Imortalidade » Espírito/Alma

A Imortalidade Cristã 2 Coríntios 5.8

Sim, estamos totalmente confiantes, e nós preferíamos estar longe destes corpos terrenos e estar em casa com o Senhor Jesus Cristo, nos Céus.

2 Coríntios 5.1-9:

Porque, nós cristãos, sabemos que, quando esta tenda em que agora vivemos for desfeita, quando morrermos e deixarmos este corpo terreno, teremos um maravilhoso corpo novo no céu, um lar que será nosso para todo o sempre, feito para nós pelo próprio Senhor Deus, e não por mãos humanas. Pois neste tabernáculo nós gememos, desejando muito sermos revestidos da nossa habitação que é do céu. Com o tempo, vamos ficando cada vez mais cansados desse corpo atual! Eis porque esperamos com ansiedade o dia quando teremos um corpo celestial, que vestiremos como roupas novas. Se, todavia, estando vestidos, não formos achados nus; mas é certo, não seremos apenas espíritos sem corpo. Sim, enquanto vivermos nesta tenda, que é o nosso corpo físico, gememos, nos sentindo oprimidos; não é que queiramos morrer e nos livrar desses corpos que nos vestem, mas é que queremos vestir o nosso corpo celestial, para que nosso corpo mortal possa ser absorvido pela vida eterna. Isso é o que Deus preparou para nós e, como garantia, Ele nos deu o Seu Espírito Santo. Agora confiantes, nós desejamos habitar em nosso corpo celestial, e compreendemos que cada instante que gastamos neste corpo terreno, é tempo gasto longe do nosso lar eterno, no céu com Jesus Cristo. Sabemos que essas coisas são verdadeiras pelo que cremos, e não pelo que vemos, ou seja, andamos por fé, e não por vista. Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor. Assim, o nosso alvo é agradá-lo sempre em tudo quanto fizermos, quer estejamos aqui nesse corpo ou fora desse corpo e com Ele no céu, ou seja, neste corpo ou fora deste corpo, nosso alvo é agradar a Cristo Jesus.

Compreenda a Imortalidade do Cristão
Imortalidade = que não morre = que é Eterno = Não tem fim.

A imortalidade duma pessoa deve ser seu desejo de vida mais ardente, intenso, pois, após a sua vida terrena e, pela sua escolha de viver em Cristo Jesus, a sua existência prossegue; sim, liberto desse corpo físico, pelo que chamamos de “morte”, o verdadeiro homem interior segue seu objetivo 2 Coríntios 4.16: o ser espiritual da pessoa cristã parte para aquelas regiões celestiais, vai para sua almejada eternidade, seu destino maior. E, que o homem Oséias 4.6.a: entenda que este “seu” acontecimento é de imediato, após a perda do corpo terreno, que até então abrigava a verdadeira pessoa, o homem interior. 1 Pedro 3.4: Vocês devem se preocupar com a beleza que vem do seu interior, a beleza de um espírito manso e tranquilo, pois esta beleza nunca se perde e é muito preciosa aos olhos de Deus. Mas, como está escrito, é o próprio homem quem tem que provocar essa situação, acontecer, enquanto em sua vida terrena. Muitos, dizem (baseado em que?) morto o homem, ele só reaparece na Segunda Vinda de Cristo, assumindo uma realidade espiritual por outra! Não sabendo (?) diferenciar a ressurreição do corpo terreno, (do homem exterior) que será obtida na Parousia de Cristo. Não pretendo falar da morte Hebreus 9.27: total do homem mais, Apocalipse 2.11: da Vida do Ser Espiritual que toda pessoa possui em função de sua existência eterna. Sim, falo a vocês da imortalidade de vosso espírito de sua alma que é comum a todas as pessoas. Como assim? Dois exemplos pra você entender: A alma de Pedro, o Apóstolo, que diz: 2 Pedro 1.14: Sabendo que brevemente hei de deixar este meu tabernáculo, como também nosso Senhor Jesus Cristo já me tem revelado. O Senhor Jesus Cristo mostrou que os seus dias aqui na terra já estavam contados. O que diz o Apóstolo Paulo! 2 Timóteo 4.6: Digo isto porque eu não estarei por perto para auxiliá-lo por mais tempo. Meu tempo está quase terminado. Daqui a pouco eu estarei a caminho do céu. Pois a minha vida já está sendo derramada como uma oferta de bebida a Deus, e o tempo para eu partir deste mundo está perto. Foram priveligiados? Não temos as mesmas prerrogativas? Mas, digo: muitas pessoas estão sendo excluídas dos benefícios de Deus por darem atenção e acreditarem em 1 Timóteo 4.1: falsos pastores profetas mestres, os tais espíritos enganadores portadores de doutrinas de demônios. Os tempos estão curtos e a Verdade de Deus tem que ser proclamada por todos, havendo um silêncio velado no seguimento cristão que se tem revelado omisso, quando já deveríamos estar preocupados, exatamente ouvindo as palavras do Senhor Jesus Cristo quando Ele afirma Mateus 24.24-25: Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Vejam que eu os avisei antecipadamente. 2 Timóteo 4.2: Pregue a palavra. Esteja sempre pronto, com um sentimento de urgência, para anunciá-la, seja em tempo fácil, quando as pessoas quiserem ouvir, ou em tempo difícil, quando elas não quiserem ouvir. Com muita paciência e bons ensinos, convença a respeito do erro, repreenda e encoraje. Não me tenho negado a fazer, mas muitos que se dizem servos de Deus enganam fraudulentamente pessoas inocentes. Estas outras palavras de Cristo Mateus 23.1-39: é fotografia fiel dos pastores e profetas e mestres dentro de suas igrejas, pois se proclamam portadores de “seus” dons espirituais, quando na realidade estes dons 1 Coríntios 12.1-11: são distribuídos a cada Cristão de acordo com a Graça do Espírito Santo: dons que Deus concede aos homens e que os torna capazes de fazer as demais pessoas alcançar a salvação. Mateus 5.13-16: Ser cristão é fácil difícil é fazer a difereça pelo Evangelho.

2 Coríntios 5.1: Comentários a respeito deste Versículo.

Nós, sabemos que, quando esta tenda em que agora vivemos for desfeita, quando morrermos e deixarmos este corpo terreno teremos um maravilhoso corpo novo nos céus, um lar que será nosso para todo o sempre, feito para nós pelo próprio Senhor Deus, e não
por mãos humanas.

“... Nós (os Cristãos) sabemos...”. Como sabemos? Dons Espirituais. Pela manifestação do Espírito Santo no espírito do cristão, capacitando-o com poder para realizar uma tarefa de acordo com a vontade de Deus. 1 Coríntios 12.1-11: Romanos 8.14: Romanos 12.3-8: 1 Coríntios 12.28-31: Efésios 1.17: Efésios 3.16: Efésios 4.1-16: 1 Coríntios 12.7-8,11: O Espírito se manifesta em cada um de nós para benefício de todos. Pelo Espírito, a certa pessoa é dada a Palavra de Sabedoria; a outra, pelo mesmo Espírito, a Palavra de Conhecimento. A uma pessoa o Espírito concede a capacidade de dar conselhos sábios; a outra pessoa pode ser particularmente apta para estudar e ensinar, e este é o seu dom vindo do mesmo Espírito Santo. É o mesmo e único Espírito que dá todos esses dons e poderes, decidindo qual o que cada um de nós deve ter. Palavra de Sabedoria: Habilidade para compreender e transmitir aos demais cristãos as Realidades Espirituais contidas na Palavra de Deus. O dom da Palavra do Conhecimento: o dom principal do mestre cristão; possuindo instrução, sobre a base e as aplicações de sua fé; e isso tanto através dos meios naturais de estudo, como mediante a ajuda do Espírito Santo nos ensinos João 14.26: da Palavra de Deus. Atos 17.11: Como seria edificante você agora estar consultando a Bíblia confirmando estas verdadeiras Palavras de Deus. Não possuindo sua Bíblia solicite grátis pelo site enviando seu endereço completo. “... esta tenda em que agora vivemos...”. Tenda quer dizer: corpo físico/terreno. Esta tenda ou tabernáculo diz respeito tanto do seu caráter temporário como de um estado desprezível, por ser passível de morte; ideia comparada com a informação de uma casa celestial, o corpo espiritual, que será de natureza permanente e revestida de glória excelente. Por estarmos em uma tenda, confessamos que somos estrangeiros e peregrinos neste mundo Hebreus 11.13: sem habitação certa, sempre sujeita a desastre, já que nosso corpo (tenda) pode entrar em colapso a qualquer momento, já que não resiste a tão poucas adversidades. Mas isso não importa, porque a morte física não pode matar a personalidade humana. A tenda ou nosso corpo terreno é apenas um lugar de habitação, e não o homem interior que é o homem real de toda pessoa, passível de existência eterna. Três ideias estão envolvidas na imagem simbólica do tabernáculo ou tenda: 1- Seu caráter temporário, 2- Seu caráter perecível. 3- Concepção humana, terrena. Já “o corpo novo do Céu” o Edifício ou lar celestial possui características opostas: 1- É Eterno, e não temporário; 2- Não é perecível, não morre; e 3- É de origem divina, feito pelo próprio Senhor Deus.

“... quando morrermos...”. A tenda, corpo humano, devido à sua própria natureza, fala daquele tipo de habitação que é armada por algum tempo, servindo a um propósito limitado para então ser desmantelado; um corpo terreno abrigando o homem interior eterno, o ser espiritual da pessoa. Observe que o Senhor Deus revela 2 Coríntios 4.16: Nunca desanimamos, ainda que o nosso homem exterior (corpo físico) esteja dia-a-dia caminhando para morte, o homem interior, seu espírito + alma contudo, prossegue para um estágio melhor da existência, para eternidade.
“... teremos um maravilhoso corpo novo no céu, um lar...”. “... um lar...”. Então, a ideia é que o espírito humano acompanhado de sua alma, o ser espiritual duma pessoa, jamais ficará completamente despido; antes, por ocasião da morte, recebe de imediato o corpo adaptado para as regiões celestiais, sendo assim revestido, conforme está escrito no segundo versículo. Então, tenhamos como certo que o espírito, o homem real duma pessoa, sempre necessita de um veículo para expressar-se; e, a realidade da imortalidade envolve benefício supremo, um revestimento até a segunda vinda de Cristo, quando o corpo ressuscitado tiver de ser unido à alma ao espírito: chamamos a esse corpo no Céu de o lar dos remidos. É certo que estaremos presentes para melhor entendermos desta tal realidade. 1 Coríntios 15.51: Eis que lhes digo: Nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados. Convém ler atento 1 Tessalonicenses 4. 13.18: Visto que nós cremos que Jesus morreu e depois voltou à vida, podemos também crer que, quando Jesus voltar, Deus trará de volta com Ele todos os cristãos que já morreram. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Quando da segunda Vinda de Cristo os que já morreram em Cristo terão de volta seus corpos (antes físicos) agora ressuretos, igual ao do Senhor. Atos 17.11: Tenhas cuidado de verificar estas verdades reveladas por Deus, na Bíblia. Mas, agora Cristo 1 Coríntios 15.20: ressuscitou dos mortos, e foi feito como o primeiro homem ressuscitado dos que dormem. No que diz respeito ao arrebatamento, está escrito:

1 Tessalonicenses 4.15: De acordo com a própria palavra do Senhor, afirmamos a vocês o seguinte: que nós, os que estivermos vivos, os que ficarmos na terra até a vinda do Senhor, certamente não iremos nos encontrar com Ele antes daqueles que já morreram.

“... uma casa, não feita por mãos humanas...”. Somos gerados por atividades humanas; concebidos de tal maneira que temos peculiaridades próprias, individuais, cada um de nós é especial, singular, único, particular: somos diferentes uns dos outros. Não temos dúvidas em conhecer as pessoas pelas suas características, face às suas qualidades que a distingue, que a faz diferente das demais pessoas. Então, assim seremos cada um de nós, as mesmas pessoas nos céus. Seremos revestidos de uma nova habitação. De um corpo espiritual, uma nova tenda, uma casa feita por Deus, conforme aprendemos neste versículo. Portanto, tornar-se-á nosso veículo apropriado para nos expressarmos nos céus; e como comentado, seremos um retrato fiel, exato de nosso homem exterior 2 Coríntios 4.16: demodo que o revestimento feito por Deus conservará a nossa imagem e semelhança do nosso atual corpo físico, e de modo idêntico, seremos reconhecidos pelas demais pessoas lá presentes, familiares e amigos que já se foram . Medite em Lucas 16.19-31: A parabola do rico e Lázaro que revela exatamente o que estamos comentando.
Preste atenção. Para esta vida terrena, Deus nos proporcionou um corpo adequado, embora sujeito à canseira e enfermidades, que está sujeito à morte. No tocante ao nosso estado fora do corpo terreno, desincorporado, ou seja, fora do corpo físico, Ele nos dará um revestimento chamado de lar, nossa habitação que é do Céu, isto é, um corpo que servirá de veículo para nosso ser espiritual - espírito alma – que usaremos até o arrebatamento da igreja ou até a ressurreição (dos corpos físicos, terrenos), ocasião em que nos será dado o corpo ressurreto e espiritual, o mesmo corpo do Senhor Jesus Cristo. “... para todo o sempre...”. A palavra “ser eterno” tem dois sentidos em nossa existência: Interminável, embora tenha tido começo, porém não terá fim; e, Desvinculado do tempo, ou seja, nada tendo a ver de relação com os mundos do tempo e do espaço, conforme conhecemos no nosso próprio mundo, da mesma maneira que o Senhor Deus não é governado pelas limitações de nosso mundo físico. Dessa forma percebemos que o revestimento espiritual representa tipo de vida, não simplesmente uma existência interminável; tendo como modelo padrão o corpo glorificado do Senhor Jesus Cristo. “... nos cèus...”. O “habitat” dos remidos. Nosso corpo espiritual será recebido naqueles lugares celestiais, entrando na posse duma nova habitação, um lar, onde haveremos de manifestar a nossa nova vida.

Filipenses 3.20: “... Mas a nossa cidade está nos Céus...”. 1 Coríntios 15.19: Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.

Porque fomos criados para Vida.

A morte será sempre recebida com tristeza, desagradável. Vida e sonhos interrompidos. No dia-a-dia da vida, poucos pensam na morte. Muitas vezes agimos como se fôssemos viver eternamente em nosso corpo. Entretanto, a morte faz parte da vida. Todas as pessoas começam a morrer no dia em que se apresentam a este mundo. A morte é sempre do outro e, por mais amigo que seja, oferecemos pêsames à família, choramos e ficamos à disposição para qualquer tipo de ajuda. A morte é uma etapa da nossa existência com a qual estaremos envolvidos no seu devido tempo. Mas, a morte chegou perto de você. Foi você quem perdeu uma pessoa querida, não importando a idade, pois, nunca há uma idade para se morrer. Lucas 12.20: Contudo, Deus lhe disse: Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Você está desorientado, confuso. Você teme, pois não sabe o que fazer o que pensar e o futuro lhe parece incerto e sem sentido, diante do vazio deixado pela pessoa amada. Mas, esta Mensagem tem como propósito ajudá-lo em sua dor, lhe trazendo as Boas Novas de Cristo Jesus, através da Nova Aliança que estabeleceu Deus, através Dele. Você não estará só, a morte de sua (seu) amado, não será eterna, há propósitos de Deus para tua vida. Não aceite a morte como uma separação sem volta de seu ente-querido. Ele (a) foi na frente e, todos os seres humanos morrem, logo não será diferente para qualquer pessoa. Porém afirmo, em o Nome do Senhor Jesus Cristo, que você estará do outro lado, ao lado dela (e). É uma questão de você acreditar nas promessas de Deus. Hebreus 2.14: Nós, os filhos de Deus, somos seres humanos, feitos de carne e sangue, Cristo se tornou carne e sangue também pelo nascimento em forma humana; pois somente como ser humano Ele poderia morrer, e morrendo esmagar o poder do diabo, que tinha o poder da morte.

2 Coríntios 5.2: Comentários a respeito deste Versículo.
Neste tabernáculo nós gememos, desejando muito ser revestidos da nossa habitação que é do céu, Como vamos ficando cada vez mais cansados desse corpo atual! Eis porque esperamos com ansiedade o dia (a perda do corpo terreno) quando teremos um corpo celestial, que vestiremos como roupas novas.

“... Gememos...”. Vem de um termo grego que significa suspirar, queixar-se, lamentar-se. Sua raiz indica um lugar apertado, um lugar estreito, um lugar de confinamento; enfim, um lugar de dor e de restrições impostas. Por Que a Nossa Alma Geme? Por estar restringida à tenda do corpo mortal, afligida pela fragilidade, pela dor, pelas enfermidades e, continuamente pela ameaça de morte; porque esse corpo torna-se vítima fácil dos impulsos pecaminosos, e, por causa disso a alma é degradada, a consciência se sente pesada e pesarosa. No presente texto, todavia, especialmente por causa da carga da mortalidade e do desejo para que esta seja consumida pela imortalidade, a fim de que a alma possa passar desse lugar de restrições para a liberdade dos filhos de Deus. 2 Coríntios 3.17: Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. As piores dificuldades encontradas por um homem são aquelas em que ele cai, quando está livre para fazer o que bem entender. Se o Espírito Santo está habitando em uma pessoa, esta se agrada em fazer o que é direito. Alguns crentes chegam mesmo à obsessão de sempre agir direito, sentindo intenso desgosto diante de qualquer coisa errada. Ora, isso é uma realização divina. Romanos 8.26: E da mesma maneira também o Espírito Santo nos ajuda em nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. O tabernáculo indica as andanças sem rumo o povo de Israel pelo deserto, salientando ante aos olhos de nossa imaginação o estado alienado e sem lar em que eles viviam.

Em muito, parecemos com o antigo povo de Israel, que andava no deserto, pois, também estamos distantes de nosso verdadeiro lar, sujeitos aos assédios do tempo sem lugar de habitação fixa. 1 Pedro 2.11: Queridos irmãos, vocês são apenas visitantes aqui na terra. Visto que o seu verdadeiro lar está no céu, eu lhes suplico que se afastem dos prazeres malignos deste mundo; eles não são para vocês, pois lutam contra suas próprias almas. ”... Desejando muito...”. No grego é epipotheo, anelar, desejar intensamente. Está em foco a esperança íntima (da alma) do cristão de chegar ao lar celeste obtendo sua imortalidade e, desejoso de ser transformado segundo a imagem de Cristo, participante de sua perfeição e de sua natureza; pois no momento, olhando para mim, percebo tão claramente quão distante estou dessa realização ao considerar minha atual condição mortal, presente em meu corpo terreno. O objetivo do crente é receber o revestimento Divino de seu ser espiritual, ou seja, habitar em sua casa celestial feita pelo próprio Senhor Deus. “... Revestidos...”. Do grego ependuomai, que significa vestir por cima, revestir, tal como no caso da túnica, que era posta por cima de todas as demais peças do vestuário. A nossa esperança, portanto, aqui expressa, não é que a nossa alma despida fosse revestida, quando da ressurreição do corpo; antes, aguardamos o revestimento feito pelo Senhor Deus, do revestimento espiritual. Então haverá a incorporação do mortal pelo imortal, ou seja, a espiritualização do que é mortal. Filipenses 1.20-26: se faz revelação de Deus a respeito. Leia.

2 Coríntios 5.3: Comentários a respeito deste Versículo.
Se é que, estando vestidos, não formos achados nus.
Porque nós não seremos apenas espíritos sem corpo.

“... Vestidos...”. Significa o corpo espiritual, que é considerado aqui como dado aos crentes quando da parousia ou segundo advento de Cristo. Leia com atenção. “... Nus...”. É palavra que se refere ao estado duma pessoa afastada de seu corpo terreno, antes da ressurreição; estado esse que apesar de melhor que nossa atual condição, visto que nos dá grande esperança, porque consiste de estarmos presentes com o Senhor e importa em entrar na posse da vida eterna e espiritual, contudo, ainda não é a plena posse da glória na personalidade humana. Essa completa posse só poderá concretizar-se no corpo espiritual. Portanto, apesar do estado desencorporado ser muito superior ao nosso presente estado mortal, ainda existe aquela esperança maior, vivermos num corpo ressurreto do tipo do Senhor Jesus Cristo que acontecerá quando da segunda vinda de Cristo. Até nos sonhos nos sentimos envergonhados, quando nos vemos sem vestes. Porém, a pior nudez de todas é a nudez espiritual. Por melhor que seja a imortalidade de nossas almas, e por maior que seja a vida para elas, Deus tem algo muito superior. Este versículo tem sido usado para ensinar a realidade do nosso corpo celestial.

2 Coríntios 5.4: Comentários a respeito deste Versículo.
Porque, na verdade, nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos oprimidos, porque não queremos ser despidos, mas sim revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida.

Nosso corpo terreno nos faz gemer, porém não gostaríamos de pensar em morrer e depois não possuir corpo algum. Desejamos sim, revestir-nos do nosso novo corpo, de maneira tal que este corpo mortal seja, por assim dizer, absorvido pela vida eterna. Não deixa de ter importância esse nosso corpo físico, porque o décimo versículo ensina-nos que seremos julgados segundo as coisas que tivermos praticados por meio dele, o que certamente é um pensamento majestoso.

Todavia, esse nosso corpo físico, serve de impedimento para as atividades da alma/espírito, em nossa ida para a glória, no caso dos remidos. Por isso esperamos um estado muito superior, em que o corpo mortal não mais destacasse o caráter, as particularidades do homem; mas antes em lugar do corpo físico, lhe fosse dado um corpo espiritual, veículo apropriado para a eternidade do crente. Devemos compreender que temos aqui um gemido do nosso espírito, que deseja tornar real nossa existência espiritual. Bloomfiel ensina. “Enquanto estivermos nessa tenda, apesar de gemendo debaixo da carga de muitas aflições, contudo, o nosso desejo não é tanto o de nos desfazermos desse corpo, e assim libertos desses males, mas antes, nossa ansiedade consiste em sermos revestidos (2 Coríntios 5.2;) de um vestuário celeste, a saber, nosso corpo incorruptível”.

“... Absorvido pela Vida...”. O vocábulo grego katapino significa devorar, engolir. Contempla-se a total anulação da morte e da mortalidade; e a Vida aparece aqui como o agente dessa completa destruição. Como se fora um animal feroz, a Vida ataca a sua presa, que é a morte, a mortalidade, e, a destrói, eliminando-a de tal modo que nenhum traço da mesma ainda resta. Portanto, a própria morte finalmente morrerá. Apocalipse 14.12: Que isto anime o povo de Deus a suportar com perseverança cada provação e perseguição, porque os santos Dele são os que até o fim permanecem firmes na obediência às suas ordens e na confiança de Jesus. Cada indivíduo precisa enfrentar o fato brutal da morte física; tratando-se de uma experiência desastrosa; e somente a fé tem retirado o véu, mostrando que a morte física, na realidade não é fatal, não mata. Assim, espírito/alma, sabendo de sua elevada origem e de seu elevado destino, sente-se confinada e intranquila, porque se encontra distante de seu verdadeiro lar.

2 Coríntios 5.5: Comentários a respeito deste Versículo.
Ora, quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu como garantia o seu Espírito Santo.

A imortalidade, sem Deus, não seria digna de ser possuída. Então, conferimos a Deus todo o crédito acerca dessas elevadas esperanças cristãs, porquanto o Senhor é a fonte originária de toda a vida, da vitória do bem estar espiritual. A imortalidade dos remidos consiste na participação da natureza divina conforme está revelado por Deus em 2 Pedro 1.4:

Portanto, trata-se de algo elevado demais para ser realizado pela vontade ou pelo esforço humano. Assim, fomos eleitos (Efésios 1.4:), tal como fomos escolhidos para a filiação (Romanos 8.29. “... Penhor (garantia) do Espírito Santo...”. A fim de garantir a vitória da Vida em nós, o Espírito Santo é dado aos remidos, sendo Ele Quem, na realidade, nos transforma segundo a imagem de Cristo, criando em nós a sua própria vida. E, a sua presença conosco garante o triunfo final; sem o Espírito Santo, nossa passagem para avida eterna, a fim de participarmos da mesma modalidade de vida que Deus possui, seria fracasso. 2 Coríntios 1.22: Ele gravou em nós a sua marca - seu sinal de propriedade - e nos deu seu Espírito Santo em nosso espírito como garantia de que nós lhe pertencemos, e como a primeira parcela de tudo quanto Ele vai nos dar.O vocábulo grego arrabon - garantia ou penhor – significa primeira prestação, a garantia dos propósitos divinos e da concretização final da transação divina. O termo, conforme se pode facilmente averiguar, foi tomado por empréstimo do mundo dos negócios. Trata-se da invasão por parte do Espírito de Deus, capacitando-nos a triunfar em Cristo, tornando-nos cativos de seu amor. 2 Coríntios 2.14: Mas, damos graças a Deus! Porque Cristo, por meio daquilo que fez, triunfou sobre nós, de modo que agora, aonde quer que vamos, Ele nos utiliza para falarmos aos outros a respeito do Senhor, e para espalharmos o Evangelho como um perfume suave. “... Nos preparou...”. Deus está nos moldando de acordo com sua vontade: para a redenção, justificação, santificação e glorificação. A alma humana sobrevive à morte física por causa do decreto e da provisão de Deus, entrando assim, para a Vida Eterna. Todo o homem continua em existência após a morte física. A continuação da vida não depende da espiritualização do corpo, e nem mesmo da sua ressurreição. Essa continuidade é regra para a personalidade humana, porquanto a verdadeira pessoa não resume-se ao seu corpo físico, e, sim, ao seu ser espiritual, vivo e eterno. Lucas 1.46-47: nosso espírito nossa alma. Atenção para isto! O corpo ressurreto do cristão, igual ao do Senhor Jesus Cristo, que teremos e que será manifesto a nós, remidos, está revelado no livro de Lucas Capítulo 24, no livro de João 20.19-31: e João 21.1-25: fornecendo-nos detalhes de como seremos para a Nova Vida, enfáticamente anunciado por Deus, pertencer a seus filhos. Um corpo ressurreto, apropriado para a Vida naquela eternidade, que será recebido quando da ressurreição, sendo necessário para aquela existência do cristão na imortalidade final, quando os remidos serão transformados em tudo quanto Cristo é, passando a desfrutar de tudo quanto Ele possui. Glória a Deus. Cristão não duvide das Realidades de Deus, assemelhando-se como a um incrédulo, pois lhe digo isto, pela Palavra de Deus, Tiago 1.7: Quem é assim, não tenha nem em pensamentos a pretensão de que vai receber a imortalidade da forma que pretende, à sua maneira, aliás, não pense que vai receber alguma coisa do Senhor. Se imortalidade é seu alvo, então suas obras, suas ações, seus pensamentos, atitudes sejam coerentes; que seu falar apresente esta Verdade. E entenda muito bem que, além de outros, você deve se preocupar com certos atributos de Deus: Onipotência: atributos pelo qual Deus pode tudo: Jó 42.2: Eu sei que tudo podes, e nenhum dos teus propósitos podem ser impedidos. Onipresença: atrbuto pelo qual Deus está presente em toda a parte. Salmos 139.7: Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da Tua Face? Onisciência; Atributo pelo qual Deus conhce perfeita e eternamente todas as coisas passadas, presentes e futuras. Isaías 46.10: Já há muito tempo que Eu venho anunciando a vocês o que vai acontecer no futuro e agora Eu prometo: 'Tudo o que planejei acontecerá; vou cumprir toda a minha vontade. Sim há certos cristãos Mateus 23.27: representados por palavras, Como será terrível para vocês, professores da lei e vocês fariseus que se dizem “santos”, servos fascinados pelas ordenanças e rituais do Antigo Testamento - fanáticos e hipócritas! Pois vocês são como túmulos pintados de branco com cal, bonitos por fora, mas por dentro, cheios de ossos de mortos e de todo tipo de impureza. Convém, a respeito desses assuntos, você fazer uma leitura com cuidado e com muita atenção a cada palavra proferida pela Boca de Deus em Colossenses 2.4-23: e Hebreus 8.1-13: e Hebreus 9.1-28: Medite. Os crentes que têm profunda noção dos propósitos de sua vida espiritual estarão de acordo com as Verdades contidas na Palavra de Deus; eles mesmos decidem sua imortalidade sua Eternidade, procurando de todas as formas Atos 17.11: verificarem o que estão recebendo, o que está sendo apresentado, sugerido, e assim compreendendo o seguinte: 1 Timóteo 2.5: Há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. Então, espero que vocês fiquem libertos dos falsos pastores.

2 Coríntios 5.6: Comentários a respeito deste Versículo.
Temos sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos presentes no corpo, estamos ausentes do Senhor. Desejamos com confiança receber nosso corpo celestial, sabendo que cada instante que gastamos neste corpo terreno, é tempo gasto longe do nosso lar eterno, no céu com Jesus.

O corpo terreno é a habitação temporária do “eu”. “Somos cidadãos da terra, nosso verdadeiro lar está nos céus”. “Não lamentemos demasiadamente pelo falecimento dos nossos amigos; eles não estão mortos, mas simplesmente se foram antes de nós, pela estrada pela qual todos deveremos viajar.” Antífanes. O Senhor Jesus encontra-se nos lugares celestiais, e nós nos encontramos na dimensão terrena; e apesar de haver comunicação, Ele está ausente de nós. Somos seres mortais na prisão do corpo físico, e tendo Jesus elevado aos cèus, pertecemos temporariamente a mundos diferentes, e, em razão disso estamos ausentes do Nosso Senhor. A morte física é o livramento do homem interior da prisão do corpo terreno, bem como a direção da alma aos lugares celestiais.

2 Coríntios 5.7: Comentários a respeito deste Versículo
Pois nós vivemos pela fé e não pelo que vemos.

Hebreus 11.1: A Fé é a convicção segura de que alguma coisa que nós queremos vai acontecer. É a certeza de que o que nós esperamos está nos aguardando, ainda que não se possa ver adiante de nós. Assim, estamos ausentes do Senhor Jesus porque não podemos percebê-lo diretamente com a percepção dos sentidos físicos, com a visão dos nossos olhosHebreus 11.1: A Fé é a convicção segura de que alguma coisa que nós queremos vai acontecer. É a certeza de que o que nós esperamos está nos aguardando, ainda que não se possa ver adiante de nós. Assim, estamos ausentes do Senhor Jesus porque não podemos percebê-lo diretamente com a percepção dos sentidos físicos, com a visão dos nossos olhos físicos. Portanto, dependemos dos nossos olhos espirituais (do nosso espírito) quanto às questões espirituais. Ao invés de andarmos por vista (pelos olhos físicos), andamos pela nossa capacidade espiritual, e, esta faculdade pertence à porção espiritual de nosso ser. Não podemos 1 Tessalonicenses 5.23: deixar de falar que toda pessoa é um espírito, e alma e corpo ... Nesta ordem. Entretanto, andar pela Fé, não significa que andamos guiados por uma fé cega, sem base em razões firmes. Para certos indivíduos a fé parece dar crédito em algo que não é verdadeiro; e às cegas acreditam tais pessoas nessa sua maneira de agir, imaginando ser essa sua fé: João 4.24: não acreditando no Deus e Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. Porém a prova mais definitiva é a prova espiritual, a comunhão com o Espírito Santo, a confiança íntima que possuímos por meio de sua iluminação; essa, porém, é uma prova particular, que diz respeito a cada pessoa, não atraindo àqueles que não participam dessa experiência. Pois, está escrito a respeito: João 14.17: É o Espírito Santo que conduz uma pessoa a toda Verdade Espiritual. A humanidade em geral não o pode receber, porque não o procura e não o conhece. Mas ao cristão, sim, porque Ele habita no íntimo dessa pessoa, e um dia poderá estar também com você. Então, existem boas evidências em favor das realidades espirituais, a começar pela maior perfeição existente neste mundo, a própria vida humana. Chegará o tempo que conheceremos ao Senhor face a face, conhecendo-o tal como também somos conhecidos uns dos outros. Neste mundo o cristão está debaixo da condição da confiança em Cristo, e não sob a condição de sua presença corporal visível. “... Não pelo que Vemos...”. Indicando o sentido da visão física. Andamos sem realmente enxergar as realidades sobre as quais falamos. Elas são reais, a fé pode percebê-las; mas, por enquanto não dispomos dos sentidos associados ao corpo, que nos permita averiguá-las. Portanto, nossa vida e conduta, nosso andar está alicerçado sobre a nossa confiança no Senhor e Deus Invisível.

1 Timóteo 1.17: Ora, ao Rei dos séculos, Imortal, Invisível, ao Único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.

2 Coríntios 5.8: Comentários a respeito deste Versículo.
Temos bom ânimo, mas desejamos antes estar ausentes deste corpo, para estarmos presentes com o Senhor.

Temos, pois, confiança e preferimos estar ausentes do corpo e habitar com o Senhor.
Temos plena confiança para enfrentar a morte física, e chegamos até mesmo a preferir morrer fisicamente, porquanto isso significa que iremos ter à presença do Senhor. “... preferindo deixar o corpo...”. Temos bom ânimo, sabendo que na morte física, quando o espírito do homem deixa o seu corpo, eleva o cristão a um estágio de vida superior. Essa atitude é idêntica àquela que está expressa no trecho de Filipenses 1.21, 23: o morrer é lucro, é incomparavelmente melhor, porque é, estar com Cristo. O homem sendo um ser de natureza espiritual está intimamente ligado àquelas dimensões espirituais, nas regiões celestiais. Esse desejo é aumentado pela provisão feita na redenção que há no sangue de Cristo, bem como pelo testemunho do Espírito Santo, que nos torna descontentes com este mundo físico, conforme revelado Efésios 1.3: Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. E, assim em plena confiança, “... preferimos...”. Isto é, bem-dispostos em ficarmos ausentes do corpo, a fim de que o nosso ser espiritual possa lançar-se para os lugares celestiais. Efésios 2.6: Deus nos ressuscitou com Cristo e com Ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus, Cristo é o Senhor de todas aquelas mansões espirituais; e a sua presença é acessível para todos os habitantes daquelas paragens celestes. Colossenses 3.1: Já que vocês, por assim dizer, voltaram a viver novamente quando Cristo Se levantou dentre os mortos, ponham agora os seus olhos nos ricos tesouros e alegrias que esperam por vocês no céu, onde Cristo está sentado ao lado de Deus, no lugar de honra e de poder. Se pertencermos àquele mundo superior, cuidemos para que nossos desejos estejam fixos nos céus, e para que sejamos estrangeiros e peregrinos neste mundo. A própria redação deste versículo é autoexplicativo, ou seja, se explica por si só; que é capaz de ser compreendido sem explicação.

Ausentes do corpo, presentes com o Senhor Jesus Cristo. Amém.

2 Coríntios 5.9: Comentários a respeito deste Versículo.
Assim, o nosso alvo é agradar a Jesus sempre em tudo quanto fizermos, quer estejamos aqui através deste corpo ou fora dele, com Ele nos céus.

Pelo que também nos esforçamos para ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes.

“Esforçamo-nos...”. No grego philotimeomai, que quer dizer, ter como ambição, considerar como honroso tê-lo, como o próprio alvo de nossa existência. A ambição central, o propósito mesmo da vida é sermos aceitáveis e agradáveis ao Senhor. Nem todos os homens aplicam às suas vidas esse elevado alvo; mas, essa deverá ser a atitude dos verdadeiros remidos, não podendo haver qualquer equívoco a esse respeito. Grave isto! O que fica implícito neste versículo, que o esforço moral não termina por ocasião da morte física, porque tanto deste como daquele outro lado da existência esforçamo-nos por agradar ao Senhor. A luta muda de caráter, pois a natureza pecaminosa é deixada para trás (corpo físico). Gálatas 5.16-26: Ainda nos resta fazer muito progresso espiritual, no caminho das virtudes positivas da santidade de Deus, como seja a bondade, a justiça, o amor, a gentileza – e tudo isso são outros tantos aspectos do fruto do Espírito, produzidos em nós tanto nesta como na outra vida e sempre pelo mesmo Espírito de Deus. “... quer presentes... quer ausentes...”. O termo presente se refere ao nosso estar no corpo, isto é, na presente condição mortal de nossa vida terrena; ao passo que o termo ausente, se refere ao estarmos fora do corpo físico, e, por isso, estarmos juntos com Senhor Jesus no lar celeste. “... ser agradáveis...”. No grego temos a palavra “euarestos”, agradáveis-aceitáveis; e isso perante o padrão divino, conforme o mesmo foi exibido na vida terrena de Jesus Cristo. Precisamos admitir que isso não seja um alvo fácil. De fato, trata-se de um alvo impossível para o simples esforço moral humano; sendo necessária a intervenção do Espírito Santo, porque todos os aspectos dos frutos e de obras espirituais procedem Dele, como desenvolvimento de algo por Deus implantado em nós, conforme aprendemos no trecho de Gálatas 5.22-23: que é a passagem cuja mensagem é idêntica. Que, sem importar se estamos servindo ao Senhor na mortalidade ou na imortalidade, neste mundo ou nos locais celestiais, o nosso alvo é sempre o mesmo, em ambas as esferas agradar ao Senhor. A Verdade é que os lugares celestiais também são um lugar de progresso espiritual, e ali teremos a necessidade de agradar ao Senhor não menos do que aqui, ainda que de maneira diferente do que aqui ocorre, agora. Não se esquecendo de que neste mundo o homem está rodeado pelo pecado. Porém, a cessação do pecado sem dúvida alguma não é a mesma coisa que a plena perfeição de nossa natureza moral. Será necessário igualmente participarmos da perfeita Mateus 5.48: natureza moral positiva de Deus, em seu amor, bondade justiça. Isto é um alvo elevadíssimo, até mesmo para uma pessoa redimida e já desincorporada, isto é, fora, desligada de seu corpo terreno.

Colossenses 4.5: Sejam sábios na maneira que agem com aqueles que não são cristãos, aproveitando bem cada oportunidade.

Romanos 15.4: Pois tudo o que está escrito nas Escrituras, foi escrito para nos ensinar, são como exemplos para todos nós, para que, por meio da persistência e do encorajamento, seguindo o exemplo de Cristo, vermos como estas mesmas realidades serem passíveis de acontecer, de se realizarem em sossas vidas. Marcos 11.22:

Filipenses 1.21-25:

Sim, tenho total confiança em Deus. Eu posso preferir estar longe deste meu corpo terreno e estar em casa com o Senhor. Porque, para mim, viver, nesses tempos difíceis, significa conseguir oportunidades para Cristo. Mas se o meu viver for favorável para ganhar almas para o Reino de Deus, então na realidade não sei o que é melhor - viver ou morrer! Eis a questão! Vivendo na carne tendo proveito na minha obra! Isto é muito bom. Vivendo no corpo terei fruto do meu trabalho. E já não sei o que escolher! Às vezes quero viver e outras vezes não quero, pois estou ansioso para ir e ficar com Cristo. Como seria muito mais feliz para mim do que estar aqui! Porém, a realidade é que eu posso ajudar mais a vocês permanecendo por aqui! Então julgo mais necessário, por amor a vocês ficar na carne. Sim, eu sou necessário aqui embaixo e, portanto, tenho certeza de que permanecerei na terra um pouco mais de tempo, para ajudá-los a crescer e se tornarem felizes na Fé.

Convencido disso vou permanecendo com todos vocês, para o progresso espiritual do povo de Cristo: Vocês. Porque para mim o Viver é Cristo, e o morrer é lucro. Gálatas 2.20: Já estou crucificado com Cristo; e vivo não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vive na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Significa a total dedicação da minha vida a Cristo, devendo ser Ele a real motivação de tudo quanto faço; então, o meu ritimo diário de vida está ligado à minha comunhão espiritual com Cristo, através de seu Espírito Santo.

Posso afirmar isso a todos vocês: toda a minha vida, todas as minhas energias, todo o meu tempo pertencem a Ele – eu vivo Cristo. “... O morrer é lucro...”. A morte nos faz penetrar a um estado superior de Vida, e não em algum estado dormente ou, pior de extinção, ou a esperar a ressurreição ou simplesmente ficar extinto. Mas, estou disposto a permitir que a minha glória futura, naqueles lugares celestiais, me aguardem por mais um pouco de tempo, para que eu possa em o Nome do Senhor Jesus Cristo, obter mais algumas vitórias em favor do Reino de Deus, ainda 1 Pedro 4.2: nesta minha vida na carne. Para muitas pessoas, a vida indica a oportunidade de adquirir riquezas, fama, prazer, satisfação para os seus desejos carnais – digo, nada tenho contra isso - um pouco mais de vida terrena para mim, significa ocasiões renovadas de dar prosseguimento à minha missão, com o propósito de levar o conhecimento espiritual às pessoas, apresentando a elas a pessoa de Cristo. Não declaro a minha preferência, pois não me cabe escolher, deixando a questão nas mãos de Deus, e se Ele permite que eu continue a minha missão terrena, fico satisfeito. O que realmente quero é partir desta vida e estar com Cristo; mas não tomo decisão, porque não tenho certeza se isso seria melhor para mim e para vocês, neste momento. “... Estar com Cristo...”. A moradia do Senhor Jesus é nos lugares celestiais (Efésios 1.19-20:), o que se dá também no caso daqueles que Nele confiam (Efésios 2.6). Isso não significa, que todos participarão (2 Coríntios 5.10:) de igual glorificação, mas significa que todos os remidos - Colossenses 1.12-14: -habitarão nos lugares celestiais desfrutando do acesso até a presença do Senhor: dando início sua Vida Eterna. São estas as Realidades Espirituais que levo a vocês.