho como a Deus Espírito Santo para executá-lo. Portanto, Ele reune todos os esforço e os coordena, visando ao grande propósito de cumprir a total salvação dos eleitos, de modo que venham a participar da natureza moral e metafísica do Próprio Senhor Jesus Cristo.  Como posso entender “metafísica”? Transcrevo uma parte dos estudos de HUBERTO ROHDENa respeito. Assim, o corpo deJesus, plenamente espiritualizado, já não estava sujeito às leis da matériabruta, que são gravidade e dimensão; ou melhor, o espírito do Cristo a tal pontopenetrara o corpo de Jesus que podia a bel-prazer isentá-lo das leis da matériabruta ou a elas submetê-lo, como fez repetidas vezes, quer antes quer depoisda sua morte. Quando se transfigurou no monte, flutuando livremente no ar,quando subitamente se tornava invisível em face de seus agressores, quandoandava sobre as águas do lago, quando saiu do sepulcro fechado, quandovisitava seus discípulos dentro de recintos fechados João 20.19-31: quando ascendeu aoscéus – nestas e em outras ocasiões o corpo de Jesus estava acima das leis dagravidade/dimensão. “... para o bem...”. Todos os acontecimentos imprevisíveis da vida, por pequenos que sejam contribuem para o nosso bem; e com razãoé essa declaração que dá apoio ao conceito que a vida inteira se reveste de propósito. Assim sendo, a futilidade ou a vaidade sentida no mundo é anulada, visto que descobrimos que o desígnio controla e governa todas as coisas, até mesmo a suposta futilidade é usada como lição objetiva que nos faz voltar a Deus, em que toda a existência se reveste de propósitos. “... chamados segundo o seu propósito...”. Esse propósito de Deus, que também devemos entender como sua vontade, não visa a dar a entender específicamente o tipo de vidaque Ele quer que cada crente tenha: sua escolha de profissão, e nem a vontade de Deus no que diz respeito às flutuações da vida, ou seja coisas que acontecem no cotidiano das pessoas, mas visa, específicamente ao grande propósito divino da redenção humana.

Romanos 8.29: Desde o princípio de tudo Deus decidiu que aqueles que fossem a Ele - e no decorrer dos tempos Ele sabia quem iriam - se tornassem semelhantes ao seu Filho, de tal modo que seu Filho fosse o Primeiro, com muitos irmãos. TRANSFORMAÇÃO SEGUNDO A IMAGEM DE CRISTO.

Síntese sobre seu conteúdo: João 5.25, 26 e 6.57: Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e já chegou em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que a ouvirem, viverão. Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai; também quem de mim se alimenta, por mim viverá. Mateu 4.4: Está escrito. Portanto nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. Esses versículos ensinam que a vida necessária e independente de Deus Pai, que consiste na verdadeira imortalidade, foi transmitida ao Filho de Deus quando de sua encarnação como homem; e então, através do Filho, a todos os outros filhos – Romanos 8.13-17: – de tal modo que passamos a participar da vida divina, a saber, a mesma vida que Deus Pai possui. Todas pessoas que são transformadas  segundo a imagem de Crsto participam desse tipo de vida. A transformação segundo a imagem de Cristo é um processo gradual, produzido através da dedicação diária de todo o nosso ser, através do contato contínuo com a divindade, mediante o Espírito de Deus, que é a força ativa dessa transformação. O objetivo dessa transformação é a implantação, no crente individual, daquela mesma imagem de caráter essencial que é possuído pelo próprio Filho de Deus. É uma operação divina  que não pode ser imitada pela reforma moral, porquanto se trata de um processo espiritual, que afeta a natureza moral, levanddo à perfeição; e isso é realizado em termos exatos, através da transformação metafísica do ser essencial, partindo daquilo que é comum aos seres humanos mortais, transformando-os em seres dotados da mesma natureza que o irmão mais vilho, que é Jesus Cristo. A plenitude de Cristo, entretanto, consiste na personalidade humana transformada. A morte física é a passagem para todas essas realidades.

2 Pedro 1.3-4: Visto como pelo seu Divino Poder nos têm sido dados todas as coisas que conduzem  à vida e à piedade pelo conhecimento completo daquele que nos chama para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas nos tornemos co-participantes da natureza divina, livrando-nos da corrupção das paixões que há no mundo. Essa é a mais profunda verdade do Evangelho, mas que tem sido teoricamente ignorada pelas igrejas em sua maioria, onde a salvação tem sido reduzida ao simples perdão de pecadose à mudança de endereço para os céus. O Evangelho de Cristo, entretanto é muito mais do que isso, e envolve até mesmo a nossa participação na natureza divina. Eu não me ousaria fazer tal pronunciamento, porquanto estaria cometendo o pecado de orgulho de Satanás, que desejou ser igual ao Altíssimo. Mas, neste versículo e em outros, porém, na minha (nossa) qualidade de remido, sou visto por Deus como um ser  de tal modo transformado, segundo a imagem de Cristo, que chegarei até a participar de sua divindade. A natureza humana, assim sendo no caso dos remidos, será transformada segundo a natureza divina. Se compararmos isso com outros trechos bíblicos, chegaremos a entender  que participaremos da natureza divina conforme ela aparece em Jesus Cristo. Nos céus não há estagnação e os crentes não atingirão a elevadíssima glória de Cristo de um único grande salto, como alguns imaginam. Pelo contrário, o alvo mesmo da existência, tanto nos céus como aqui, consiste no crescimento constante, até atingirmos a plena importância de Cristo. Todavia, o tempo necessário para tanto dependerá tão somente de cada indivíduo. Os remidos, por conseguinte, progridem para amais exaltada glória, e não atingem a mesma simplesmente porque morrem físicamente. Apesar de que, olar verdadeiro da igreja de Cristo são os lugares celestiais. A epístola aos Efésios, que reitera com frequência  essa expressão, ensina-nos que existem muitos níveis de vida  e seres espirituais. Mas a promessa a feita todos os crentes é que, nenhuma pessoa ficará aquém desse alvo, pois esse sucesso foi garantido pelo próprio Cristo, no oitavo capítulo de João, bem como pelo apóstolo Paulo, neste oitavo capítulo da epístola aos Romanos.

HEBREUS 2.10: E erajusto e conveniente que Deus, que fez todas as coisas para a sua própria glória, permitisse que Jesus sofresse, porque ao fazê-lo Ele estava levando para o céu grandes multidões do povo de Deus; porquanto esse sofrimento dele fez de Jesus um Líder perfeito, e capaz de conduzi-los para a sua salvação.

Em sua encarnação, Cristo assumiu nossa humanidade, tendo-se limitado a andar pelo mesmo caminho que percorremos, a fim de que pudesse ser o pioneiro do caminho de volta a Deus, e não apenas o caminho de retorno. A encarnação de Cristo se cerca de grande importância, pois assim como Cristo se identificou completamente conosco, assim também nos identificaremos com Ele. Cristo tomou sobre si a natureza humana autêntica; por meio do Espírito Santo, foi transformado como homem, e foi com o poder do Espírito de Deus que operou extraordinárias maravilhas. Além disso, Jesus prometeu que poderíamos fazer prodígios iguais aos que Ele fez, e maiores ainda, medite em João 14.12: Esclareceu que assim poderia ser porque Ele estava indo específicamente para o Pai, o que subentende o dom necessário do Espírito Santo, que ele daria poderes a seus discípulos, para que fosse o seu representante à face da terra, o seu substituto perfeito, o qual viria completar a obra por Cristo iniciada, especificamente no aspecto da transformação dos crentes à imagem do Filho de Deus. além disso, quando de sua ressurreição e ascenção aos céus, Cristo entrou não somente no santuário celeste, os lugares celestiais, a pátria dos cidadãos celestiais, mas, entrou na própria habitação de Deus, o Santo dos Santos do céus. Sim, Cristo foi glorificado, mas ainda aguarda sua posterior e maior glorificação na igreja, bem como quando tornar-se o centro real de toda a criação, tema esse explorado no primeiro capítulo da epístola aos Efésios. Então, as pessoas que confiam em Cristo experimentarão exatamente o mesmo processo. Esses possuem ainda, por aqui viver, a vida mortal na carne, o que para eles serve de escola de aperfeiçoamento, quando lhes é dada a oportunidade de aprenderem os princípios espirituais pelos quais a perfeição lhes será conferida. Tais crentes estão sendo transformados segundo Cristo, e pelo mesmo Espírito Santo que o transformou. Além disso, de modo possível, já participam de sua vida ressurrecta.

Por conseginte, tudo quanto se aplica ao cabeça, que é Cristo, se aplica também ao corpo que é a igreja, tanto no que diz respeito à natureza essencial como no que respeita à herança, incluindo tudo quanto os remidos  receberão, farão e serão; disso é que consiste a condução dos muitos filhos à glória, a duplicação de Cristo no espírito humano. Nós, como filhos temos a mesma natureza do Filho de Deus. Então, como já manifestamos nos escritos dessa revista, que diz respeito à sua (nossa) Savação/Eternidade, e as consequências a que estamos sujeitos ao aceitarmos o retorno aos caminhos de Deus, através do Senhor Jesus Cristo, sob orientação do Espírito Santo; e, se você, que se encontra afastado, desviado, que não dava crédito à Palavra de Deus, manifesto nesta oração que você pense diferente, se arrependa e escute estas palavras de Deus, que espero pela Graça de Deus possam tocar seu ser espiritual; Medite que Cristo fez pela tua eternidade.

A SALVAÇÃO É PARA TODAS AS PESSOAS
ORAÇÃO MANIFESTA NO CAPÍTULO DEZ LIVRO DE ROMANOS.
A Mensagem de Deus está perto de Você, nos seus lábios no seu espírito, isto é a mensagem de fé que anunciamos. Se Vocêdisser com a sua boca Jesus é Senhor da sua Vida, da sua alma,crendo que Deus ressuscitou a Cristo você será salvo. Porque nós cremos com o espírito e somos aceitos por Deus, falamos com a boca e assim somos salvos. Porque as escrituras dizem: Quem crer Nele não ficará desiludido. Isso vale para todos, não existindo nenhuma diferença entre as pessoas. Deus é o mesmo Senhor de todos e abençoa generosamente a todos os que pedem a sua ajuda. Como dizem asEscrituras Sagradas: “todos  os que pedirem ajuda ao Senhor serão salvos”. Pai Santo, tenha misericórdia de todos nós, que vivemos em tempos caóticos: calamidades, mortes e destruições por todos os lados, enfrentamos inimigos furiosos que têm prazer de fazer crueldades às pessoas; aos governantes mentirosos que detendo poder não se sujeitam a ajudar os necessitados nas coisas mais básicas para nós vivermos, há fome e falta de alimentos, até água tornou-se imprópria para uso, epidemias, pestes, diversos vírus infestando o mundo trazendo consigo morte para pessoas. O Diabo eseus demônios usando pessoas humanas  Efésios 2.2.b: para matar roubar destruir; perdoa nossas transgressões, pois nós manifestamos a teu respeito: Tu, Senhor é nosso Deus, nossa fortaleza em Ti confiamos. Que doença algumanão chegue a meu corpo, proteja-me. Em Nome e na pessoa do Nosso Senhor Jesus. A fé vem por ouvir a mensagem, e a mensagem vem por meio da pregação a respeito de Cristo. Marcos 11.22: Tendes fé em Deus.

HEBREUS 2.14: Aqui estou, a Jesus, com os filhos que Deus me deu.

Os filhos, como Ele os chama, são pessoas de carne e sangue. E por isso o próprio Jesus se tornou igual a eles, tomando parte na nossa natureza humana. Ele fez isso para que, por meio da sua morte, pudesse destruir o Diabo, que tem poder sobre a morte.

Cristo, tomou voluntariamente uma posição humilde, a fim de morrer e livrar os homens da própria mortalidade. O ensinamento é bem claro, o atual estado humano humilhado envolve a morte; Satanás está por detrás da questão, pois tem o poder da morte e a impõe a todos os seres humanaos, aterrorizando-os com esse poder. Mas, o Filho, sem recear o diabo e todas as suas obras, assumiu a mortalidade humana e sofreu a morte. Mas, a morte não pôde segurá-lo, e na sua ressurreição Ele nos trouxe a Vida Eterna. A participação do Filho na carne e sangue, na natureza humana e sua mortalidade indica, necessáriamente, a sua participação na morte, o alvo de toda carne, pois está escrito Hebreus 9.27:  aos homens está ordenado morrerem uma vez... Porém, uma vez que participou disso, Ele lhe tomou todo o seu poder. A vida interminável, eterna e a esperança  tomaram seu lugar. Você não pode submeter a tua existência a somente esta vida terrena. Medite nisto: Você tem o direito dado por Deus de Viver Para Sempre. Você é quem decide esta realidade em sua vida, aceitando o Senhor Jesus Cristo como Seu Senhor e Salvador. Sou um ser mortal , mas este meu corpo físico, que um dia morrerá, é apenas uma tenda temporária 2 Coríntios 5.1-10: para eu viver neste mundo; morrendo, há um templo (casa, corpo) permanente preparado por Deus para abrigar meu ser espiritual, a verdadeira pessoa interior que o corpo terreno abrigava, e haverá uma vida sem fim nesse templo. O arrependimento tem que ser exercido aqui, a negação à sua própria vida nos céus, dessa sua desistência, não poderá ser mudada nas regiões celestiais. Não duvide da sua vida eterna. Seja sincero consigo mesmo, entenda, só você tem a ganhar ou a perder no “jogo” que faz de sua existência. “... carne e sangue...”.1 Coríntios 15.50: “ O que é feito de carne e de sangue não pode ter parte no Reino de Deus, e o que é sujeito à morte não pode ter a imortalidade. Entendo que o meu corpo ressurreto não será material, e nem participará dessa forma de vida terrena, já que não é carne e sangue, mas antes, será de ordem espiritual, conferindo um veículo (tenda) apropriado de expressão para a existência nos mundos celestiais. Como já disse o nosso espírito é o homem interior real, seremos conhecidos nos céus como a mesma pessoa que vivia por estas bandas terrenas; é, a dimensão do homem que lida, convive  com o âmbito espiritual se relacionando com o Reino de Deus. A alma é o intelecto, as sensibilidaes, que raciocina, pensa e se manifesta com o universo da nossa mente. O que muda depos da morte física é o corpo, pois teremos  um corpo espiritualizado para vivermos nas regiões celestiais, mas, não deixaremos de sermos a  mesma pessoa com todas as suas  caracteríticas peculiares. Glória a Deus. A participação de Cristo neste mundo terreno, foi idêntica à nossa, exceto que ele não experimentou pecado. Ele se tornou filho do primeiro Adão, tal qual todos os homens, pois de outro modo sua encarnação não teria sido plenamente humana. Cristo tornou-se o que somos, a fim de que nós, por seu intermédio, nos tornemos o que Ele é, isto é, filhos que estão sendo conduzidos à glória: medite em Hebreus 2.9-15: “... aquele que tem o poder da morte...”. Jó 1.12:  “E disse o Senhor a Satanás. Eis que tudo quanto tem está na tua mão, somente contra ele não estendes a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor”. Jó 2.6-7:  E disse o Senhor a Satanás: Eis que ele está na tua mão; poupa, porém, a sua vida.Então saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó com o Coronavírus, Influenza vírus, H1n1- H5N1, Dengue, “OPS”, falha nossa, desculpe, retifico, melhor dizendo, como está escrito no versículo: ferindo Jó duma chaga maligna desde a planta dos pés até ao alto da cabeça. Nos Livros mais antigos do A.T.  como em Jó 1.12: e 2.6: vemos que Satanás é considerado como alguém que tem poder de matar e cometer atrocidades, causando enfermidades físicas às pessoas neste mundo terreno. Seria de grande valia espiritual você meditar no Livro de Jó para compreender o que acontece no atual mundo em face do exposto no Novo Testamento, a Nova Aliança, daquilo que Jesus nos adverte a respeito de Satanás.

JOÃO 8.44: SATANÁS É O PAI ESPIRITUAL DAQUELES QUE AINDA NÃO SE ENCONTRARAM COM CRISTO, E, PORTANTO, DOS QUE AINDA NÃO PARTICIPAM DA FAMÍLIA DIVINA. O DIABO NÃO DESISTE FACILMENTE DOS MEMBROS DE SUA FAMÍLIA. DESDE A CRIAÇÃO DO MUNDO ELE FOI ASSASSINO – COMO ESTÁ ESCRITO ELE É O DEUS DESTE MUNDO E SEU PRAZER É MATAR ROUBAR E DESTRUIR. É MENTIROSO E PAI DE TODAS MENTIRAS DITAS NESTE MUNDO.
Não pode haver dúvidas de que as forças das trevas, as pessoas espirituais malignas, têm o poder de impor a morte; mas, aqui a ideia é que a morte, em geral, é resultante do pecado, ou seja, desobediência a Deus, ser cruel e perverso contra seus semelhantes etc. decretado por Satanás. O pecado é a condição, e Satanás é o agente da morte.  Isso tudo é feito por permissão de Deus, para mostrar à humanidade que tremenda é a maldição do pecado; mas, por fim, os homens aprenderão a lição, preferindo a justiça. O pecado produz tanto a morte física como a morte espiritual; e ambas coisas são manifestas nesta passagem, pois de que valeria Cristo livrar os homens da morte física, somente para permitir cair na morte espiritual.Mas há livramento? Sim. Romanos 6.23: Pois o salário do pecado é a morte, mas o presente gratuíto de Deus é a vida eterna, que temos em união com Cristo Jesus, o nosso Senhor. A morte é reino do diabo, pois ele é o autor do pecado. O SALÁRIO DO PECADO É A MORTE”!O sentido é de algo adquirido pelo indivíduo, como o salário necessário e merecido do pecado. O pecado paga aos seus escravos castigando-os. O seu salário é a morte, a morte que está disponível aos que a merecem, é a destruição do bem-estar da alma; que odioso empregador o pecado! Que horrível serviço! Coisas infernais! Entretanto, o pecado é o Senhor escolhido por muitas pessoas, exceto por aqueles que pertencema Cristo Jesus. 1 João 5.18-20: Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não está no pecado; Deus o protege, e o Maligno não o atinge. Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno. Sabemos também que o Filho de Deus veio e nos deu entendimento, para que conheçamos aquele que é o Verdadeiro. E nós estamos naquele que é o Verdadeiro, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna. Salvação/Eternidade!

O homem encontra na morte o fim para todas as esperanças, para todos os projetos, para todos os pensamentos e planos. A sua vida agitada, desassossegada, inquieta e repleta de agonias,  agora não o conhece mais. A sua natureza cedeu lugar, incapaz de resistir a esse senhor, a morte, ao qual ele pertence, que comunica seus direitosradicalmente, sem tolerância. Porém, isso é longe de ser tudo. Pois verdadeiramente como um homem vivo neste mundo desaparece do nada? Mas, por quê? É que o pecado apareceu; com o pecado veio o conhecimento que permite ao ser humanos vivenciar essa realidade; com o pecado veio o poder de Satanás; e, mais ainda, com o pecado veio o julgamento de Deus. A morte é a expressão e a testemunha de tudo isso. Ela é o salário do pecado, o terror da consciência e o poder de Satanás sobre o homem, poisele é quem agita o poder da morte se expressar. Pode Deus ajudar neste particular? Deus mesmo é quem julga o pecado. A morte parece ser antes a prova de que o pecado não deixou de ser notado, sendo esse o terror e essa a praga da consicência, como testemunha que ela é do julgamento de Deus, como “oficial de justiça” para o criminoso, como prova de sua culpa, na presença do juízo vindouro. Como, pois, poderia deixar de ser terrível. É o próprio selo posto sobre a queda, a ruína e a condenação do primeiro Adão; e ele (o pecador) nada tem senão essa velha natureza. No entanto, Cristo veio. Ele veio até o reino da morte, ó admirável verdade, o próprio Príncipe da Vida! E o que é a morte agora para o crente?Devido ao bendito Salvador ter entrado por mim na morte e também no juízo, Ele se tornou a minha Salvação. O pecado, que tinha por salário a morte, foi eliminado pela própria morte. Cristo é aqui destacado como o doador da vida, juntamente  com tudo que está vinculado a ela, fazendo contraste com o pecado, que é o intermediário da morte. Devemos observar, que todo e qualquer avanço espiritual à salvação, está vinculado ao Senhor Jesus.

MOFFATT ESCREVEU: A ELIMINAÇÃO DA MORTE, DENTRO DO REINO DO MESSIAS, É UMA QUESTÃO PROFETIZADA (DANIEL 12.2,3:) A PALAVRA PODER É USADA PARA INDICAR O “PODER DE UM REINO”, AQUELE DO QUAL SATANÁS É O CHEFE. SEU REINO LEVA À MORTE FÍSICA E ESPIRITUAL  AQUELES QUE SE PÕEM AO LADO DO DIABO ENCONTRAM A MORTE... E QUE TRAZEM CONTRA SI MESMOS EM RESULTADO DE SEUS PECADOS”.  Ahistória naquilo que é mais importante, consiste na apreciação dos fatos da vida cotidiana, de como Deus convence os homens que a lealdade a Satanás lhes é prejudicial; os homens precisam de longo tempo para aprender tal lição. Algmas pessoa aprenderão que o caminho divino da retidão é melhor. 1 Tessalonicenses 4.3: PORQUE ESTA É A VONTADE DE DEUS, A VOSSA SANTIFICAÇÃO: QUE VOS ABSTENHAIS DA PROSTITUIÇÃO. SANTIFICAÇÃO? Qualidade do membro do povo de Deus que o leva a se separar dos pagãos, a não seguir os maus costumes deste mundo, a pertencer somente a Deus e a ser completamente fiel a Ele. Refere-se ao processo que leva o crentea tornar-se uma pessoa dedicada, santa, baseada em um início implantado quando da conversão, plenamente reconhecido diante de Deus, realizado no indivíduo através de sua transformação moral. O alvo final é a perfeita concretização dessa santidade na pessoa, de modo que a própria santidade de Deus Pai seja plenamente absorvida nela. Mateus 5.48: Sede vós perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. Somente essa forma de santidade é aceitável por Deus; e todas as pessoas que habitam nos lugares celestiais, estando próximos de Deus, devem ser santos como Deus é santo. Ainda, consiste em realmente aperfeiçoar o crente mediante a influência do Espírito Santo; e isso chamamos de santificação presente. A linha divisória entre a justificação e a santificação é muito tênue, se é que realmente existe. A justificação em seu sentido pleno, torna-se real e vital na santificação, que é a operação do Espírito Santo que torna o indivíduo dedicado e santo, e que assim, vem a tornar-se tão santo quanto o próprio Deus. E isso significa que o homem torna-se-á tão santo como Deus, ou seja, pleno de bondade, de justiça e de amor, e esse é o alvo na direção do qual estamos sendo levados pela santificação. È a transformação de nossa natureza moral que produz uma modificação da natureza metafísica, a qual nos tornará participantes da própria natureza e divindade de Crsto, a saber, da total plenitude de Deus. Esse é o nosso alvo.    

EFÉSIO 3.19:  CONHECENDO O AMOR DE CRISTO QUE EXCEDE A TODO NOSSO CONHECIMENTO, PARA QUE NÓS SEJAMOS CHEIOS DE TODA A PLENITUDE DE DEUS.  AMÉM.

Em termos gerais, tudo isso está envolvido no processo de sermos separados ou dedicados para Deus, para seu uso, para seu serviço, tanto na terra como nos céus, tanto no tempo como na eternidade. Deus santifica, Cristo santifica e o Espírito Santo santifica, mas o próprio crente também se santifica, cedendo à influência divina e aplicando os meios normais de adoração e purificação, como a oração, o estudo da Palavra de Deus, além da investigação minuciosa feita pelo Espírito Santo. Esse são meios que compete ao crente aplicar a si mesmo, a fim de que o Espírito Santo, opere sua obra santificadora, As experiências espirituais específicas podem intensificar a busca e fornecer vitórias especiais no terreno da santificação; o aprendizado obtido através da prática poderá expressar tudo para nós. De fato, na qualidade de seres mortais não somos ainda o tipo de pessoas que possa ter a santidade em seu sentido mais completo. É necessário que o indivíduo receba a natureza divina e esteja habitando nos lugares celestiais, antes de poder dar os passos necessários no caminho da perfeição moral que podemos intitular de inteira santificação. Trata-se de uma inquirição eterna, e não simplesmente da terra ou dos céus , como se por ocasião da partida do crente deste mundo e de sua entrada nos lugares celestiais, tudo pudesse ser atingido automática e repentinamente. Pelo contrário, esse exaltado alvo está sendo atingido; e nisso consiste a própria existência do crente, consite a própria natureza da vida eterna, tornarmo-nos cada vez mais semelhante a Deus. Entenda a santificação é e sempre será de prática espiritual, ou seja, vem através da comunhão espiritual com o Espírito de Deus, mediante sua presença habitadora contínua. “... a vontade de Deus...”. está em evidência aqui o que Deus quer, que deseja, de conformidade com seus desígnios acerca do elevado destino do hamem. “... prostituição...”. Tal vocábulo indica o abuso geral do sexo, o uso ilícito dos impulsos sexuais; estando em foco todas as variedades desse tipo de pecado. Uma excelente tradução neste caso: IMORALIDADE, referindo-se a qualquer espécie de tolerância sexual ilícita. Devemo-nos lembrar que os crentes tessalonicenses serem originários de um ambiente onde a liberdade sexual – aqueles que que se entregam imoderamente aos prazeres do sexo – a promiscuidade era considerada como natural e inevitáveis, como se fossem expressão de normalidade. Além disso, o povo judaico, de onde provinham os missionários cristãos, era um povo muito mais moralizado, em sua maneira de pensar e em sua conduta; e as exigências especialmentes cristãs ainda eram mais severas. E não há que duvidar que essa continua sendo uma questão crítica até hoje na moderna igreja evangélica. Aqueles que se deixam vencer pelos vícios sexuais não podem herdar e nem entrar no reino celestial. Nossa santificação deve envolver e solucionar esse problema, pois, do contrário, não nos teremos realmente convertidos a Cristo.

Prostituição: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Prostituição é a troca consciente de favores sexuais por dinheiro. Uma pessoa que trabalha neste campo é chamada de prostituta; um tipo de profissional do sexo. A prostituição é um dos ramos da indústria do sexo. O estatuto legal da prostituição varia de país para país, a ser permitido, mas não regulamentado, a um crime forçado ou não forçado ou a uma profissão regulamentada. A prostituição é praticada mais comumente por mulheres, mas há um grande número de casos de prostituição masculina em diversos locais ao redor do mundo.

João 5.24: Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entra em juízo, mas passou da morte para a vida. O homem regenerado possui a Vida Eterna desde o instante em que foi regenerado, posto que nele já veio habitar o Espírito da Vida, e assim, com o Espírito de Deus presente em seu íntimo, ele já passou da morte, o que é dito neste versículo – meditar Apocalipse 2.11: – porquanto a morte é vista aqui como ambiente espiritual em que este indivíduo antes habitava. Deus vê a era vindoura como algo já presente entre nós, e o critério á a reação favorável à fé, fé essa que tem por objeto tanto o Pai como o Filho. Encontramos aqui, uma espécie de escatologia cumprida, porque os principais elementos do estado futuro, a saber, a morte e a vida, são ambientesnos quais os homens vivem, por meio de suas atitudes e de suas decisões espirituais tomadas.

REGENERAÇÃO: Efésios 2.1-2: RESTABELECIMENTO DO QUE ESTAVA DESTRUIDO. A HUMANIDADE ESTÁ MORTA EM SEUS DELITOS/PECADOS. Tito 3.5-11: Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, que abundantemente Ele derramou sobre todos nós por Jesus Cristo nosso Salvador. Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da Vida Eterna. João 5.25: Em Verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão. As palavras “... vem a hora, agora é, ou seja, já chegou...”. Refere-se à missão do Filho, então iniciada entre os homens,embora igualmente antecipe um futuro advento, uma segunda vinda gloriosa, a fim de julgar e de ressuscitar. Os indivíduos espiritualmente mortos são encarados como pessoa que vivem vidas irreais, estando meramente neste mundo, sob o controle do diabo – medite 1 João 5.19: –. O “... ouvir da voz...”. Subentende a ressurreição,à chamada dos mortos para fora, a outorga da verdadeira vida, que é manifesta pelo termo Vida Eterna. Somente aqueles que tiverem tido a atitude própria e que já participam da vida divina, é que poderão ouvir essa voz de Cristo; mas, uma vez que a ouçam, a sua participação na Vida Eterna tornar-se-á mais completa e permanente. O cristianismo combina Vida Eterna de duas maneiras: Imortalidade de nosso ser espiritual em 2 Coríntios 5.1-10: e, quanto ao nosso novo corpo espiritualizadoem 1 Coríntios 15.12- 58: João 5.26: Pois assim como o Pai tem em vida em si mesmo, assim também  deu ao Filho ter vida em si mesmo. Isso significa que somente Deus tem uma vida que se gera e sustenta a si próprio, não dependendo de quem quer seja para o seu começo ou continuação. A expressão vida necessária destaca o fato de que ela é manifesta por si mesma, sendo o tipo de vida que não pode cessar de exisitir. Toda e qualquer outra vida é dependente e não necessária o que significa que dependemos da vida necessária de Deus para podermos existir. Assim sendo, aprendemos que essa necessária não se refere somente ao ser físico, isto é, que a vida física depende de Deus, mas a própria vida eterna também depende Dele. Deus criou o homem a fim de poder soprar dentro dele a vida divina ou eterna, e essa vida eterna é a vida de Deus, e, de acordo com os termos usados neste versículo, é a mesma coisa que a vida necessária ou vida independente. O logos (João 1.1-4) em seu estado anterior à encarnação, por ser o Filho de Deus já participava dessa vida necessária. Contudo, por ocasião da encarnação, ele tomou sobre si mesmo a vida mortal, o que fica provado pelo fato de que Ele morreu como homem. Então, foi ao Filho na qualidade de homem, que Deus deu essa vida independente ou necessária. Assim, o Senhor Jesus, 1TIMÓTEO 2.5: como homem, se tornou o primeiro ser humano realmente imortal poquanto é como homem que Cristo possui a vida necessária. Por intermédio do Filho de Deus é que essa vida necessária ou independente é transmitida aos remidos, e é isso que é ensinado nos versículos 21, 24 e 25; e, de fato o termo vida eterna implica em tudo isso, pois a vida eterna consiste na verdadeira participação da vida divina. Ver 2 Pedro 1.4: Porém o grande desígnio do Evangelho, mediante a obra do Filho de Deus, é que os homens venham a participar também dessa vida independente ou necessária; nisso consiste a imortalidade e essa é a vida eterna. Apesar de, parece inegável que este versículo fala particularmente da condição do Filho encarnado, bem como da subsequente transmissão dessa mesma vida aos homens remidos. Como parte do tema de Cristo, como o pão da vida, a passagem de João 6.57: também ensina a realidade da vida necessária. João 5.27: E deu-lhe autoridade para julgar, porque é o Filho do Homem. O Filho do Homem é identificado como o juiz de todos, por seu próprio direito; podendo julgar por ser homem, por ter passado pela experiência humana em sua encarnação., pois que, participou perfeitamente de nossa natureza, passou pelos mesmos testes, sentiu os mesmos desapontamentos, mas em tudo saiu vencedor; também podemos ser vencedores Nele, se assim quisermos. Jesus provou, em sua encarnação, que um homem dotado de livre arbítro, pode preferir o bem, ao invés do mal, por ser essa a escolha certa. Dos homens  é requerido que façam isso, mas não podem atender a essa exigência, a não ser mediante o poder do Espírito de Deus em seu íntimo.

João 5.21: Porque, assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida aos que ele quer. Não existe maravilha física mais admirável que a da ressurreição dos mortos; por semelhante modo, não existe maravilha espiritual mais importante do que a doação da vida eterna, a verdadeita imortalidade. A morte é o grande inimigo do corpo humano, e a morte espiritual é o grande inimigo do homem interior que toda pessoa possui 2 Coríntios 4.16: ARC. Porém, o Filho de Deus tem o remédio para ambos os males, sendo essa a imensa maravilha que o Pai é capaz de realizar, mas que entregou às mãos do Filho. Ora, essa entrega da vida Eterna é justamente o propósito central da encarnação de Jesus, bem como sua grande missão como Messias. De fato, os homens passam pelo estado mortal à semelhança de Jesus, achegando-se a Ele e sendo regenerados; em seguida passam pela morte à semelhança Dele, e dai chegam à vida imortal; finalmente são ressuscitados à semelhança Dele e então são glorificados. Tudo disso participamos, imitando a experiência de Cristo, e assim como Jesus se tornou o primeiro homem verdadeiramnete imortal, assim também nós cristãos nos tornaremos verdadeiramente imortais, o que significa não somente que faremos parte de uma existência interminável (O Glória a Deus), e, sim que receberemos certa qualidade de vida a saber, a Vida de Deus Pai, a vida celestial; participando da vida divina e necessária, que é a vida que não pode deixar de existir. 1 Pedro 2.9: Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a Ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. ISRAEL Nome usado para o povo de Israel no A.T. agora aplicado ao povo de Deus no N.T. Espiritualmente falando, a igreja tem uma vida comum, porque a Vida de Cristo é participada por todos; e também possuem uma descendência comum, já que todos nós participamos do Novo Nascimento: Somos filhos de Deus. Os crents são uma nova raça destinada a habitar na pátria e na cidade celestial, a nação ideal, somos santos porque fomos separados do mundo, de seus vícios e corrupções. Nós, como nação santa devemos ser uma nação separada de outras nações, tanto na conduta da vida como na natureza da alma. “Povo de propriedade exclusiva de Deus”. O povo possuído, portanto, deve ser santo, porque faz parte dos domínios de Deus. Idêntico argumento pode ser visto em 1 Coríntios 6.19-20: não pertecemos a nós mesmos; não podemos agir como melhor nos pareça; pelo contrário, fomos comprados por preço, a saber, ao custo da expiação pelo sangue de Cristo. Assim sendo, pertencemos a Cristo, de corpo e alma; tornamo-nos a localidade da glória de Deus, porquanto seu Espírito Santo habita em nós. “A fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para sua maravilhosa luz”. Essas virtudes, declaro agora mediante a pregação do evangelho, mas também as declaro por minha vida dedicada ao Senhor. NB: privilégios envolvem responsabilidades:o povo de Deus deve empenhar-se em sua tarefa, que não foi cumprida pelo antigo povo, a declaração dos feitos admiráveisde Deus, que os chama das trevas do paganismo para a maravilhosa luz da SALVAÇÃO. O cristão deve exibir, em suas palavras e em sua vida, não simplesmente a bondade de Deus, mas também a sua glória, a sua grandeza, todos os seus nobres atributos, como justiça, a sabedoria e a força. Naturalmente, este versículo tem certo sentido evangelizador: a exibição das excelências divinas é feita mediante a pregação do evangelho, por meio do que Deus mostra a sua bondadepra conosco, por intermédio de Cristo. ATENÇÃO: A ideia oposta à luz, “trevas” é usada porque o pecado é a ignorância de Deus, o contrário exato da iluminação espiritual. O pecado é assim chamado porque geralmente é praticado em segredo, escravizando o caráter do impio, do descrente que nossos olhos cristãos não podem contemplar. O pecado é privação daquilo que é bom e saudável, em que o pecador se “oculta” de Deus e da Luz da Majestade de sua Presença.

1 Pedro 2.10: Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo; antes, não conheciam a misericórdia de Deus, mas agora já receberam a sua misericórdia.Os gentios não mereciam o nome de povo em qualquer sentido dotado de propósito comum e de alvo de vida. De modo algum cumpriam o ideal divino quanto ao ser humano, não podendo ser chamado de povo, segundo os padroões de Deus. A dignidade vem

através fa fé e da obediência ao Senhor, portanto a verdadeira humanidade é obtida quando Cristo é inspirado no ser humano.“...mas agora são o seu povo...”. Esse é o povo que tem as seguintes caracaterísticas: Eles pertencem a Deus. É a revelação divina na esfera terrena, de seus desígnios espirituais atinentes à fé. Estão destinados a receber a plenitude da natureza de Cristo. Por isso mesmo, tornam-se cidadãos do mundo eterno, um povo que ultrapassa questões humanaas, transcende este mundo. Esse é o grande alvo da humanidade. A terra não é nosso verdadeiro lar. Desde o começo o homem foi um ser celeste ou espiritual; a queda no pecado destruiu tal imagem. O homem passou a merecer o lugar ocupado nesta terra, entre os animais, passou a merecer seu corpo animalesco, porque negou a sua origem espiritual desprezando seus privilégios celestiais. Mas Cristo tornou possível a restauração da imagem celestial do homem e, isso lhe dá o direito de voltar ao seu lar verdadeiro.

1 Pedro 2.11: Queridos amigos, lembrem que vocês são estrangeiros de passagem por este mundo. Peço, portanto, que evitem as paixões carnais que estão sempre em guerra contra a alma. Aquilo que é ordenado a nós,os crentes, não tem o propósito de nos prejudicar, ou seja, tirarnossa liberdade, impedindo nossa auto realização, nem interferindo no cotidiano de nossas vidas. Anteriormente éramos estranhos para Deus; mas agora Deus nos orienta a nos afastarmos das vontades do mundo, para o nossopróprio bem estar. Tudo quanto possuímos no N.T. nos foi dado para orientar-nosem nossas vidas mortais, são conselhos dados com amor pelo nosso Pai, por Cristo Jesus, pelo Espírito de Deus. Sempre que esses conselhos nos sugerem restrição, deve ser observado como necessário ao nosso verdadeiro bem estar, visando o que é espiritual e duradouro. A exortação, o consolo ou a ajuda espiritual, portanto são funções espirituais alicerçadas sobre a obra do Espírito de Deus entre nós. “... como peregrinos...”. Como estranho, estrangeiro, alguém que vive em terra que não é sua, que não tem residência fixa no lugar onde habita: o cristão é retratado como alguém distante de seu lar, porquanto seu lar verdadeiro é o Céu. N qualidade de estrangeiros não devem envolver-se nas corrupções do mundo; isso é algo contrário à natureza deles. “... forasteiros...”. Um exilado, um forasteiro, alguém que permanece por pouco tempo em um país estrangeiro. “... evitar...”. Conservar-se longe: a ordem é dada é de nos mantermos distantes das paixões prejudiciais, que podem prejudicar não apenas o corpo, mas, principalmente a alma. . “... paixões carnais...”. Esse vocábulo era usado em conexão com as aberrações sexuais. Na maioria das listas de vícios do N.T. ver Romanos 1.29-32: e Gálatas 5.19-21: os pecados de natureza sexual ocupam lugar de destaque. Os antigos gentios, tal como as gerações modernas, são perturbados principalmente pelos pecados da carne; logo, é natural que fossem mais advertidos os crentes quanto a esses problemas. Mas, e hoje, cristãos? Quais os vícios sexuais que temos notícias! Prostituição, relacionamentos sexuais fora do casamento, o adultério, fornicação, estupros, relações sexuais entre mulheres, entre homens. Swing (sexo) – Wikipédia, a enciclopédia livre. Swing ou troca de casais, é um relacionamento sexual entre dois casais estáveis que praticam sexo grupal como uma atividade recreativa ou social. Existem correntes que consideram o swing quando um casal adiciona um ou mais elementos numa relação sexual. No entanto, o swing é um estilo de vida que casais adultos assumem para permitir e realizar suas próprias fantasias juntando-se com outros casais com a mesma filosofia para compartilharem a amizade e a intimidade sexual.Todo crente, autêntico, terá de sentir-se como um estrangeiro neste mundo: aqueles que não são peregrinos dificilmente podem pertencer ao grupo seleto dos eleitos. Aquele que vencer: descrição do crente genuíno.

Timóteo 4.8.b. Pratique a espiritualidade e empenhe-se em ser um cristão cada vez melhor, isso o ajudará, não só agora, nesta vida, mas também na vida futura.

A Graça de Deus Controlaa Sua Vida?

Romanos 6.8-11: Se já morremos com Cristo, cremos que também viveremos com Ele. Sabemos que Cristo foi ressuscitado e nunca mais morrerá, pois a morte não tem mais poder sobre ele. A sua morte foi uma morte para o pecado e valeu de uma vez por todas. E a vida que Ele vive agora é uma vida para Deus. Assim também nós devemos se considerar mortos para o pecado; mas, por estarmos unidos com Cristo Jesus, considerar-nos vivos para Deus.

Entenda, a verdadeira religião cristã, revelada por Deus no pacto do N.T. é acima de tudo espiritual; em outras palavras, supõe algum contato genuníno com o que é divino, por parte do homem interior, sendo essa a definição básica do misticismo cristão. Nós cristãos devemos nos apropriar da posição que possuimos em Cristo, mediante ações espirituais refletidas em nossa conduta diária, a comunicação real do Espírito Santo que ensina como é Cristo aos nossos seres espirituais João 14.26: Sabemos que, por causa da graça de Deus, fomos libertados e perdoados, tendo-nos sido conferidos aquele destino que está reservado aos remidos (resgatados), a fim do mesmo realizar-se em Cristo. Há aquela questão real da transmissão do Espírito Santo em nosso íntimo, um poder que nos vem do exterior, mas que se torna perfeitamente real para o homem interior 2 Coríntios 4.16.b: Nisso está envolvida a operação transformadora do Espírito Santo, a comunicação de sua pessoa de seus dons;  e disso resulta a elevação da personalidade humana. Então, trata-se de uma força viva e atuante no íntimo duma pessoa que não pode em hipóste alguma ser ignorada 1 Coríntios 6.19: A morte com Cristo e a vida com Ele são experiências reais, e que precisam ser realizadas na vida do crente. A verdade de que alguém é crente está contida nestas realidades; a chamada de Cristo nos convida a vivermos à altura dessas verdades.  Estamos mortos para o pecado, devido à morte de Cristo; estamos vivos para Deus, na ressurreição de Cristo. A existência de nossa fé consiste na nossa união com Ele , em que a experiência de Cristo se torna também a nossa . Nossa união com Cristo  morto e ressurreto, mediante a fé, pelo Espírito Santo - Eis aqui nosso segredo de paz com Deus que nunca se esgotará, de vida para Deus, agora e na eternidade.

Romanos 6.12-13: Portanto, não deixem que o pecado domine o corpo mortal de vocês e faça com que vocês obedeçam aos desejos pecaminosos da natureza humana. Também não entreguem nenhuma parte do corpo de vocês ao maligno, para que ele a use a fim de fazer o que é mau. Pelo contrário, como pessoas que foram trazidas da morte para a vida, entreguem-se completamente a Deus, para que Ele use vocês a fim de fazerem o que é direito.

A ação do corpo é controlada pela mente. Provérbios 4.23: Tenha cuidado como o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos. Para que as ações do corpo sejam modificadas necessário que a transformação se dê no homem interior (espírito/alma), a parte imaterial do homem. É o ser espiritual que o Espírito Santo regenera; e então o homem é conclamado a converter-se, santificar-se, quando então os seus membros físicos se tornarão instrumentos da transformação espiritual que é o alvo dos remidos. Quanto mais profunda tornar-se essa trans formação, mais diferente irá tornando-se o uso dos membros de nosso corpo. É uma questão de atitude! Como por fim ao reinado do pecado na vida duma pessoa?A vitória não se obtém simplesmente pelo conhecimento de uma crença religiosa e concordar com ela. A fé é um atributo do espírito humano, uma outorga da alma aos cuidados de Cristo. Dessa maneira, o ministério do Espírito Santo se torna nosso e Ele realiza a obra em nós, contanto que encoragemos sua presença e operações. O evangelho não requer do homem a perfeição, pois, nesta vida terrena, isso é impossível; mas, o evangelho requer vitória. O indivíduo convertido não pode ser praticante de vícios. Ver Gálatas 5.19-21: O homem, sendo um ser espiritualtão somente se degrada quando permite que os desejos de seu corpo mortal dominem a sua vida. A menção do corpo mortal tem por propósito encorajar-nos, porque nos mostra que, afinal de contas, a noss luta contra o pecado, a maldade, a iniquidade 1 joão 3.4: se limita ao campo de nosso corpo mortal, significando que, por pior que seja essa luta será de curta duração. Isso não significa, que a luta pela perfeição termina para o crente quando de sua morte física, como se tornássemos instantaneamente aperfeiçoados, assim que deixarmos para trás o corpo terreno. Não. Porquanto o crescimento espiritual, que nos aproxima mais e mais da perfeição de Deus, especificamente na plena participaçao de sua natureza moral, é um alvo do espírito humano,e não simplesmente do corpo; e, em Cristo, a alma do outro lado da existência dá prosseguimento à sua busca pela perfeição: somente uma alma redimida pode ocupar-se desse avanço espiritual. Pouco ou nada adianta estabelecermos, através de argumentos teológicos, que somos homens tirados da morte para vida, se jamais demonstramos essas verdades, traduzindo-as na forma de umaconduta diária compatível com a fé que confessamos . Até mesmo os nossos membros físicos serão usados como armas que lutemos na batalha pela justiça de Deus.O homem remido descobre que o seu corpo é o templo do Espírito de Deus, e desse modo, os poderes da maldade são repelidos, não podendo penetrar nele. Medite em 1. João 5.18:

Fim...